A partir de agora, vai ter de pagar para levar bagagem de mão a bordo da Ryanair

Voar com a Ryanair não será tão barato como era. A companhia aérea vai passar a cobrar 6 euros pelo transporte de bagagem de mão a partir de 1 de novembro.

A medida, que vai ser implementa já a partir desta quinta-feira, obriga os passageiros não prioritários a pagaram 6 euros para poderem transportar bagagem de mão até 10 quilos a bordo e 8 euros para despacharem a mala para o porão, de acordo com o Observador.

A mudança no sistema vem com a nova política aplicável aos viajantes que não compraram bilhete prioritário, anunciada em agosto: os clientes com bilhete prioritário têm transporte de bagagem de mão e de porão incluída, enquanto que os clientes não prioritários terão de pagar para poderem levar bagagem de mão a bordo

Atualmente, a Ryanair permite ao viajante com bilhete não prioritário transportar apenas uma mala pequena ou uma mochila, no máximo com 40 centímetros de comprimento, 25 de altura e 20 de largura. Esta alteração é uma forma de diminuir os atrasos nos voos que se têm verificado por complicações relacionadas com o excesso de bagagem de mão que os clientes trazem para o avião.

Em Espanha, a medida já gerou controvérsia, sendo que associações de defesa do consumidor que classificaram a política como ilegal. “É um aumento de preço ilícito que não pode ser permitido”, afirmou Ruben Sanchez, porta-voz da FACUA, uma associação de proteção dos direitos do consumidor espanhola.

A organização alega que este novo sistema é apenas uma forma de a companhia aérea ganhar mais dinheiro. O mesmo grupo apontou ainda que as companhias aéreas só podem cobrar pelas bagagens de mão “por razões de segurança, relacionadas com o peso ou tamanho do objeto, de acordo com as características da aeronave”.

“Esta medida é o mesmo que cobrar para se sentar no avião como se fosse uma tarifa à parte. É o mesmo porque a mala é uma necessidade fundamental quando se vai viajar e que tem de ser satisfeita sem necessidade de se pagar um extra”, reforça o porta-voz da associação espanhola.

Na sequência da queixa apresentada pela FACUA, a Agência Espanhola de Segurança e Proteção da Aviação (AESA) está a analisar a nova política de bagagem da Ryanair para verificar se está em conformidade com as leis espanholas e europeias.

Em Portugal, não se coloca a ilegalidade da medida em cima da mesa. A associação de defesa do consumidor DECO considera que esta medida “não é ilegal”, mas “levanta preocupações”, além de “contrariar uma prática comum do setor”.

A associação considera ainda que a forma como a decisão será implementada levanta várias dúvidas: “A medida será aplicada a partir de novembro a todos os voos, ou somente a quem comprar bilhete após essa data?”, questionou a DECO.

A Ryanair é a primeira companhia aérea a adotar esta medida, uma vez que esta medida não é aplicada em mais nenhuma companhia lowcost como a EasyJet, a Vueling, a AirEuropa e a AirLingus.

ZAP //

PARTILHAR

21 COMENTÁRIOS

  1. É e gravado ouvir de Espanha a critica com o argumento da “necessidade fundamental” e de ser “como pagar parar sentar” pois a única companhia aérea que conheço que obriga o passageiro a pagar uma taxa para o lugar é a espanhola Vueling. Sim, não tem a opção de sentar num lugar atribuído automaticamente e a custo zero, obrigando sempre a escolhe um lugar para completar a compra e pagar uma taxa adicional.

  2. Sabem muito estas multinacionais mafiosas!…
    Preços baixos para “estourar” o mercado e depois começam a cobrar por tudo e mais alguma coisa (ainda há pouco falavam em cobrar as idas ao WC)!…

    • Porque é que estas “multinacionais” (???) são mafiosas?
      Ou se lhe apeteceu bater mais uma vez na iniciativa privada? Como de costume…

      • Porquê?!
        Porque, como de costume, estás distraído…
        As “multinacionais” não são mafiosas; a multinacional Ryanair é mafiosa!!
        Por exemplo, a EasyJet também é uma multinacional privada e nunca ninguém ouviu 1% das queixas relativamente à Ryanair…
        Toda a gente minimamente informada sabe que a Ryanair é uma empresa mafiosa; desde o cliente ao funcionário e, as constantes greves, são a prova disso mesmo!…
        A Ryanair é, de longe, a pior companhia aérea em que já voei e arrisco a dizer que será das piores do mundo “civilizado”…
        Chega!?

