Urina ajuda arqueólogos a acompanhar a ascensão da agricultura

Estudar os vestígios de urina de ovelhas e cabras está a fornecer aos arqueólogos um vislumbre da domesticação de animais numa aldeia turca há 10.000 anos.

Uma das transições mais marcantes da História foi quando o Homem parou de caçar para se estabelecer enquanto agricultor. Agora, para reconstruir a história de um sítio arqueológico na Turquia, uma equipa de arqueólogos está a analisar uma fonte inusitada: os sais deixados para trás da urina humana e animal.

O sítio arqueológico de Aşıklı Höyük, na Turquia, tem sido estudado durante décadas. Os seres humanos ocuparam esta área há mais de 10.000 anos, quando começaram a manter animais, como cabras e ovelhas, dando os primeiros passos enquanto agricultores.

Nesta investigação, cientistas das Universidades de Columbia, Tübingen, Arizona e Istambul perceberam que quanto mais humanos e animais existiam num determinado local, maior a concentração de sais no solo. Porquê? Porque todos eles sentem necessidade de urinar.

Assim sendo, segundo o New Atlas, a equipa recolheu 113 amostras de Aşıklı Höyük, que incluíam pilhas de lixo, tijolos, lareiras e terra, de todos os diferentes períodos de tempo. Os cientistas examinaram os níveis de sais de sódio, nitrato e cloro – todos eles presentes na urina.

Os níveis de sais de urina revelaram a história por trás da ocupação humana e animal em Aşıklı Höyük. Nas camadas naturais, antes de existir povoamento na região, muito pouco sal foi encontrado pela equipa.

No entanto, entre cerca de 10.400 e 10.000 anos atrás, os níveis de sal aumentaram ligeiramente, altura em que alguns humanos começaram a estabelecer-se na região. A partir daí, rebentou a ascensão: entre 10.000 e 9.700 anos atrás, os sais viram um enorme pico, o que indica um aumento similar no número de ocupantes. Depois disso, as concentrações entraram em declínio novamente.

Segundo os cientistas, este grande aumento sugere o início da domesticação de animais em Aşıklı Höyük. Através destes dados, os especialistas estimaram que, durante o período de 1.000 anos de ocupação, uma média de 1.790 pessoas e animais viviam diariamente naquela área. No seu auge, a densidade populacional terá atingido cerca de uma pessoa ou animal para cada 10 metros quadrados.

Os habitantes estimados pelos cientistas para cada período de tempo não podem ser todos humanos, uma vez que as casas encontradas no local indicam uma população menor. No entanto, a equipa afirma que as concentrações de sal podem ser uma ferramenta verdadeiramente útil para estudar a densidade de animais domésticos ao longo do tempo.

Esta técnica pode ser usada noutros locais, nomeadamente para ajudar a encontrar novas provas da densidade do assentamento humano. O artigo científico foi publicado no dia 17 de abril na Science Advances.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Em Chernobyl, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram para trás"

Chernobyl é, atualmente, a maior atração internacional da Ucrânia e o novo presidente, Volodymyr Zelenski, já apresentou um projeto para trazer ainda mais turistas. No entanto, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram …

Huawei afirma que a tecnologia 6G vai estar disponível daqui a 10 anos

O CEO da Huawei, Ren Zhengfei, assinalou, durante uma entrevista à CNBC, que a sua empresa está a trabalhar em redes móveis 6G, que estarão completamente desenvolvidas daqui a 10 anos.   "Trabalhámos em 5G e 6G …

Nazismo e comunismo classificados em pé de igualdade pelo Parlamento Europeu

No passado dia 19 de setembro, a União Europeia colocou comunismo e nazismo em pé de igualdade, depois de aprovar no Parlamento Europeu uma resolução condenando ambos os regimes por terem cometido "genocídios e deportações …

Conselho da Europa teme que polícia de Malta tenha “recusado provas” no caso da jornalista assassinada

Daphne Galizia era jornalista, acompanhava casos de corrupção no país e foi assassinada há dois anos. Pieter Omtzigt, relator do Conselho da Europa responsável pelo caso, diz que a abordagem da polícia e dos …

Itália quer mudar sede da final da Liga dos Campeões

A Itália quer que a final da Liga dos Campeões deste ano, marcada para o Estádio Olímpico Atatürk Olympic, mude de sede. Os últimos dias não têm sido fáceis para a UEFA. Depois dos incidentes racistas …

CNN coloca broa portuguesa entre os 50 melhores pães do mundo

A propósito das celebrações do Dia Mundial do Pão, que se celebra esta quarta-feira, a CNN fez uma lista com os 50 melhores pães do mundo e um deles é a broa portuguesa. A broa conhecida …

CP lança nova campanha: Lisboa-Porto por cinco euros e mais descontos até 80%

Há 10.300 bilhetes a custos muito reduzidos, anunciou a CP – Comboios de Portugal esta terça-feira. A nova campanha garante viagens nos comboios de longo curso Alfa Pendular e Intercidades “com 80% de desconto”, abrangendo …

"Níveis recorde". Glaciares suíços perderam 10% do seu volume nos últimos cinco anos

Os glaciares suíços perderam 10% do volume nos últimos cinco anos, a maior redução em cem anos, alertou esta terça-feira a Academia Suíça das Ciências. A Academia baseia-se nas medições feitas pelos peritos do painel intergovernamental …

Caso BPN. Relação condena dois dos absolvidos e agrava penas a outros dois

O Tribunal da Relação de Lisboa condenou esta quarta-feira dois dos três arguidos absolvidos no processo principal da falência do BPN, Ricardo Oliveira e Filipe Nascimento, e agravou as penas a dois dos 12 arguidos …

Operação Éter. Hermínio Loureiro entre as dezenas de autarcas arguidos

Hermínio Loureiro, ex-presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, está entre as dezenas de atuais e antigos autarcas que foram constituídos arguidos no âmbito da Operação Éter. Este processo levou à prisão preventiva do antigo presidente …