2021, que ano para o Palmeiras (o plano de Abel foi criticado mas resultou)

Ricardo Moraes / EPA

Palmeiras venceu duas vezes a Libertadores, no mesmo ano. Ex-Benfica foi novamente herói na final, desta vez contra o Flamengo. Abel fez bem ao ignorar a situação do São Paulo.

O Palmeiras é novamente campeão sul-americano. E novamente sob o comando de Abel Ferreira. A equipa brasileira venceu os também brasileiros do Flamengo na final da Taça Libertadores, disputada neste sábado. Foi preciso prolongamento para chegar ao triunfo por 2-1.

O duelo entre equipas do Brasil foi disputada no Uruguai, na capital Montevideu. E começou praticamente com o primeiro golo do encontro: aos três minutos Mayke assistiu e Raphael Veiga marcou para o Palmeiras.

O Flamengo, vencedor da competição em 2019 (estiveram em campo os dois últimos vencedores da Libertadores), passou a ter a bola durante a maioria do tempo – estratégia de Abel – e ameaçou o empate no início da segunda parte. Até que marcou mesmo, por Gabriel Barbosa, aos 71 minutos.

Gabigol, ex-jogador do Benfica, tinha sido o herói da final em 2019, para o Flamengo de Jorge Jesus. Mas desta vez viu outro ex-Benfica, Deyverson, a ficar com esse lugar. Já no arranque do prolongamento, Deyverson (que também jogou pelo Belenenses) roubou a bola aos adversários e fez o 2-1 final.

“É um sapinho que nós beijámos e transformámos num príncipe”, disse Abel depois do jogo, descrevendo precisamente Deyverson. O ponta-de-lança só tinha marcado quatro golos, nos 30 jogos anteriores.

David Luiz e Danilo Barbosa, outros dois jogadores que curiosamente vestiram a camisola do Benfica, também jogaram nesta final.

2021: o ano em que o Palmeiras venceu duas vezes a Taça Libertadores. A final da Libertadores 2020 foi também disputada em 2021, por causa da pandemia; vitória por 1-0 contra o Santos, há apenas 10 meses.

No entanto, não foi a primeira vez que o «verdão» fica com dois grandes títulos no mesmo ano: em 1967 venceu o Torneio Roberto Gomes Pedrosa e a Taça Brasil. Mais tarde, a Confederação Brasileira de Futebol anunciou que esses dois troféus passariam a ser considerados como títulos do campeonato brasileiro. Ou seja, o Palmeiras foi campeão nacional duas vezes no mesmo ano.

Agora foi campeão continental duas vezes no mesmo ano, juntando-se aos clubes que venceram a Libertadores em duas edições consecutivas: Peñarol, Independiente (que ganhou a Libertadores quatro anos seguidos), Boca Juniors , Estudiantes (tricampeão, em anos seguidos), São Paulo e Santos.

Afinal, resultou

Esta conquista chega poucos dias depois de Abel Ferreira ter sido muito criticado por adeptos e especialistas, por causa das suas prioridades no clássico com o São Paulo. Nesse jogo sempre muito aguardado, e que desta vez poderia colocar o rival interno perto da zona de descida de divisão, o treinador preferiu colocar em campo apenas um titular habitual, o guarda-redes. A sua equipa jogou mal e perdeu por 0-2, em casa.

“Temos um plano e vamos segui-lo até ao fim”, avisou Abel, no final dessa partida. E, de facto, a sua prioridade não era saber se o São Paulo vai descer de divisão, mas sim preparar a final da Libertadores.

Por isso, decidiu elaborar um plano para os quatro jogos que iriam anteceder o duelo com o Flamengo: os habituais titulares jogaram contra Fluminense e Fortaleza, os suplentes entraram no 11 inicial diante de São Paulo e Atlético Mineiro.

Na final, o plano também resultou: menos posse de bola, diminuir os espaços e aproveitar falhas do adversário para chegar à frente e marcar.

Agora, não se sabe se Abel Ferreira vai continuar no comando técnico do Palmeiras. O técnico terá recebido uma proposta do Al Nassr, da Arábia Saudita, mas não revelou se vai deixar o clube brasileiro.

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.