2016 é “muito provavelmente” o ano mais quente de sempre

O ano de 2016 vai “muito provavelmente” ser o mais quente desde que há registos, alertou esta segunda-feira a ONU, destacando as consequências calamitosas para a humanidade da inação no combate ao aquecimento global.

As temperaturas médias do ano vão atingir 1,2 Celsius acima dos níveis pré-Revolução Industrial, segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM).

“Se isso se confirmar, o século XXI vai contar com 16 dos 17 anos mais quentes desde o início dos registos, no final do séc. XIXX”, lê-se num comunicado divulgado à margem da conferência da ONU sobre o clima (COP22) a decorrer em Marraquexe, Marrocos.

A conferência reúne mais de 190 países para debater a sequência do acordo de Paris, assinado no ano passado para limitar o aquecimento global a 2ºC.

O novo recorde significa que o planeta está agora a mais de meio caminho de atingir o limite de 2º C, idealmente 1,5ºC, acordado para afastar o pior cenário de consequências das alterações climáticas.

Mais um ano, mais um recorde. As altas temperaturas que vimos em 2015 vão ser ultrapassadas em 2016″, afirmou o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas, num comunicado.

O fenómeno climático El Niño fez subir as temperaturas nos primeiros meses do ano, mas mesmo depois de os seus efeitos se dissiparem, por altura da primavera, as temperaturas mantiveram-se elevadas.

Em partes da Rússia ártica, as temperaturas foram 6ºC a 7ºC mais altas que a média, segundo o texto. Outras regiões árticas e subárticas da Rússia, Alasca e noroeste do Canadá foram pelo menos 3ºC acima da média.

A única grande região continental onde a temperatura foi inferior ao normal foi a zona subtropical da América do Sul – norte e centro da Argentina e parte do Paraguai e da Bolívia.

“Estávamos habituados a medir recordes de temperatura em frações de grau, isto é muito diferente”, afirmou Taalas.

E, além da temperatura mundial, outros indicadores das alterações climáticas também apresentam valores recorde, segundo a OMM.

A concentração dos principais gases com efeito de estufa na atmosfera atingiu em 2015 e 2016 níveis sem precedente, atingindo 400 partes por milhão em 2015 e provavelmente ultrapassando esse nível em 2016.

“Por causa das alterações climáticas, a ocorrência e impacto de acontecimentos extremos aumentou”, sublinhou a OMM. As ondas de calor e as cheias, que outrora ocorriam uma vez numa geração, são agora muito mais regulares.

Exemplos disso em 2016 foram o furacão Matthew, que devastou o Haiti em outubro, as cheias na China, várias ondas de calor, grandes secas e o maior fogo florestal da história do Canadá.

O aumento da ocorrência e impacto de desastres provocados pelas alterações no clima provocam episódios graves de escassez alimentar, migrações em massa e conflitos, advertiu.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. ( já está uma discussão em curso sobre as alterações climáticas na secção de comentários, aqui
    http://zap.aeiou.pt/vem-ai-mini-era-do-gelo-consequencias-catastroficas-terra-137627 )

    Este tipo de notícia já começa a ter barbas… brancas.

    Basta analisar o gráfico
    http://www.drroyspencer.com/wp-content/uploads/UAH-v6-LT-with-2016-projection-2.gif

    feito com dados obtidos por satélite para nos darmos conta que muitas das notícias sobre recordes de calor são falsas.

    Além do mais, parece-me que 1,2 graus celsius de aumento da temperatura global em relação ao período pré-Revolução Industrial não é motivo para qualquer tipo de preocupação.

    Se soubermos um pouco de História vemos que o período pré-Revolução Industrial terminou ao mesmo tempo que a Pequena Idade do Gelo (em 1850) pelo que me parece apenas lógico que a temperatura aumente com o fim da Pequena Idade do Gelo. Tudo o resto é conversa!

