Washington Redskins mudam de nome por ser considerado racista

1

watts_photos / Flickr

Jogadores da Washington Redskins, equipa de futebol americano

A equipa de futebol americano, até aqui denominada de Washington Redskins, vai abandonar essa designação, considerada de teor racista, para designar nativos da América do Norte.

Em comunicado, a equipa de Washington explicou que, depois de uma “análise aprofundada”, chegou à conclusão de que o nome é racista, assim como o logótipo, que identifica um índio, sendo que ambos serão agora substituídos.

“Queremos manter patrocinadores e adeptos informados sobre o processo” de escolha do novo nome e símbolo, acrescentou ainda o clube norte-americano.

Em declarações ao Sports Business Journal, citados pelo site RT, fontes do clube disseram que o novo nome não vai ser anunciado de imediato, uma vez que ainda terão de ser resolvidos todos os problemas relacionados com a marca.

O site russo acrescenta, contudo, que a mudança foi anunciada mais depressa do que se pensava, provavelmente para garantir que o clube tem tempo de alterar os equipamentos e o merchandising até ao arranque da temporada.

A equipa, assim chamada há 87 anos, tem sido acusada ao longo de várias décadas de racismo, sobretudo por organizações de nativos americanos, com a mudança a ser provocada pela pressão – social e económica, por parte de alguns patrocinadores – após a morte do afro-americano George Floyd, no fim de maio, devido à ação policial.

‘Warriors’ é a variante mais popular que pode substituir o nome original, porque o proprietário do clube, Daniel Snydel, já o tinha registado com a intenção de adicionar uma franquia de expansão à Arena Football League (AFL) que, no entanto, nunca foi tornada realidade.

Entre as outras hipóteses possíveis estão os nomes ‘RedTails’, uma referência aos pilotos do grupo Tuskegee Airmen, ou ‘Red Wolves’, promovido pelo atleta do clube Jonathan Allen nas redes sociais.

  ZAP // Lusa

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.