20 mil sapatos inundaram Paris na véspera da Conferência do Clima

Ian Langsdon / EPA

-

Chinelos de criança, botas repletas de flores, ténis acompanhados de palavras em defesa do planeta são alguns dos milhares de sapatos que cobriram este domingo a praça parisiense de onde sairia uma marcha pelo clima, cancelada devido aos atentados.

O mar de sapatos partilhou a praça la République com uma estátua e uma escultura, transformadas este ano numa espécie de monumentos aos mortos, em memória das vítimas dos atentados de janeiro, que causaram 17 mortos, e de 13 de novembro, que provocaram 130 mortos, e agora rodeados de flores, velas e inscrições de homenagem.

“Mais de 4 toneladas” de sapatos foram recolhidos na última semana, explicou Emma Ruby Sachs, diretora adjunta da Avaaz, movimento mundial de mobilização de cidadãos, que promoveu a ação.

O gigantesco tapete, que cobriu mais de um terço da enorme praça, é “um monumento simbólico da determinação das pessoas em ser escutadas”, referiu Emma Ruby Sachs.

A Avaaz apelou a todos os que iriam participar na marcha pelo clima, marcada para hoje, em Paris, para enviarem um par de sapatos para representá-los.

Todos os sapatos estão orientados na direção da praça de la Nation, onde a manifestação deveria terminar, antes de ter sido cancelada pelas autoridades francesas devido ao reforço da segurança, após os atentados.

“É uma experiência incrível deambular entre milhares de sapatos. Pode sentir-se a dor das vozes reduzidas ao silêncio, mas também a esperança que esta conferência possa salvar o planeta”, disse ainda Emma Ruby Sachs.

@MattMcGrathBBC / Twitter

20 mil sapatos invadiram Paris - incluindo estes, do papa Francisco

20 mil sapatos invadiram Paris – incluindo estes, do papa Francisco

Entre os sapatos anónimos estão alguns de donos mais conhecidos, como aqueles do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, os botins da atriz francesa Marion Cotillard, ou os saltos agulha da estilista britânica Vivienne Westwood e “até o papa Francisco enviou um par“, acrescentou um membro da Avaaz.

Um pouco mais longe, próximo do Bataclan, onde 90 pessoas foram mortas a 13 de novembro, vários representantes de comunidades das ilhas do Pacífico e da América Latina, vestidos com os seus trajes traicionais, organizaram “uma cerimónia de apaziguamento” através de cantos, danças guerreiras e de poesia para associar a memória das vítimas à urgência de resolver o problema do clima.

Milhares de cidades em todo o mundo, incluindo em Portugal, realizaram este fim de semana marchas em defesa do clima e a chamar a atenção para a necessidade de avançar medidas para conseguir enfrentar as alterações climáticas, responsáveis pelo aumento de fenómenos extremos, como secas ou inundações, além da subida do nível do mar.

Mais de 140 chefes de Estado e de governo vão estar esta segunda-feira, em Paris, na sessão de abertura da COP21, a conferência das partes das Nações Unidas sobre Clima, que vai prolongar-se por duas semanas.

Durante a COP21 os países participantes tentarão chegar a um acordo com vista a reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e conter a subida da temperatura média do planeta nos 2 graus.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Investigadores de Harvard utilizam corantes para armazenar dados

Na era digital, quase tudo é possível. Uma equipa de químicos de Harvard desenvolveu um novo sistema que utiliza misturas de sete corantes fluorescentes disponíveis comercialmente para armazenar ficheiros de dados. É comum pensarmos no armazenamento …

Uma impressão artística de um impacto gigantesco no sistema estelar HD 17255

Dois planetas envolveram-se num choque tão violento que um deles perdeu a atmosfera

Uma equipa de astrónomos encontrou provas de uma gigantesca colisão entre dois planetas num sistema planetário jovem, localizado a 95 anos-luz da Terra. A poeira à volta da jovem estrela HD 172555, de 23 milhões de …

Rorhwerk, o maior instrumento musical do mundo

Rohrwerk, uma obra de arte efémera, é a maior "fábrica do som" do mundo

Uma espécie de "pavilhão do som". Alunos da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, criaram um novo instrumento musical, o maior alguma vez construído. Com 45 metros de altura, a obra de arte imponente …

Costa já pediu desculpas às confederações patronais. "Houve um lapso"

O primeiro-ministro afirmou, esta sexta-feira, que já apresentou um pedido de desculpas às confederações patronais por o Governo ter aprovado duas medidas na área do trabalho sem antes as ter apresentado em Concertação Social. À chegada …

Luxemburgo torna-se o primeiro país da Europa a legalizar o cultivo e consumo de canábis

O Governo luxemburguês anunciou, esta sexta-feira, que o país será a primeira nação do Velho Continente a legalizar o cultivo e o consumo de canábis. De acordo com a nova legislação, explica o jornal The …

Prisão preventiva para suspeitos da morte de jovem no metro das Laranjeiras

Os quatro suspeitos da morte de um jovem, na quarta-feira, na estação de metro das Laranjeiras, em Lisboa, ficaram em prisão preventiva, depois de presentes a primeiro interrogatório judicial. Os quatro arguidos, com idades entre os …

Cristiano vs. Salah: Klopp não queria comparar mas comparou

Treinador do Liverpool não acredita que vai encontrar um adversário debilitado: "Eles são capazes de fazer coisas incríveis". É o grande jogo de futebol no Reino Unido e um dos mais aguardados em todos os países: …

Bastonário dos Médicos considera direção executiva do SNS "um disparate"

O bastonário da Ordem dos Médicos considera que a criação da direção executiva do Serviço Nacional de Saúde, proposta no Estatuto do SNS aprovado esta quinta-feira, é "um disparate" e que há estruturas que podem …

João Leão no Parlamento: "A alternativa é um Orçamento apresentado pelo PSD"

O ministro das Finanças afirmou, esta sexta-feira, na Assembleia da República, que a alternativa à viabilização à esquerda da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) é um Orçamento feito pelo PSD. "A alternativa que …

Mais de 30 mil mulheres polacas recorreram a métodos de aborto ilegais ou no estrangeiro desde a alteração na lei

Proibição à interrupção voluntária da gravidez entrou em vigor no início deste ano e as  exceções só se aplicam a casos de violações, incestos ou quando a saúde da mãe está em risco. Pelo menos 34 …