/

De um gesto romântico às tendências do Twitter. O Wordle é o novo fenómeno dos jogos (e já há uma versão em português)

1

Wordle

É simples e faz lembrar o Mastermind, mas com palavras. O Wordle explodiu em popularidade nas últimas semanas, mas começou como um gesto romântico do criador para a namorada.

Depois de videojogos como Among Us, Fall Guys ou Animal Crossing terem explodido em popularidade com a pandemia, o trono para o fenómeno de 2022 pode já estar ocupado, apesar de ainda estarmos em Janeiro.

Chama-se Wordle é um simples puzzle de palavras que não precisa de aplicações ou consolas, apenas exige um browser. O objectivo é adivinhar qual é a palavra de cinco letras que pode ser criada com apenas seis tentativas.

Caso se adivinhe a letra certa na ordem certa, o quadrado torna-se verde. Se a letra estiver na palavra, mas no lugar errado, fica amarelo. Por fim, o quadrado cinzento significa que a letra nem sequer integra a palavra, explica a Insider.

O jogo nasceu como um gesto romântico, pela mão de Josh Wardle, um engenheiro de software de Brooklyn. O nome é um trocadilho com o seu apelido e word (palavra).

A ideia inicial já é antiga e partiu de um protótipo semelhante em 2013. Mas foi só em 2020, depois de ter ficado viciado em decifrar a Spelling Bee e as palavras-cruzadas do The New York Times diariamente com a namorada, que o engenheiro decidiu avançar com a criação de um jogo semelhante com a sua amada em mente.

Depois de se tornar um ritual do casal e de ser um êxito no grupo de WhatsApp da família de Josh, o engenheiro decidiu lançá-lo para o público em geral em Outubro, recorda o The New York Times.

A 1 de Novembro, 90 pessoas jogaram. Cerca de dois meses depois, mais de 300 mil já tinham aderido à tendência. O jogo tornou-se um fenómeno nas redes sociais, especialmente por apenas permitir que os jogadores resolvam um puzzle por dia, o que incentiva à competição entre todos.

Os utilizadores do Twitter rapidamente começaram a gabar-se quando decifravam a palavra recorrendo a emojis para mostrarem o resultado.

A popularidade explodiu em Janeiro quando o criador decidiu adicionar a opção de se partilhar o nosso resultado sem o spoiler da solução. O jogo já conta com mais de 2 milhões de utilizadores diários.

Caso estivesse em mente tornar o jogo mais viciante e ganhar mais jogadores, Wardle teria incluído um link no fim do tweet que a ferramenta gera, mas depois de ponderar essa opção, optou por não o fazer por lhe parecer “rasca” e arruinar a aura misteriosa da grelha, que considera que é factor do sucesso do jogo.

Esta não é a primeira aventura de Wardle com fenómenos de popularidade, já que o ex-engenheiro do Reddit também trabalhou na criação do The Button e Place.

Sem anúncios ou pop-ups, o criador acredita que “as pessoas apreciam que há um a coisa online que é só divertida”. “Não está a tentar fazer nada duvidoso com os nossos dados. É só um jogo que é divertido. É algo que encoraja a pessoa a gastar três minutos por dia e não quer mais do seu tempo”, afirma.

A namorada de Wardle também teve um papel importante nas escolha dos puzzles, já que muitas das palavras em inglês com cinco letras são demasiado obscuras, tendo procedido à escolha daquelas que conhecia — o que reduziu a lista de 12 mil palavras para cerca de 2500.

O que explica a popularidade?

Segundo o psicólogo britânico Lee Chambers, o Wordle é tão viciante porque estimula as áreas do nosso cérebro que processam a língua e lógica e, como todos os jogos, leva à libertação da dopamina.

O aspecto estético também ajuda, já que os blocos coloridos podem relaxar-nos por “trazerem um nível de conforto psicológico mesmo quando estamos rodeados pelo caos”.

Já Juliet Landau-Pope, uma cientista social, revela à Insider que o jogo incentiva um sentido de comunidade saudável, que é exactamente aquilo de que estamos à procura na altura do ano novo depois de um 2021 para esquecer.

“Com todas as discórdias políticas, a incerteza económica, uma crise de saúde continua, há uma escassez de boas notícias nas redes sociais. O Wordle deu-nos algo divertido em que nos focamos, se apenas por alguns momentos por dia”, revela.

A sua simplicidade também a tornou o alvo perfeito para memes, com pessoas a comparar os blocos aos contentores do navio que ficou encalhado no canal do Suez e a todo o tipo de objectos do quotidiano. Até já surgiu uma versão para adultos chamada Lewdle.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

“O facto de estarmos todos a tentar resolver o mesmo puzzle junta-nos, ajudando-nos a sentir que estamos a resolver um problema maior juntos”, considera Chambers.

Já há uma versão em português

Dada a popularidade do jogo, é natural que já tenham surgido cópias. Além do Lewdle, já surgiu o Termo, uma versão do jogo em português. Tal como o original, o Termo é gratuito e só pode ser jogado uma vez por dia.

Em entrevista ao P3, o brasileiro Fernando Serboncini mostra-se surpreendido quando vê que estes jogos virais existem sempre em inglês, francês, espanhol e alemão, mas costumam excluir a língua de Camões.

O criador refere que o desenvolvimento deste tipo de jogos exige um dicionário específico, que até agora não existia. Incomodado com esta escassez, Fernando decidiu resolver este problema de uma vez por todas e construir o tal dicionário.

“É uma combinação da óptima ideia do Josh com uma carência de jogos de palavras em português“, remata o criador.

  Adriana Peixoto, ZAP //

1 Comment

  1. Boa tarde,

    Aproveito para informar que seria útil divulgarem que também existe uma versão em português de Portugal, uma vez que existem palavras utilizadas no Brasil que não são utilizadas por cá.

    Aqui fica o link, caso tenham curiosidade em experimentar e queiram divulgar: https://termo.pt/

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE