Vítimas dos fogos de outubro “rigorosamente abandonadas”

Miguel A. Lopes / Lusa

Duas associações de vítimas dos incêndios de outubro de 2017, na região Centro, criticam a alegada distância do poder central e asseguram que milhares de lesados ainda não receberam ajudas.

Ao assinalar “três meses da maior tragédia em destruição material que a região sofreu em séculos”, a Associação das Vítimas do Maior Incêndio de Sempre em Portugal, AVMISP, insurge-se contra “a distância do poder político”, quando “a falta de esperança cresce” no interior devastado pelos fogos de 15 e 16 de outubro de 2017.

“Sobra sempre a sensação de que continuamos entregues à nossa sorte”, afirma à agência Lusa o empresário Luís Lagos, presidente da AVMISP, com sede em Oliveira do Hospital. Opinião idêntica tem o Movimento Associativo de Apoio às Vitimas dos Incêndios de Midões, MAAVIM, no vizinho município de Tábua, liderado por Fernando Tavares Pereira.

Numa nota enviada à Lusa, o empresário de Midões reitera que “a população está rigorosamente ao abandono, com medidas avançadas e sem estarem aplicadas”, e reporta a existência de “milhares de lesados ainda sem ajuda”.

“São empresas que lutam para voltar à normalidade e encontram discriminação nos apoios, pessoas que querem reconstruir a sua casa, as suas vidas, e a quem falta proximidade e celeridade do poder executivo”, declara, por sua vez, Luís Lagos.

O líder da AVMISP testemunha queixas dos “agricultores que ficam embrulhados em burocracia” e adianta que a população “tem a sensação de que vive num país onde o Governo está de férias para o Interior”.

A associação pergunta “por que não se pagou, de imediato e sem burocracias, o valor indemnizatório mínimo aos familiares das vítimas mortais” e realça que, “se algum familiar não concordar com o valor final da indemnização e quiser recorrer aos tribunais, continuará a não receber o valor mínimo de 70 mil euros”, anunciado pelo Estado.

Isto não passa de uma forma encapotada de pressão” para levar as pessoas a aceitar esse valor, considera Luís Lagos, realçando ser “todo um território que fica em causa, um conjunto de vidas que ficam hipotecadas e uma região que perde o comboio do futuro”, se o Governo não promover “a discriminação positiva” de municípios do Interior “que todos os dias pagam o preço da distância” do poder central.

Questiona ainda, entre outras críticas, “onde está o Fundo Revita para a tragédia de outubro”, lembrando que, “se as ajudas dos portugueses, em junho”, com o incêndio de Pedrógão Grande, “mereceram a criação de um fundo para as fazer chegar de forma justa e equitativa ao terreno, em outubro é a bandalheira total”.

Por outro lado, “a diferenciação ao nível da comparticipação do apoio às empresas, entre os incêndios de junho e de outubro, é gravíssima”, na sua opinião. Por seu turno, o MAAVIM insiste que “ainda não existe um único parque de recolha” de madeira queimada e alerta que “os rios estão cheios de lixo e lama”.

Cinco pessoas ainda recuperam nos hospitais

Cinco feridos dos incêndios de outubro na região Centro continuam internadas no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, com queimaduras extensas de 2º e 3º grau, disse à agência Lusa fonte hospitalar.

Trata-se de quatro adultos e uma criança que não correm risco de vida, mas que apresentam lesões “muito complicadas de tratar” e, por isso, “bastante morosas”. “Dois dos adultos e a criança ainda estão entubados e ventilados e assim vão manter-se”, acrescentou. As extensas lesões no corpo obrigam os feridos a deslocarem-se ao bloco operatório “uma a duas vezes por semana”.

A fonte hospitalar adiantou que três dos feridos adultos estão internados no serviço de queimados e outro no serviço de cirurgia plástica do polo do Hospital da Universidade de Coimbra, enquanto a criança se encontra no serviço de queimados do Hospital Pediátrico.

