Votos das mulheres “vão ser decisivos nas eleições espanholas”

Julien Lagarde / Flickr

A especialista em Comunicação e Estudos de Género, Belén Zurbano Berenguer, considera que os votos, as preocupações e as necessidades das mulheres vão ser decisivos nas eleições legislativas espanholas de 28 de abril.

Em entrevista ao Público, divulgada esta quarta-feira, a professora e investigadora em Estudos de Género, Comunicação e Igualdade, na Universidade de Sevilha, realçou o dinamismo e a mobilização recentes do movimento feminista para justificar o destaque que o voto feminino pode ter nas eleições.

A académica recordou, no entanto, que o “combate ao machismo e a transformação da ordem política e social patriarcal são processos lentos”, o que se reflete na campanha. Nesse sentido, apesar de os partidos estarem a dar destaque às suas caras femininas, não se coíbem de demonstrar que os “varões continuam a ser os primeiros”.

“As sondagens sobre as intenções de voto sugerem que a maioria dos eleitores que ainda não decidiu em quem vai votar são mulheres. Se a esse dado somarmos o dinamismo feminista e a mobilização deste tipo de movimentos no último ano – isso, sim, tem tido eco nos programas e agendas de algumas formações políticas –, podemos afirmar que, ainda que alguns partidos o prefiram negar, o voto das mulheres e as suas preocupações e necessidades vão ser decisivos nestas eleições”, indicou Belén Zurbano Berenguer.

Segundo a investigadora, essas necessidades “são coisas tão básicas como o direito à vida, à liberdade, à igualdade ou à livre disposição dos seus corpos e sexualidade”.

Ainda assim, continuou a especialista, há que ter em conta uma variedade de fatores para análises mais acertadas. Como referiu, a decisão do voto inclui um “número importante de outros elementos”, como os resultados das últimas eleições na Andaluzia, que abriram a porta do Parlamento a figuras contrárias ao feminismo e à luta das mulheres.

Apontando Inês Arrimadas (Cidadãos), Edurne Uriarte (Partido Popular) ou Irene Montero (Podemos) como peças importantes dos partidos nesta campanha, o Público questionou a especialista sobre a mensagem que as forças políticas querem passar ao eleitorado, dando destaque às mulheres.

Para Belén Zurbano Berenguer, os partidos reconhecem a importância de contar com a representação da metade do eleitorado espanhol. “Mais ainda num momento como aquele que vivemos, em que as reivindicações e as lutas das mulheres estão em plena efervescência, e até os mais reacionários contra as políticas e os programas de género se estão a juntar aos discursos pró-igualitários”.

A verdade, sublinhou, “é que o patriarcado dominante dos principais partidos manifesta-se de forma clara quando há sobreposição de cabeças de lista: as mulheres estão em segundo plano, são os varões que continuam a ser os primeiros”.

De acordo com a professora, o combate ao machismo enquanto reflexo de uma ordem social e política patriarcal “é um processo lento e moroso”.

“E em Espanha temos sempre de contar com o desfasamento histórico causado pela ditadura franquista. A repressão das ideias progressistas e a ancoragem numa ordem social profundamente desigual propiciaram uma certa fixação de valores machistas, que já podiam ter sido superados há muito”, acrescentou.

No entanto, assegurou que essa situação não se prende somente a Espanha. “Passa-se em muitos outros países, incluindo as democracias mais consolidadas, que apresentam índices de violência contra as mulheres que envergonham qualquer um”.

“O machismo é o reflexo da organização da vida em volta da hegemonia masculina e, salvo exceções muito anedóticas, é um fenómeno universal, que deve combater-se com firmeza no espaço público. Educação e transformação dos valores sociais são, sem dúvida, a chave para a mudança”, explicou.

Sobre o julgamento do caso de “La Manada” (uma violação coletiva em Pamplona, cujos réus foram condenados por abuso e não por violação), afirmou que “a agressão machista” e o julgamento “provocou uma convulsão social contra as agressões sexuais, de qualquer índole, que sofrem as mulheres em Espanha”.

“Foi uma manifestação do conflito que existe entre a ocupação de espaços públicos, por parte das mulheres, e a sua segurança, e materializou-se na reflexão sobre temas como o consentimento sexual ou a liberdade”, analisou Belén Zurbano Berenguer.

