//

Procuram-se voluntários para ensinar as mulheres da Arábia Saudita a conduzir

2

حملة 26 أكتوبر

As mulheres sauditas, que vão poder começar a conduzir a partir de junho, estão a usar o Twitter para conseguir contornar a desigualdade dos preços praticados nas escolas de condução.

A partir de junho, as mulheres da Arábia Saudita vão finalmente poder conduzir. O país árabe era o único no mundo que mantinha esta proibição e, até agora, as cidadãs que fossem apanhadas a fazê-lo arriscavam ser presas ou a ter de pagar uma multa.

No entanto, segundo a Elle, o reino não está a facilitar o processo e as mulheres vão ter de pagar quase seis vezes mais do que os homens para obterem a carta de condução.

De acordo com a revista norte-americana, as mulheres com alguma experiência de condução precisam apenas de 30 horas de aulas e, por sua vez, as que não têm qualquer experiência necessitam de 90 horas.

O preço médio para uma hora de aula custa entre 60 a 75 riais, o que significa que as mulheres que nunca conduziram vão ter de pagar cerca de 1500 euros para conseguir o número de horas exigido para estarem aptas a fazer o exame de condução.

Além disso, os preços praticados pelas escolas femininas também são mais elevados comparativamente com os das escolas de condução para homens: um curso de condução para mulheres pode chegar aos 2400 riais (537 euros), enquanto que o site do Ministério do Interior mostra que para um homem apenas custaria 435 riais (98 euros).

Por isso, as mulheres sauditas estão a mostrar a sua indignação nas redes sociais, tendo chegado a uma ideia para contornar a situação. Segundo a revista, tudo começou com o tweet de Hanaa Aldhafery.

“Há por aí voluntários dispostos a ensinar outras pessoas a conduzir de forma gratuita? As aulas teriam de ser depois do Ramadão porque não queremos nenhum problema com a justiça e teriam de acontecer em parques de estacionamento longe das multidões. Se a resposta é sim, por favor escreva o nome da sua cidade em #مستعده_ادرب”, escreveu a saudita de 32 anos.

Traduzida para português, a hashtag significa algo como “estou pronto para te ensinar” e, quantas mais pessoas estiverem disponíveis a ajudar, mais fácil será combater a desigualdade dos preços praticados no país.

De acordo com a revista americana, desta forma, as mulheres que nunca conduziram apenas vão precisar de completar as 30 horas de aulas e, por isso, conseguirão poupar cerca de 756 euros.

  ZAP //

2 Comments

  1. Os homens deviam fazer o mesmo… perguntar: “Olha… ofereces-me aulas (ou outra coisa)… só porque sim?” …Cá para mim, muitas mulheres responderiam… “Faz pela vida!” ou … “desde que pagues o combustível, o desgaste, a deslocação e o tempo gasto… claro que “ofereço”… “

    • Calma, pode ser que apareça por aí algum voluntário para te ajudar a raciocinar e assim evitas ocupar este espaço com disparates!…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.