        • Não, não chega. Aliás, nem sequer começou, pois não conseguiu apresentar um único facto concreto. Só mais do mesmo… um vómito de ódio!
          E, já agora, se apenas se estava a referir à Ryanair, então devia ter construído a frase no singular e não no plural. Português básico e elementar, meu caro…
          Quanto às greves, para os mais desatento (o seu caso!), isto pode elucidar o panorama atual: https://zap.aeiou.pt/ryanair-video-tripulantes-dormir-chao-encenada-222716
          Mas o bonito das empresas privadas é precisamente ninguém ser obrigado a trabalhar lá ou a recorrer aos seus serviços.
          No que me toca, a minha próxima viagem de avião marcada é precisamente pela Ryanair e fico muito satisfeito, pois vou voar para um país e um continente diferente a um preço muito mais baixo do que pagaria para ir a Lisboa, por exemplo na nódoa da CP (a famosa empresa eterna candidata à pior empresa do mundo)!

          Louvada iniciativa privada, louvada Ryanair!

          • Você é do tipo de pessoa que para satisfazer as suas necessidades não se importa do bem estar dos outros. Mão de obra escrava em plena Europa e ninguém se incomoda. São os valores da Humanidade actual, não importa como conseguimos o mais importante é a concretização dos nossos objectivos. Um boicote à compra de bilhetes nesta empresa poderia melhorar um pouco as condições de quem lá trabalha. Não é por acaso que em alguns países civilizados da europa esta empresa não tem base porque eram obrigados a cumprir a legislação do país.

            • Mão de obra escrava! Oh meu amigo, só lá trabalha quem quer. Arranje lá um caso de alguém que lá trabalhe contra vontade própria.
              Mais rapidamente faço boicote à CP, aquele antro de sindicalistas para o qual todos somos obrigados a contribuir, mesmo sem querer!

      • Não se trata de nenhuma embirração com o “privado” (o que quer que isso queira dizer). Pessoas são pessoas meu caro… Liberte-se dessa forma artificial, dicotómica e clubística de ver a realidade a preto e branco. Nem tudo na vida é uma questão de divisão esquerda/direita, Benfica/Sporting, ou privado/público… Porque a realidade é um bocadinho menos superficial do que isso.

        Como eu dizia, pessoas são pessoas e o ser humano tem por natureza certos vícios de caracter, mais vincados numas pessoas do que noutras, mas que estão sempre lá. Um desses vícios é o da tendência para se colocar a si e aos seus interesses/paixões acima dos dos restantes semelhantes. Há algumas pessoas ao longo da história que conseguiram transcender isto e dar a primasia aos outros, ou ao próximo, numa expressão de altruismo incomum… Mas a esmagadora maioria das pessoas é egoista e SE PUDER mete os seus interesses individuais acima do bem comum.

        Por este mesmo motivo o ser humano é um animal social e o mito do heremita ou do Robinson Crusoe, é mesmo isso: Um mito. “No man is an island”. Sendo um animal social, o ser humano tem sempre duas realidades: A sua própria e dos seus interesses pessoais, e a do grupo, que faz pressão para contrabalançar essa tendência egoista, lembrando-lhe que o bem de todos fala mais alto do que o bem de um só.

        Ora quando você fala de privado vs público é tão só essa mesma dinâmica que está em causa. A dinâmica do bem comum em interacção com o interesse individual. Até certo ponto é excelente que cada indivíduo tenha o direito pluralista a exercer a sua liberdade, creatividade e iniciativa, optimizando o seu potencial produtivo a nível individual e satisfazendo os seus desejos. Mas quando isso começa a comprometer o bem comum, o grupo (a sociedade) deve travá-lo, recordando-lhe que a liberdade e o bem de uns termina onde começa a liberdade e o bem dos outros. É um equilíbrio constante em interacção dinâmica, que importa manter, sem deixar que o Grupo mate a individualidade nem que o individuo se sobreponha ao bem comum.

        Quem defende que tudo deveria ser público, mata a individualidade. Quem defende que tudo deveria ser privado, mata o grupo (a sociedade) levando a situações como o Feudalismo e outras formas oligárquicas de organização social. É ingénuo e intelectualmente desonesto pensar que indivíduos competitivos, egoistas e gananciosos lutando por mais nada do que o seu umbigo e interagindo entre si sem qualquer forma de controlo por parte do grupo (neste caso a sociedade/estado representado por um governo democráticamente eleito), pode gerar uma sociedade justa, equilibrada e perfeita. Esta é a ideia do neo-liberalismo libertariano de Estado Mínimo a la Milton Firedman… E quem a defende apenas reage a condicionamentos mentais primários e clubístico-ideológicos de anti-esquerda ou anti-direita, que não são formas inteligentes de analisar a realidade das paixões e do comportamento humano, em toda a sua complexidade.

        • Nunca percebi esta obsessão deste Miguel Queiroz em comentar e depois vir de seguida elogiar-se com outro nick!!! Será doença?

          • Muito bem Paulo Cabanas. Seria bom haver mais comentadores do seu gabarito aqui neste site. Muito profundo e muito correto na sua análise. Parabéns Paulo Cabanas!

