Formigas presas há anos num bunker nuclear tornaram-se canibais para sobreviver

Wojciech Czechowski

Uma “colónia” de um milhão de formigas canibais presas há anos num bunker nuclear escaparam, anunciaram cientistas da Polónia.

As formigas, que não tinham outra fonte de alimento além de os seus companheiros mortos, foram descobertas em 2013.

Eram compostas apenas por formigas operárias, o que significa que não se podiam reproduzir. Porém, o seu número continuou a crescer – o que era um mistério.

De acordo com o estudo publicado na semana passada na revista especializada Journal of Hymenoptera Research, os investigadores analisaram a colónia para entender como funcionava e instalaram uma rota de fuga para ver se os seus membros deixariam asua casa se tivessem essa a opção.

A equipa, liderada por Wojciech Czechowski, do Museu e Instituto de Zoologia e da Academia Polaca de Ciências, estava a realizar uma pesquisa com morcegos que moravam num bunker nuclear soviético abandonado quando encontraram as formigas que moravam num antigo bunker onde armas eram mantidas.

De acordo com o Newsweek, as formigas não tinham acesso ao mundo exterior e pareciam ter vindo de um ninho posicionado sobre um cano de ventilação. Quando as formigas caíram no cano, ficaram no bunker.

No entanto, depois de voltar ao local dois anos depois, os cientistas descobriram que a colónia tinha crescido, apesar de não haver fonte de alimento, calor e luz. Uma estimativa da população sugeria que havia centenas de milhares, senão mesmo um milhão de formigas a viver no bunker.

As formigas são conhecidas por construir colónias em lugares incomuns. Já foram encontrados ninhos no chassi de um carro e dentro de uma caixa de madeira em completa escuridão. No entanto, em todos os outros casos, as formigas eram capazes de ir e vir.

“As massas de formigas-operárias presas no bunker não tinham escolha“, escreveu a equipa. “Estavam apenas a sobreviver e a continuar as suas tarefas sociais nas condições estabelecidas pelo ambiente extremo”.

Os cientistas decidiram analisar o seu comportamento. Instalaram um calçadão que levava a outro tubo de ventilação que as formigas podiam usar para escapar. Um ano depois, regressaram e descobriram que a colónia tinha desaparecido quase completamente.

Depois de ter uma rota de fuga, as formigas parecem ter regressado ao ninho original. Ao cair no tubo de ventilação, conseguiram voltar, sendo que o abrigo estava “deserto”.

A equipa inspecionou os cadáveres que foram deixados para trás e encontrou marcas de mordida e buracos, principalmente no abdómen. Segundo os investigadores, isso prova que as formigas estavam a comer os companheiros de ninho para sobreviver.

“A sobrevivência e o crescimento da colónia ao longo dos anos, sem produzir filhos, foi possível devido ao suprimento contínuo de novas formigas do ninho superior e à acumulação de cadáveres de companheiros de ninho”, concluiu a equipa. “Os cadáveres serviram como uma fonte inesgotável de alimento, o que permitiu a sobrevivência das formigas presas em condições extremamente desfavoráveis”.

Os cientistas disseram ainda que este caso mostra que as formigas conseguem manter a auto-organização “mesmo em condições que vão muito além dos limites de sobrevivência da espécie”. auto-organização “mesmo em condições que vão muito além dos limites de sobrevivência da espécie”, acrescentaram.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Isto está tão bem explicado que não percebo se percebi.

    As formigas não se reproduziram, apenas havia um cano por onde iam caindo as formigas da colónia. Depois de caírem por esse cano para dentro do bunker já não conseguiam sair. Sobreviviam comendo outras formigas. Não percebi se comiam outras formigas só depois destas morrerem ou se também as matavam para as comer.

    Não havia escolha.
    Não há nenhum caso de organização.
    Apenas pura sobrevivência.

    Se percebi bem, não há aqui nenhum caso de formigas a construirem colónias em lugares incomuns nem nenhuma conclusão científica a retirar da história..

  2. Este artigo não faz qualquer sentido! Então, na impossibilidade de se reproduzirem, caíram mais de um milhão de formigas no buraco, para além das que obviamente foram necessárias para alimentar esse milhão?

RESPONDER

Parker Solar Probe lança nova luz sobre o Sol

Em agosto de 2018, a Parker Solar Probe da NASA foi lançada para o espaço, tornando-se pouco tempo depois a sonda mais próxima do Sol. Com instrumentos científicos de ponta para medir o ambiente em …

Encontrado no mar das Malvinas navio alemão da I Guerra Mundial 105 anos depois de naufragar

O naufrágio de um cruzador alemão da I Guerra Mundial foi identificado nas Ilhas Malvinas, onde foi afundado pela Marinha britânica há 105 anos. O SMS Scharnhorst foi o principal ativo da esquadra alemã na Ásia …

Boavista 1-4 Benfica | Águia goleia no xadrez do Bessa

O Benfica deu o pontapé de saída da 13ª jornada com uma vitória competente na visita ao Boavista, por 4-1. Num jogo potencialmente perigoso para as aspirações “encarnadas”, frente a um adversário com somente uma derrota …

Cientistas desenvolvem técnica para determinar o humor através da caligrafia

Uma equipa de cientistas estudou a biomecânica dos movimentos das mãos a escrever e a desenhar, e desenvolveu um método para avaliar as propriedades individuais da velocidade de escrita e da pressão do lápis no …

Quase seis mil denúncias de agressões sexuais em viagens da Uber nos EUA

A plataforma de transporte de passageiros Uber divulgou na quinta-feira um relatório, revelando quase seis mil denúncias de agressões sexuais a utilizadores, motoristas e terceiros nos Estados Unidos (EUA), em 2017 e 2018. No relatório de …

Polícia de Los Angeles vai usar dispositivo "ao estilo Batman" para prender suspeitos

A polícia de Los Angeles, nos Estados Unidos, vai adotar, no início do próximo ano, um novo dispositivo, conhecido como BolaWrap 100, que dispara um cinto de fibra sintética a uma velocidade de 200 metros …

Corriere dello Sport defende-se das acusações e garante ser "inimigo do racismo"

O jornal desportivo italiano Corriere dello Sport afirmou esta sexta-feira ser “inimigo do racismo”, defendendo-se das críticas motivadas pela manchete de quinta-feira, com o título “Black Friday” e ilustrada com os futebolistas negros Romelu Lukaku …

Alisadores e tintas para cabelo podem aumentar o risco de cancro da mama

Alisadores e tintas para cabelo são dois produtos comummente utilizados por mulheres. Um novo estudo sugere que estes podem aumentar o risco de cancro da mama, especialmente em mulheres negras. Muitos produtos capilares contêm compostos que …

Black Friday. Marca de cosméticos oferece por engano desconto de 96% e perde 10 milhões em duas horas

Uma falha no site oficial da marca de produtos cosméticos Foreo fez com que o seu artigo mais caro fosse vendido com um desconto de 96%, fazendo com que a empresa sueca perdesse 10 milhões …

Camisola usada por Pelé no seu último jogo foi vendida por 30 mil euros em leilão

Uma camisola usada por Pelé no seu último jogo com a seleção brasileira foi vendida por 30 mil euros num prestigiado leilão de objetos desportivos, realizado na quinta-feira em Turim, Itália. A camisola com o número …