Um em cada três casos de demência pode ser evitado (sem recorrer a medicamentos)

Um em cada três casos de demência pode ser evitado as pessoas cuidarem da saúde do cérebro ao longo da vida. Estima-se que 47 milhões de pessoas sofram desta doença no mundo e a expectativa é de que os casos cheguem a 131 milhões em 2050.

“Apesar de a demência ser diagnosticada mais tarde na vida, as mudanças no cérebro geralmente começam a ocorrer vários anos antes“, disse o autor principal do estudo, Gill Livingston, da University College London, acrescentando que “tomar medidas mais cedo irá melhorar bastante a vida de pessoas com demência e dos seus familiares, transformando o futuro da sociedade”.

O estudo, publicado no jornal científico The Lancet, combina o trabalho de 24 especialistas internacionais e revela que o estilo de vida de cada indivíduo tem um papel importante no risco de demência.

De acordo com o relatório da Comissão para a Prevenção e Cuidados da Demência da Lancet, os factores que contribuem para o risco de demência são: a perda de audição na meia-idade (9%), a não conclusão do ensino médio (8%), fumar (5%), a depressão (4%), o sedentarismo (3%), o isolamento social (2%), a obesidade e a diabetes (1%).

Esses factores de risco são evitáveis e representam 35% do total. Os outros 65% dos riscos de demência vêm de factores que não podem ser controlados pelo indivíduo.

O estudo examinou os benefícios de se construir uma “reserva cognitiva”, ou seja, fortalecer a rede neurológica no cérebro para que continue a funcionar bem na terceira idade. O aprendizagem contínua, por exemplo, estimula o desenvolvimento dessas redes, e é por isso que especialistas identificaram a a não conclusão do ensino médio como um dos maiores factores de risco.

Outro factor de risco é a perda de audição na meia idade, porque impede os indivíduos de fazerem parte de um ambiente cognitivamente rico, levando ao isolamento social e à depressão.

Uma das principais conclusões da investigação é que o que faz bem ao coração também faz bem ao cérebro. Não fumar, fazer exercício, manter o peso saudável, cuidar da pressão arterial e da diabetes pode reduzir o risco de demência da mesma forma que reduz o de doenças cardiovasculares e cancro.

Os especialistas não tinham dados suficientes para incluir factores de alimentação ou consumo de álcool nos cálculos, mas acreditam que ambos também sejam importantes.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Novos modelos de carros elétricos vão triplicar. Produção em Portugal "será praticamente inexistente"

O número de modelos de veículos elétricos irá triplicar no mercado europeu até 2021, mas a produção destes veículos em Portugal será praticamente inexistente até 2025, indica um estudo da Federação Europeia dos Transportes e …

Bruxelas investiga Amazon por alegado uso de dados pessoais de vendedores

A Comissão Europeia abriu, esta quarta-feira, uma investigação à Amazon para determinar se a empresa usou informações pessoais “confidenciais” de vendedores independentes, quebrando as regras comunitárias na área da concorrência. A Comissão Europeia abriu uma investigação …

Parlamento não sabe o que fazer ao Acordo Ortográfico

Depois de dois anos de meio, foram ouvidas 16 entidades, recebidos 20 contributos escritos, houve uma petição, um projeto de resolução chumbado e uma iniciativa legislativa de cidadãos. Mas a Assembleia da República continua sem …

Ministério da Educação quer reduzir peso excessivo das mochilas dos alunos

O Ministério da Educação lançou esta quinta-feira uma campanha para sensibilizar pais, alunos, professores e diretores escolares a adotar medidas que reduzam o peso excessivo das mochilas dos alunos. A campanha de sensibilização lançada esta quinta-feira …

Morreu o eurodeputado do PS André Bradford. Estava em coma induzido

O eurodeputado do PS André Bradford, que estava em coma induzido desde dia 8 deste mês, faleceu nesta quinta-feira no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, revelou à agência Lusa fonte do PS/Açores. Bradford, …

Crise dos opióides nos EUA: 76 mil milhões de comprimidos e 70 mil overdoses

Entre 2006 e 2012 foram distribuídos setenta e seis mil milhões de comprimidos de duas substâncias opióides, a oxicodona e a di-hidrocodeína. As mais de 70 mil registadas em 2017 representam um aumento para o …

Erosão da costa portuguesa é grave (e vai piorar)

As zonas da costa com ocupação humana são as mais atingidas pelos efeitos da erosão costeira em Portugal, uma situação que vai agudizar-se, apesar das medidas que têm sido tomadas e que custam anualmente milhões …

Oito pessoas sofreram intoxicação por cloro nas piscinas de Odivelas

Oito pessoas sofreram uma intoxicação por cloro na sequência de um derrame nas piscinas municipais de Odivelas, na manhã de quarta-feira. Quatro dos feridos – com reações a nível respiratório – receberam assistência no local e …

BE vai propor a despenalização da morte assistida

No programa eleitoral das próximas eleições legislativas, o Bloco de Esquerda vai voltar a propor a despenalização da morte assistida. Catarina Martins defende que se trata de uma decisão que "alarga o espaço da liberdade, …

Apresentador de TV suspeito de esquema à Dona Branca "refugiou-se" em Portugal

O apresentador de televisão norte-americano Clayton Morris, que trabalhou na Fox News, está a viver em Portugal, depois de ter sido acusado de montar um esquema semelhante ao caso da Dona Branca, a chamada banqueira …