          • Boa tentativa Janeka. Essa caricatura de usar o João Naifadas para tentar dar a entender que o “Janeka” sou eu, é de uma dor de cotovelo atroz, ahahah… Ou seja: Irrita-o tanto, mas tanto, que alguém possa elogiar os meus comentários (por serem contrários às suas ideias) que você ataca logo dizendo que ele e eu somos a mesma pessoa. Olhe pois está com um azar bestial. O Janeka não sou eu e eu nunca faço comentários aos meus posts, porque acho isso muito triste e intelectualmente desonesto.

            Vou-lhe dar uma ajuda: Eu só comento aqui com dois nomes: Miguel Queiroz e MMQ (iniciais do meu nome). Uso o MMQ geralmente para fazer comentários mais cáusticos e menos cortezes. O Miguel Queiroz uso para comentários mais sérios. Mas nunca meto um a responder ao outro.

            Aliás uso o mesmo email de registo para ambos, algo a que nem era obrigado. Mas se duvida, pois convido o ZAP a confirmar aqui que o Janeka e eu não temos o mesmo IP (algo que se confirma com MMQ). Infelizmente para si, e sem falsas modéstias, eu tanto recebo fortes elogios como fortes críticas. Mas olhe que nem me lembrava que isso dos elogios era assim tão frequente… Lembro-me porém de pelo menos um post que fiz, que teve inúmeros elogios seguidos. Se calhar foram todos pseudónimos meus que eu inventei, eheheh…

  3. Por ano fazia 2 viagens nesta companhia em causa ate perceber que nem sempre fica mais barato voar nesta Ryanair …depois de voo cancelados decidi trocar de companhia … e sabem que mais ficai mais satisfeito! …descobri que existe mais vida para alem da Ryanair

  4. A Raynair com as suas taxas e taxinhas mais os seus atrasos ou anulações de voo vai acabar por ficar mais cara que outras companhias e com mais incertezas e inconvenientes, como diz o ditado, o barato fica caro!

RESPONDER

Polícia acaba com o maior fornecedor de televisão pirata da Europa. Clientes podem pagar 25 mil

Uma operação conjunta de polícias de vários países, coordenada pela Eurojust, levou ao desmantelamento da Xtream Codes, um serviço de fornecimento de serviços de televisão pirata, que tinha milhões de clientes na Europa. As ações policiais …

Rui Pinto acusado de crimes de acesso ilegítimo e extorsão na forma tentada (e fica na prisão)

O hacker Rui Pinto foi acusado pelo Ministério Público dos crimes de acesso ilegítimo e extorsão na forma tentada no caso Doyen. A par de Rui Pinto foi também acusado Aníbal Pinto, advogado que intermediou as …

PAN explica medidas ambientais propostas que "já estavam em vigor"

A revista Visão noticiou na quarta-feira que o PAN, no capítulo do programa eleitoral dedicado ao Ambiente, faz propostas que já estão implementadas. Na sua página do Facebook, o partido de André Silva desconstruiu as medidas, …

Greta Thunberg diz ao Senado dos EUA que "não estão a esforçar-se o suficiente"

A ativista sueca Greta Thunberg reuniu-se na terça-feira com o grupo de trabalho que trata das questões ambientais no Senado norte-americano e pediu acões, não elogios. A adolescente de 16 anos é uma das ativistas …

Pelo menos três mortos e 100 feridos em reparações pós-tufão no Japão

Pelo menos três pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas em obras de reparação de edifícios na província de Chiba, a leste de Tóquio, dias depois da passagem de um tufão pelo arquipélago nipónico. Um …

Prisão preventiva para bombeiro suspeito de atear fogos em Torres Vedras

O Tribunal de Torres Vedras decretou prisão preventiva para um bombeiro detido pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeitas de fogo posto no concelho de Torres Vedras, no distrito de Lisboa, disse fonte judicial esta quinta-feira. O …

Aeroporto do Montijo. Consulta pública termina hoje, mas a palavra final é da APA

A consulta pública do Estudo de Impacte Ambiental do futuro aeroporto do Montijo termina esta quinta-feira. O estudo tem apontado diversas ameaças para a fauna e efeitos negativos sobre a saúde da população por causa …

Após dúvidas no Parlamento Europeu, Elisa Ferreira vende ações da Sonae

A comissária europeia indigitada Elisa Ferreira decidiu esta quinta-feira “dar ordem de venda” às ações que detém no grupo Sonae, após as questões levantadas pela comissão de Assuntos Jurídicos do Parlamento Europeu quanto a um …

Tribunal Constitucional chumba lei dos metadados

À segunda, o resultado foi o mesmo de há quatro anos: o Tribunal Constitucional voltou a rejeitar a possibilidade de os serviços de informações terem acesso aos metadados, ou seja, a informações telefónicas e de …

Cristas e Catarina lideraram nas críticas, Costa foi "mártir", André Silva o mais interrompido

De acordo com uma análise da Rádio Renascença, António Costa foi o líder mais vezes mencionado nas intervenções dos adversários. O primeiro debate entre os seis líderes partidários com assento parlamentar - que uniu a Renascença, …