Os incêndios de 15 e 16 de outubro de 2017 atingiram particularmente 27 concelhos da região Centro e provocaram 45 mortos e cerca de 70 feridos, destruíram total ou parcialmente cerca de 800 habitações permanentes e cerca de outras tantas casas de segunda habitação, quase 500 empresas e extensas áreas de floresta.

// Lusa

 

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

    • Sem dúvida!!! O sr. Presidente dos “afectos”, a cada dia que passa revela-se… E se era de esperar diferença… Desenganem-se!!!

  1. Promessas, promessas, promessas, promessas. promessas, promessas, promessas, promessas,Promessas, promessas, promessas, promessas. promessas, promessas, promessas, promessas,Promessas, promessas, promessas, promessas. promessas, promessas, promessas, promessas, ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, NO DIA EM QUE UM POLÍTICO CUMPRIR AS SUAS PROMESSAS, TERMINA O MUNDO…..

RESPONDER

Amazon inaugura loja que funciona sem funcionários ou caixas de pagamento

Esta segunda-feira, a Amazon inaugurou a sua loja física sem caixas de pagamento. Entrar, pegar no que se quer e sair sem pagar - é esta a dinâmica da Amazon Go. Esta segunda-feira, a Amazon inaugurou, …

"Quero representar a humanidade na máquina". A próxima meta de Ishiguro é a consciência artificial

https://vimeo.com/252082730 Hiroshi Ishiguro aliou a paixão pela arte ao fascínio pela robótica com o objetivo de "representar a humanidade na máquina". Deu à inteligência artificial um corpo. Agora, quer dar ao corpo uma consciência. Hiroshi Ishiguro …

Cidade do Cabo pode ficar sem água dentro de 90 dias

Numa bacia geológica por baixo da Montanha da Mesa e historicamente alimentada por forte precipitação no inverno, a capital sul africana tem sido conhecida como um paraíso de abundante água natural. Mas isso pode estar …

Adeus homens. Extinção já tem data marcada

O cromossoma Y, responsável pelo desenvolvimento das propriedades sexuais masculinas, vai desaparecer. Mas, podem os homens todos estar descansados, tal apenas acontecerá dentro dentro de 4,5 milhões de anos. Segundo um novo estudo de investigadores da …

Indiano está a abrir uma estrada de 8 km para os filhos irem à escola

Durante dois anos, Jalandhar Nayak usou uma enxada e uma picareta para construir sozinho uma estrada de 8 quilómetros num vilarejo remoto do Estado de Orissa, na Índia, para que os filhos conseguissem ir mais …

Supernanny perde patrocinador principal

Supernanny perdeu o patrocínio da Corine de Farme. A marca comercializada pelos Laboratórios Sarbec Portugal era a principal patrocinadora do controverso programa da SIC. A retirada do patrocínio, que já estaria a ser equacionada desde a semana passada, surge …

Supremo recusa pedido para emitir mandado europeu de detenção contra Puigdemont

O Supremo Tribunal de Justiça espanhol recusou o pedido do Ministério Público para voltar a emitir um mandado europeu de detenção contra o ex-presidente da Catalunha, que se deslocou à Dinamarca. A procuradoria-geral espanhola pediu esta …

Rui Rio mantém Hugo Soares na liderança da bancada do PSD até ao congresso

Rui Rio esteve reunido com Hugo Soares, esta segunda-feira, no Porto. O novo líder do PSD decidiu que vai manter o atual líder da bancada parlamentar até que se realize o Congresso Nacional do partido. Em …

Algoritmo vanguardista de investigadores portugueses supera o Google Brain

Um novo algoritmo de inteligência artificial que desenvolve "uma abordagem vanguardista para automatizar processos de aprendizagem no campo da visão computacional" foi criado por investigadores da Universidade de Coimbra. Quatro investigadores do Centro de Informática e …

Incêndios no Pinhal de Leiria tiveram mão criminosa

A Polícia Judiciária de Leiria determinou que os dois incêndios que consumiram o Pinhal de Leiria tiveram mão criminosa. O engenho explosivo foi encontrado no pinhal, mas ainda não foram identificados os autores. A Polícia Judiciária …