    Por falta de tempo, já estava a dar o comentário por terminado mas reparei no último parágrafo da noticia onde alguém põe a culpa das migrações em massa nas alegadas alterações climáticas e isso é do mais ignóbil que pode existir.
    As migrações em massa a que se têm assistido, por exemplo, na Europa nos últimos anos absolutamente nada têm a ver com o clima.
    Responsabilizarem o clima é lavarem daí as mãos, é desresponsabilizarem-se pela falta de acção perante as muitas tragédias de que vamos tendo notícias em certas partes do mundo provocadas quer por guerras quer por líderes déspotas que afectam gravemente as condições de vida ou até sobrevivência das populações. Tais cientistas e (ainda mais grave) políticos deviam ter vergonha na cara e fazer um mea-culpa por frequentemente deixarem simplesmente as tragédias acontecerem ou, pelo menos, até que as notícias de tais tragédias cheguem ao conhecimento público quando, por vezes, até já é tarde demais para agir!

RESPONDER

Dez anos depois, Naide Gomes vai receber medalha de bronze dos Mundiais

A antiga atleta portuguesa Naide Gomes vai receber, nos Mundiais de atletismo, em Doha, a medalha de bronze referente à prova de salto em comprimento dos Mundiais de 2009, que se disputaram em Berlim. A antiga …

Filho de José Eduardo dos Santos começa a ser julgado a 25 de setembro

O ex-presidente do Fundo Soberano de Angola José Filomeno dos Santos vai começar a ser julgado a 25 de setembro. "Zenu" é acusado de branqueamento de capitais e peculato. José Filomeno dos Santos, antigo presidente do …

Opções de Bruno Lage criticadas. "Não faz sentido estrear jovens"

Na sequência da derrota caseira com o RB Leipzig, em jogo da primeira jornada da Liga dos Campeões, o empresário Bruno Costa Carvalho criticou as opções do treinador benfiquista. "Não faz sentido o Lage, a quem …

Associações querem maior acesso a medicamentos inovadores para esclerose múltipla

Associações representativas dos cidadãos com esclerose múltipla divulgaram esta quinta-feira uma carta aberta em que defendem um maior acesso a medicamentos inovadores e que cada doente tenha um plano integrado de gestão da doença. Na carta …

Conceição sobre Nakajima: "Não basta ter contrato com o FC Porto, é preciso senti-lo"

Na antevisão ao jogo com o Young Boys para a Liga Europa, que acontece esta quinta-feira no Estádio do Dragão, o treinador tentou pôr um ponto final na polémica com o jogador japonês. Depois da vitória …

Arábia Saudita diz que ataque foi "inquestionavelmente patrocinado pelo Irão"

O Ministério da Defesa da Arábia Saudita defende que o ataque a duas instalações petrolíferas no sábado foi "inquestionavelmente patrocinado pelo Irão". As tensões começam a escalar no Médio Oriente, principalmente após o ataque de sábado …

Elisa Ferreira vai tutelar fundos distribuídos pelo marido. PE reunido para analisar "conflito de interesses"

A comissária portuguesa vai gerir a pasta que integra os fundos distribuídos pelo marido, presidente da CCDRN. Eurodeputados falam em conflito de interesses. A Comissão de Assuntos Jurídicos do Parlamento Europeu (PE) está reunida em Estrasburgo, …

​ERSE diz que "não tem capacidade" para analisar preço dos combustíveis

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) admitiu que não tem capacidade para analisar o preço dos combustíveis, afirmou a presidente do regulador, Cristina Portugal, em entrevista ao programa Hora da Verdade, da Renascença e …

Autarca de Amarante nega ter participado em viagem à Turquia

A Câmara de Amarante informou hoje que "nenhum autarca" do município participou numa viagem à Turquia, paga por uma empresa investigada pelo Ministério Público (MP). Em comunicado enviado ao ZAP, a câmara refere que o presidente …

Primeiros humanos talhavam elefantes com ferramenta de 5 centímetros

Retirar o máximo de carne possível de uma carcaça era algo importante há milhares de anos atrás. Para um melhor aproveitamento, eram usadas lâminas de apenas cinco centímetros, que os arqueólogos ignoraram até agora. Normalmente, ao …