Os ursos estão a acordar um mês antes do previsto (e já se sabe porquê)

Os zoólogos estão a ter uma grande surpresa, uma vez que os ursos de todo o mundo estão a acordar fora de estação devido aos invernos mais quentes. Ursos em cativeiro e selvagens na Rússia, Finlândia e Reino Unido saíram da hibernação cedo. Algumas populações nem hibernaram.

A hibernação é um evento anual para os ursos. A sesta longa que se prolonga no meses de inverno permite que os animais esperem que passem as condições mais severas em que a comida é escassa. Durante a hibernação, o metabolismo, respiração, batimento cardíaco e atividade física dos ursos diminuem para que os animais consigam preservar o seu stock precioso de gordura.

A duração da hibernação depende de cada animal e varia de caso a caso. Porém, é certo que chega ao fim quando chega a primavera, que traz temperaturas mais quentes e fontes de alimento mais abundantes.

Na Rússia, trabalhadores do Jardim Zoológico de Moscovo esperam que os seus ursos saiam da sua toca quatro semanas antes em comparação com o ano anterior, uma vez que as temperaturas quentes despertam os seus dois ursos dos Himalaias e um urso castanho Kamchatka.

Num comunicado, citado pelo jornal russo The Moscow Times, Svetlana Akulova, CEO do zoo, disse que os zoólogos esperavam uma chegada antecipada devido ao inverno anormalmente quente. Os picos das suas atividades indicaram aos funcionários do jardim zoológico que apareceriam muito antes do normal, com a chegada prevista para o final de março. Estes ursos normalmente acordam no final de abril ou maio.

A tendência está a espalhar-se por todo o continente. A sul de Moscovo, os ursos no jardim zoológico de Voronezh já acordaram e os caçadores do leste na região de Kirov já viram um urso selvagem a vaguear pelas florestas.

Na Finlândia, no jardim zoológico de Korkeasaari, os ursos acordaram após uma breve hibernação de apenas dois meses, fazendo a sua primeira aparição em fevereiro.

Também no Reino Unido, três ursos pardos europeus no ZSL Whipsnade Zoo, acordaram brevemente em fevereiro depois de iniciarem a hibernação em novembro. “Aproveitaram o sol de fevereiro por uns bons 20 minutos antes de voltarem para a sua toca para mais uma sesta. Quando os ursos saem da hibernação, tendem a pressionar o botão “snooze” algumas vezes, assim como alguns de nós de manhã”, disse Felicity Ball, do ZSL Whipsnade Zoo, em comunicado.

Esta não é a primeira vez que uma interrupção foi relatada nos comportamentos anuais de hibernação de ursos na Rússia. Em 2019, ursos pardos na Sibéria não hibernaram por causa do calor. O mesmo efeito foi visto com centenas de ursos nma reserva natural do sul da Rússia durante o inverno de 2018.

O surgimento precoce de ursos em todo o mundo fornece mais evidências do impacto das mudanças climáticas nos ritmos biológicos dos animais. Ursos em cativeiro que acordam cedo podem ter as suas dietas suplementadas com pequenas porções de bagas e frutos antes de passar para porções maiores, incluindo carne.

Porém, as populações selvagens terão de se defender sozinhas, o que pode ser difícil se as espécies de plantas nativas não começarem a frutificar ou se o frio voltar até à verdadeira chegada da primavera.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Engraçado…
    Estão os ursos a sair da hibernação mais cedo e estamos nós a experimentar o que é hibernar.
    A vida tem destas merdas…

RESPONDER

"Evento raro". Nasceu uma baleia-branca no maior aquário do mundo (e o momento foi gravado)

Whisper, uma baleia-branca de 20 anos, deu à luz uma cria saudável em 17 de maio após uma gravidez de 15 meses, marcando a chegada do mais novo cetáceo do Georgia Aquarium, numa altura em …

Telemóveis são uma ferramenta poderosa contra a desigualdade de género em África

Ao dar às mulheres acesso a informação que, de outra forma, era quase impossível de obter, os telemóveis estão a salvar e a transformar vidas. De acordo com o site IFLScience, o estudo responsável por esta …

Desde março, morreram mais de 100 elefantes no Botsuana. Ninguém sabe porquê

As autoridades do Botsuana estão a investigar a morte de 110 elefantes na região do Delta do Okavango desde março, anunciou esta semana o Ministério do Meio Ambiente, Conservação de Recursos Naturais e Turismo daquele …

Um robô aprendeu a fazer uma omelete. E ficou melhor do que o esperado

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, treinou um robô a preparar uma omelete. Para os investigadores, avaliar se um robô cozinhou uma refeição com sucesso é uma fonte interessante de …

Covid-19 já matou mais no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães da II Guerra

A pandemia de covid-19 já matou mais pessoas no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães durante a II Guerra Mundial. O novo coronavírus oriundo da China já matou cerca de 50.000 pessoas em território …

Estudo mostra que os cães querem mesmo resgatar os seus donos do perigo

Um novo estudo mostra que os nossos amigos de quatro patas querem realmente salvar-nos em momentos de aflição, mas desde que saibam como o fazer. De acordo com o site Science Alert, os investigadores reuniram 60 cães …

Derek Chauvin foi detido, mas os precedentes mostram que o polícia pode sair impune

Derek Chauvin, o polícia responsável pela morte de George Floyd, foi detido e aguarda a sua primeira audiência. No entanto, há precedentes que sugerem que o agente pode sair impune. Derek Chauvin tem a sua primeira …

Cientistas encontram dois fragmentos do meteorito de Barcelona

Cientistas espanhóis encontraram dois pequenos fragmentos do chamado meteorito de Barcelona, que caiu, há mais de 300 anos, no dia de Natal. No dia 25 de dezembro de 1704, um meteorito rasgou os céus e caiu …

"Pressionaram-me para o denunciar". Higuita recorda amizade com Escobar

A relação de amizade entre René Higuita e Pablo Escobar levou a que o ex-futebolista fosse seguido pelas autoridades. A polícia chegou a pressioná-lo para denunciar Escobar. O antigo internacional colombiano René Higuita é provavelmente uma …

George Floyd. Portugal junta-se às manifestações mundiais contra o racismo

Cinco cidades portuguesas juntam-se hoje à campanha de solidariedade mundial contra o racismo, associando-se à luta pela dignidade humana na sequência da morte, a 25 de maio, do afro-americano George Floyd, sob custódia da polícia …