10% dos franceses nunca ouviram falar do Holocausto

Cerca de 10% dos franceses nunca ouviram falar do Holocausto. Entre os jovens de 18 a 34 anos, o número sobre para 19%.

Estes são os dados de um estudo realizado pelo Ifop em parceria com o departamento  interministerial de luta contra o racismo, o antissemitismo e a homofobia, publicado em exclusivo pela rádio francesa France Info.

A pesquisa, que contou com a participação de 1014 pessoas, revela outros dados alarmantes: 21% dos franceses não sabem em que período ocorreu o genocídio dos judeus. Outros 79% dos entrevistados responderam que o Holocausto, que culminou na morte de mais de 6 milhões de judeus, ocorreu durante a Segunda Guerra Mundial.

O estudo ainda mostra que 9% dos inquiridos acreditam que as mortes ocorreram entre as duas grandes guerras, 6% durante a Primeira Guerra Mundial e 4% no início do século XX.

Para 2%, a apelidada “solução final”, aplicada no regime de Hitler, ocorreu durante a Guerra Fria. Entre os franceses com menos de 35 anos, 30% ignoram que o Holocausto ocorreu durante a Segunda Guerra Mundial.

Os resultados surpreendem o diretor do Observatório de Educação da Fundação Jean-Jaurés, Iannis Roder. Segundo o diretor, nas escolas francesas, os professores abordam o Holocausto no primeiro e segundo grau de ensino. “Nunca ter ouvido falar do genocídio dos judeus é praticamente impossível”, disse em declarações à rádio France Info.

Roder questiona se não haverá uma simples “provocação” nas respostas. “Mas o resultado também nos faz questionar aquilo que os jovens aprendem ou querem aprender”, afirmou, acrescentando que, “ou se os professores abordam a questão de forma muito rápida e os alunos não entendem nada” sobre o assunto.

“É preocupante”, considerou Francis Kalifat, presidente do Conselho Representativo das Instituições judias da França. “Temos que pensar na transmissão da memória do Holocausto. As testemunhas vivas estão a desaparecer e é um desafio continuar este trabalho sem estas pessoas, sem a força dos seus depoimentos”.

Segundo Kalifat, há certas escolas têm dificuldade em abordar a questão porque algumas classes “recusam-se a ouvir falar do genocídio judeu”.

O primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, anunciou no passado mês de novembro um aumento de 69% de atos antissemitas nos nove primeiros meses do ano. A mesma pesquisa citada pelo líder do Executivo francês revelou que 53% dos franceses acreditam que os judeus estejam expostos à violência na França.

“As pessoas têm consciência que, em 2018, alguém pode ser morto porque é judeu”, diz Kalifat, recordando os atentados contra a escola judia Ozar Hatorah, em Toulouse, em 2012, e o supermercado Hyper Cacher, em Vincennes, em 2015.

// RFI

PARTILHAR

RESPONDER

Descobertas filmagens inéditas de um centro de espionagem da II Guerra Mundial

Foi descoberta uma rara filmagem da instalação militar secreta Bletchley Park, no Reino Unido. Este centro de espionagem atuou durante a II Guerra Mundial e foi responsável por decifrar códigos alemães durante o período nazi. O …

Montezemolo revelou o sonho que Ayrton Senna não cumpriu

O antigo presidente da equipa da Ferrari, Luca di Montezemolo, revelou que o seu maior arrependimento foi não ter conseguido levar Ayrto Senna para a equipa. Em 1994, Ayrton Senna morreu de forma trágica quando perdeu o …

Friends: atores já terminaram as gravações do episódio especial

Ainda antes de os talk shows serem suspensos devido à COVID-19, Matt LeBlanc foi um dos convidados do The Kelly Clarkson Show, onde confirmou que as gravações do episódio especial de FRIENDS estavam concluídas. O programa …

YouTube remove vídeos com teoria da conspiração que liga covid-19 ao 5G

A onda de teorias falsas que ligam a pandemia da COVID-19 ao 5G levou a uma série de incidentes, incluindo ameaças a funcionários de operadoras e ataques a antenas de telecomunicações. Agora, o YouTube está …

Engenheiros construiram um ventilador caseiro. Pode servir como "último recurso"

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos, construiu um ventilador caseiro que pode ser usado como último recurso. A pandemia de covid-19 continua a desafiar as comunidades médicas e uma das ameaças …

Sepultura de genocídio encontrada no Ruanda pode conter 30 mil corpos

No Ruanda, foi encontrada uma sepultura que pode conter 30 mil vítimas do genocídio no país em 1994. Cerca de 800 mil tutsis e hutus moderados foram assassinados. Mais de 25 anos depois de um genocídio …

Belenenses SAD entra parcialmente em lay-off

"A indústria do futebol está entre as mais atingidas pelos efeitos da pandemia", que provocou a suspensão de praticamente todas as provas futebolísticas, destaca o Belenenses SAD. O Belenenses SAD, da I Liga de futebol, entrou …

Dois milhões de máscaras furtadas em Espanha podem ter sido vendidas em Portugal

O equipamento médico e sanitário furtado está avaliado em cinco milhões de euros e terá sido adquirido por uma empresa portuguesa que conhecia a proveniência do material. Um empresário de Santiago de Compostela foi detido por, …

Facebook terá tentado comprar um software de espionagem em 2017

O Facebook tem estado envolvido em vários escândalos e o mais recente está relacionado com a alegada compra da ferramenta Pegasus, usada para hackear iPhones. A empresa de segurança informática NSO Group, responsável pela Pegasus, alega …

Primeiro-ministro espanhol diz que coronavírus desafia o futuro da UE. E fá-lo em sete idiomas

O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez publicou no domingo um artigo em sete idiomas europeus, argumentando que o coronavírus pode ser a ruína da União europeia (UE) caso não sejam tomadas medidas mais drásticas para lidar …