10% dos franceses nunca ouviram falar do Holocausto

Cerca de 10% dos franceses nunca ouviram falar do Holocausto. Entre os jovens de 18 a 34 anos, o número sobre para 19%.

Estes são os dados de um estudo realizado pelo Ifop em parceria com o departamento  interministerial de luta contra o racismo, o antissemitismo e a homofobia, publicado em exclusivo pela rádio francesa France Info.

A pesquisa, que contou com a participação de 1014 pessoas, revela outros dados alarmantes: 21% dos franceses não sabem em que período ocorreu o genocídio dos judeus. Outros 79% dos entrevistados responderam que o Holocausto, que culminou na morte de mais de 6 milhões de judeus, ocorreu durante a Segunda Guerra Mundial.

O estudo ainda mostra que 9% dos inquiridos acreditam que as mortes ocorreram entre as duas grandes guerras, 6% durante a Primeira Guerra Mundial e 4% no início do século XX.

Para 2%, a apelidada “solução final”, aplicada no regime de Hitler, ocorreu durante a Guerra Fria. Entre os franceses com menos de 35 anos, 30% ignoram que o Holocausto ocorreu durante a Segunda Guerra Mundial.

Os resultados surpreendem o diretor do Observatório de Educação da Fundação Jean-Jaurés, Iannis Roder. Segundo o diretor, nas escolas francesas, os professores abordam o Holocausto no primeiro e segundo grau de ensino. “Nunca ter ouvido falar do genocídio dos judeus é praticamente impossível”, disse em declarações à rádio France Info.

Roder questiona se não haverá uma simples “provocação” nas respostas. “Mas o resultado também nos faz questionar aquilo que os jovens aprendem ou querem aprender”, afirmou, acrescentando que, “ou se os professores abordam a questão de forma muito rápida e os alunos não entendem nada” sobre o assunto.

“É preocupante”, considerou Francis Kalifat, presidente do Conselho Representativo das Instituições judias da França. “Temos que pensar na transmissão da memória do Holocausto. As testemunhas vivas estão a desaparecer e é um desafio continuar este trabalho sem estas pessoas, sem a força dos seus depoimentos”.

Segundo Kalifat, há certas escolas têm dificuldade em abordar a questão porque algumas classes “recusam-se a ouvir falar do genocídio judeu”.

O primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, anunciou no passado mês de novembro um aumento de 69% de atos antissemitas nos nove primeiros meses do ano. A mesma pesquisa citada pelo líder do Executivo francês revelou que 53% dos franceses acreditam que os judeus estejam expostos à violência na França.

“As pessoas têm consciência que, em 2018, alguém pode ser morto porque é judeu”, diz Kalifat, recordando os atentados contra a escola judia Ozar Hatorah, em Toulouse, em 2012, e o supermercado Hyper Cacher, em Vincennes, em 2015.

// RFI

PARTILHAR

RESPONDER

Furacão Sally fragmentou parte de uma ilha da Florida em três

A passagem do furacão Sally fragmentou parte de uma ilha na costa da Florida, no Estados Unidos, criando assim três pequenas porções de terra. Na prática, tal como explica o portal USA Today, o furação abriu …

Benfica 2-0 Moreirense | “Águia” vence e convence cónegos

Após ter perdido e empatado nas duas últimas recepções ao Moreirense, o Benfica voltou a vencer o emblema de Moreira de Cónegos na Luz. Este sábado, em duelo relativo à segunda jornada do campeonato, as “águias” …

"Surpreendente e fascinante". Descoberta pela primeira vez uma aurora sobre um cometa

A nave Rosetta da Agência Espacial Europeia (ESA) detetou uma aurora boreal sobre o cometa 67P / Churyumov-Gerasimenko (67P / C-G). Em comunicado, os cientistas envolvidos na deteção frisam que esta é a primeira vez quem …

Austrália não quer que turistas caminhem na famosa rocha sagrada Uluru (nem no Google Maps)

A Austrália pediu ao Google que remova do seu serviço Maps fotografias tiradas do topo de Uluru, o monólito aborígine sagrado que os visitantes estão proibidos de escalar desde o ano passado. De acordo com a …

NASA vai procurar aquíferos nos desertos com tecnologia já usada em Marte

Uma parceria entre a NASA e a Fundação Qatar tem como objetivo procurar as cada vez mais escassas águas que estão enterradas nos desertos do Saara e da Península Arábica. Este processo deverá ser desenvolvido …

Os aeroportos mudam o nome das pistas (e a culpa é dos pólos magnéticos da Terra)

O pólo norte magnético pode mover-se até 64 quilómetros por ano. Isto pode ser um problema para os pilotos de aviões. A pista 17L/35R, no Aeroporto Internacional de Austin-Bergstrom, no estado norte-americano do Texas, não terá …

Rússia quer ultrapassar Tom Cruise e ser a primeira a gravar um filme no Espaço

O ator Tom Cruise quer rodar um filme no Espaço, mas a Rússia quer ser a primeira, de acordo com um comunicado da agência espacial Roscosmos. Os Estados Unidos e a Rússia são, novamente, os protagonistas …

Os animais perdem o medo dos predadores depois de contactarem com o Homem

Uma nova investigação concluiu que os animais selvagens perdem rapidamente o medo dos seus predadores depois de entrarem em contacto com o Homem. A maioria dos animais selvagens, como é o caso dos leões, exibe …

Há mais 884 casos confirmados e oito óbitos por covid-19 em Portugal

De acordo com o último boletim divulgado epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista, este sábado, mais oito óbitos e 884 novos casos de infeção pelo novo coronavírus. Assim, Portugal contabiliza, desde o início da …

Negros norte-americanos estão a comprar armas em valores recorde

O número de afro-americanos a comprar armas aumentou drasticamente. Em causa, estará uma resposta ao agravar das tensões sociais no país devido ao movimento Black Lives Matter. Nos Estados Unidos, os protestos do movimento Black Lives …