Extrair urânio do mar poderá permitir energia ilimitada

O Laboratório Nacional do Noroeste do Pacífico, dos EUA, em parceria com a LCW Supercritical Technologies fez um importante avanço para a indústria nuclear: descobriu um método económico para extrair urânio a partir da água do mar.

As energias renováveis são cada vez mais consideradas fontes de energia limpa. Pelo contrário, as energias não renováveis, como os combustíveis derivados do petróleo, são encarados como um verdadeiro perigo para a saúde do planeta.

Já as energias nucleares são apontadas como as principais na indústria, quando o assunto é produzir grandes quantidades de energia. Mas se este é um pró, o contra a ele associado é que este tipo de energia causa insegurança isto porque são utilizadas fontes de radiação no sistema de produção energético, uma autêntica dor de cabeça ecológica.

Mas esta discussão pode ganhar novos contornos com a descoberta feita pelo Laboratório Nacional do Noroeste do Pacífico (PNNL, na sigla em inglês), instituição de pesquisa ligada ao Governo dos Estados Unidos e pella LCW Supercritical Technologies.

Este novo processo utiliza fibras acrílicas de baixo custo e reutilizáveis e pode, um dia, tornar a energia nuclear ilimitada. Os investigadores conseguiram, durante uma experiência, extrair cinco gramas de urânio em pó da água do mar.

Além de sal, um litro de água do mar contém sulfatos, magnésio, potássio, brometo, flúor, ouro e urânio. No entanto, há apenas três microgramas por litro deste último elemento.

Todavia, se consideramos o quão grande é o oceano, o número torna-se 500 vezes mais do que poderia ser extraído em terra. Estamos a falar de 4 mil milhões de toneladas de urânio, o suficiente para operar mil reatores de fissão de 1 gigawatt (GW) durante 100.000 anos.

Mas como o retirar o urânio da água? Uma abordagem anteriormente desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa de Energia Atómica do Japão utilizava esteiras de polímero que extraíam os átomos da água do mar, mas a técnica era muito cara. Mais tarde, o Laboratório Nacional Oak Ridge, dos EUA, desenvolveu um processo com polímeros mais barato.

Agora, o PNNL e o LCW deram outro passo importante, utilizando fios acrílicos comuns e convertendo-os numa espécie de absorvente de urânio.

Embora os detalhes do processo não tenham sido divulgados, o PNNL afirmou que não só esta técnica funciona, como o acrílico pode ser limpo e reutilizado. Além disso, os cientistas afirmam ser possível usar fibras residuais para uma maior economia. Este último detalhe significa que a extração de urânio a partir da água do mar pode competir com a mineração a preços atuais.

Durante as experiências, os investigadores colocaram o fio acrílico em tanques cheios de água do mar. À medida que a água fluía, as fibras extraíam o urânio, lingando-o quimicamente a uma molécula. Finalizado este processo, o resultado foi cinco gramas do elemento.

“Para cada teste, colocamos cerca de 1 kg de fibra no tanque durante um mês e bombeamos a água do mar rapidamente, para imitar as condições do oceano”, explicou Gary Gill, investigador do PNNL. “Dos três primeiros testes, conseguimos cerca de cinco gramas. Pode não parecer muito, mas o processo pode vir a dar frutos”.

Além da extração de urânio, o PNNL acredita que esta técnica pode também ser usada para limpar cursos de água contaminados por metais pesados.

Agora, os investigadores querem encontrar financiamento para realizar testes em larga escala nas águas quentes do Golfo do México. Se a técnica resultar, a humanidade pode estar muito próxima de um dos maiores objetivos da alquimia antiga: encontrar uma fonte infindável de energia, acessível e segura.

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. “uma fonte de energia… segura”!!! Mas então agora a energia nuclear já não é “uma autêntica dor de cabeça ecológica”?!?!
    A quem gosta destas coisas recomendo uma pesquisa sobre “molten salt reactors” para tentar perceber porque a energia nuclear não é segura.

  2. … deviam referir a quantidade de água necessária nos tanques para extrair as tais 5 gramas, qualquer coisa como 1,6 milhões de litros! Nada a ver com a banheirinha da foto.

RESPONDER

Lar de Reguengos de Monsaraz diz ter feito tudo para salvar vidas

A direção do lar de Reguengos de Monsaraz (Évora) onde surgiu o surto de covid-19 que causou 18 mortos garantiu ter feito “tudo” ao seu “alcance” para “salvar vidas”, nesta “crise” com “contornos dramáticos”. A Fundação …

Israel fecha os olhos e deixa palestinianos cruzarem a fronteira para ir a banhos

As autoridades israelitas têm deixado milhares de palestinianos cruzar a barreira de separação entre os dois territórios para poderem ir às praias. Este foi um fim-de-semana muito especial para Siham e os seus cinco filhos. …

Diabéticos e hipertensos voltam a ter faltas justificadas

Os diabéticos e hipertensos sem condições para desempenharem funções em teletrabalho voltam a ter direito a justificar as faltas ao trabalho devido à pandemia de covid-19, segundo um diploma publicado em Diário da República. “Os imunodeprimidos …

Deputada da Coreia do Sul debaixo de fogo. Usou um vestido no Parlamento

Na semana passada, a deputada sul-coreana Ryu Ho-jeong usou um vestido numa assembleia legislativa, sendo bombardeada com críticas que gerou um debate sobre sexismo e a cultura patriacal do país. De acordo com a CNN, na …

SC Braga oficializa "top gun" Gaitán por duas temporadas

O internacional argentino Nicolas Gaitán assinou um contrato com o Sporting de Braga válido por uma época, com outra de opção, informou esta terça-feira o clube minhoto da I Liga de futebol. Formado no Boca Juniors, …

Vacina russa chama-se "Sputnik V" e foi já pedida por 20 países

A vacina russa contra a covid-19, cujo registo foi esta terça-feira anunciado pelo Presidente, Vladimir Putin, chama-se "Sputnik V", vai começar a ser fabricada em setembro e já foi encomendada por 20 países. De acordo com …

Rui Pinto no Twitter: "Travessia do deserto” terminou mas a “luta continua”

Rui Pinto assumiu que a “árdua e longa ‘travessia do deserto’” chegou ao fim, aludindo à sua libertação, mas avisou que “a luta continua”, pois Portugal “continua um paraíso para a grande corrupção” e branqueamento …

PJ deteve suspeita de atear fogo florestal no Parque Nacional da Peneda-Gerês

A Polícia Judiciária (PJ) de Braga deteve uma mulher de 57 anos suspeita de atear um incêndio florestal registado em 4 de agosto no Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), no concelho de Terras de Bouro. Em …

Mais duas mortes e 120 novos casos. Lisboa com 60% dos novos infetados

Portugal regista esta segunda-feira mais duas mortes, 120 novos casos de infeção por covid-19 e 160 curados em relação a segunda-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). O número de pessoas internadas é …

Encontrado cadáver com 30 anos em mansão abandonada em Paris

As obras de reforma numa mansão abandonada em Paris tiveram de ser suspensas inesperadamente depois de trabalhadores terem descoberto um cadáver a decompor-se na cave há 30 anos. De acordo com o jornal britânico The Guardian, …