Relativamente à reação dos socialistas do PSOE à nova realidade, quando o chefe do Governo, Pedro Sánchez, nomeou para ministros o mesmo número de homens e mulheres, a investigadora defendeu que dizer que o partido parte em vantagem junto do eleitorado feminino “seria estar a conjeturar por cima dos números que nos dizem que a maioria dos votos femininos do passado e das atuais intenções de voto vão no sentido dos partidos tradicionais”.

Na sua diversidade, esclareceu, as mulheres “são influenciadas por abordagens que reconhecem as suas necessidades e especificidades, mas há outros fatores, como o seu nível de desenvolvimento económico ou o seu caráter rural ou urbano”.

“Os movimentos feministas reivindicam, em geral, políticas integrativas e sustentáveis, que, no entanto, acabaram por não ser desenvolvidas pelo último Governo, dada a curta duração da legislatura anterior”, apontou a professora.

Quanto ao discurso do partido Vox, de extrema-direita, e a sua defesa do “homem espanhol e heterossexual”, Belén Zurbano Berenguer declarou que a sua mensagem política dificilmente convencerá o eleitorado feminino “porque algumas das suas abordagens são paleontológicas no que que toca à posição das mulheres na sociedade”.

“É coerente que um partido que se assume contra as políticas de género não consiga alcançar a maioria dos votos de quem proclama abertamente não defender e cujas doenças e o ser alvo de violência nega. Mas pode conseguir alguns votos femininos, porque o feminismo ou a luta pela igualdade não são bandeiras inerentes à identidade feminina”, concluiu.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Novo estudo associa o burnout a uma consequência fatal

Uma nova investigação associa o burnout a um aumento de até 20% no risco de desenvolver fibrilhação auricular, a arritmia crónica mais frequente. O burnout é uma perturbação psicológica causada pelo stress excessivo devido a uma …

Pinto da Costa diz ter total confiança em Sérgio Conceição

O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, garantiu que tem "total confiança nos jogadores e no treinador", Sérgio Conceição, que no sábado colocou o lugar à disposição, de acordo com a newsletter oficial dos …

Isabel dos Santos utilizou três identidades para entrar e sair de Portugal

A empresária angola Isabel dos Santos utilizou três documentos de identificação distintos durante as últimas viagens que fez entre Portugal e o Reino Unido. "Izabel Dosovna Kukanova", "Isabel José dos Santos" e "Santos Isabel" foram as …

Voar nunca foi tão seguro, garante a Estatística

Voar em companhias áreas comerciais nunca foi tão seguro, garante um estudo levado a cabo por um professor do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) que monitoriza o número de mortes de passageiros de todo o …

Coronavírus já provocou 56 mortes. China começa a desenvolver vacina

China começou a desenvolver uma vacina contra o novo coronavírus, que já provocou a morte a 56 pessoas e infetou 1.975 pessoas no país, informa este domingo o jornal oficial do Partido Comunista Chinês (PCC). De …

Portugueses vencem "Óscares" de animação em Los Angeles

O filme “Tio Tomás, A Contabilidade dos Dias” da realizadora portuguesa Regina Pessoa, venceu este domingo o prémio de Melhor Curta Metragem e Sérgio Martins venceu a Melhor Direção de Animação em Longa Metragem, pelo …

Juiz Neto de Moura muda nome com que assina acórdãos

O juiz Neto de Moura, envolvido em algumas decisões polémicas sobre violência doméstica, alterou o nome com que assina os acórdãos, avança o Jornal de Notícias na sua edição impressa deste domingo. De acordo com …

Violenta tempestade faz pelo menos 30 mortos em Minas Gerais

A violenta tempestade que desde quinta-feira assola o estado de Minas Gerais, sudeste do Brasil, já provocou pelo menos 30 mortos e 17 desaparecidos, anunciou este domingo a Proteção Civil. De acordo com o novo balanço, …

Descobertas quatro novas espécies de tubarões que caminham

Foram descobertas quatro novas espécies de tubarões que caminham usando as suas barbatanas. Ao todo são já conhecidas nove espécies deste tipo de tubarões. Investigadores encontraram tubarões que caminham nas águas do norte da Austrália e …

Caso suspeito de infeção por coronavírus em Portugal deu negativo

A Direção-Geral da Saúde (DGS) informou este domingo que o primeiro caso suspeita de coronavírus em Portugal, com um paciente sob observação no Hospital de Curry Cabral, em Lisboa, deu negativo após  análises. "A Direção-Geral da …