/

Mais 1.908 infeções, 13 mortes e redução nos internamentos nas últimas 24 horas

3

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 1.908 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, 13 mortes atribuídas à covid-19 e menos internamentos com a doença.

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) estão esta segunda-feira internadas 677 pessoas com covid-19, menos 28 do que na segunda-feira, 136 das quais em unidades de cuidados intensivos, menos 13 nas últimas 24 horas.

A área de Lisboa e Vale do Tejo, com 619 novos casos e a região Norte, com 744, têm 71,4% do total das novas infeções verificadas nas últimas 24 horas.

As mortes regressam às dezenas (ontem tinham sido nove) e ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo (7), na região Norte (2), no Algarve (3) e na região Autónoma dos Açores (1). A média em agosto é de 12,3 mortes diárias.

Relativamente às idades das vítimas, sete tinham mais de 80 anos, quatro entre os 70 e os 79, um entre os 60 e os 69 e um entre os 50 e os 59 anos.

O R(t), o índice de transmissibilidade, está em 0,98 na globalidade do território nacional e em 0,99 no continente.

  ZAP // Lusa

3 Comments

  1. Porque escondem quantos dos infectados e mortos estavam vacinados? Fazem bandeira da suposta ‘informação’ e ‘transparência’ enquanto fazem segredo destes dados. E nenhum jornalista faz esta pergunta óbvia: porque escondem estes dados? Parece óbvio que estas novas vacinas não funcionam e por isso a terceira dose, e a quarta… na Austrália já disseram em público que as vacinas e ‘reforços’ serão recorrentes, para desespero das grandes farmacêuticas. De repente, toda a gente confia nos políticos e nas grandes farmacêuticas.

  2. Mais casos, mais mortes (as trezes pessoas que faleceram, saíram dos cuidados intensivos, tendo ido parar ao cemitério).
    13-13= 0.
    Portanto, já se anula aqui aquele efeito de evolução positiva. Está tudo nulo, numericamente, neste parâmetro.
    Aumentaram os casos, mas parece que, para isso, os internamentos têm de diminuir.
    Segundo a lógica da DGS, mais internamentos traduzem-se em MENOS casos, e menos internamentos traduzem-me em MAIS casos e, talvez, em mais mortes.
    De onde vêm os internados, quando há menos casos positivos de Covid-19? Será que algum iluminadinho consegue explicar esta aldrabice?!
    Obrigado.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.