Um em cada cinco russos é “parente” da Rainha Isabel II

Facundo Arrizabalaga / EPA

A Rainha Isabel II

Um estudo realizado por uma empresa russa apurou que um quinto da população da Rússia tem laços genéticos com a família Real britânica, os Windsor, a que pertence a Rainha Isabel II.

O estudo, realizado pela empresa russa Genotek, apurou que 20% da população do país está geneticamente relacionada com a monarca britânica, com Maria de Medici, que foi Rainha de França, e com os filhos de Nicolau II, o último Imperador da Rússia que foi casado com a Imperatriz Alexandra Fedorovna, neta da Rainha Victoria de Inglaterra.

A investigação teve por base o chamado ADN mitocondrial, “um segmento do genoma contido nas “estações energéticas” da célula”, que é transmitido das mães aos filhos, explica a agência russa Sputnik, que divulga a pesquisa.

Os geneticistas conseguiram assim, estabelecer laços de parentesco entre 20% da população russa e a Família Real britânica, através da partilha em comum do chamado haplogrupo H, um grupo mitocondrial.

“Os investigadores sublinham que a presença de tais laços não significa que uma pessoa seja descendente directa, por exemplo, de Gengis Khan ou de Reis da antiguidade”, dizem os investigadores.

Um haplogrupo comum na linha masculina ou feminina não é mais do que um indicador que demonstra que os seus representantes têm um pai comum ou uma mãe comum que pode ter vivido há milhares de anos ou até há dezenas de milhares de anos antes do aparecimento de dirigentes célebres e dos seus “descendentes” contemporâneos”.

Nicolau II era parente próximo de muitos monarcas europeus, designadamente dos  Windsor e do Kaiser alemão Wilhelm II.

“Depois da Revolução Bolchevique e do subsequente caos social, estes genomas podem ter-se espalhado de forma alargada entre a população russa, o que explica a sua presença em 20% dos russos contemporâneos”, aponta por seu lado o jornal chinês Global Times.

A pesquisa apurou também que, pelo lado paterno, 25% dos russos partilha o haplogrupo R1a1 que apareceu há cerca de 10 mil anos, na região a norte do Mar Cáspio, e que se encontra no ADN de figuras como o explorador inglês Sir Francis Drake e como o Rei Willem-Alexander da Holanda.

Um estudo anterior da Genotek já tinha apurado que apenas 16,2% dos russos actuais carregam o genoma dos povos originais da Rússia, que viveram no país há séculos atrás.

Para realçar como esta área de investigação é fascinante, o CEO da Genotek, Valery Ilinsky, aponta que, há 3 anos, a empresa fez “um teste de ADN a Vladimir Zhirinovsky“, um dos mais proeminentes políticos da Rússia da actualidade, e detectou que o político “tem ancestrais comuns com Napoleão e Einstein“.

“Um dos haplogrupos de Zhirinovsky, E1b1b1, é bastante interessante – também se encontra no ADN de Adolf Hitler, Vlad Tepes (também conhecido como Vlad, o Empalador ou Drácula) e Benito Mussolini“, explica Ilinsky citado pelo Global Times.

ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Que novidade!
    .
    Papita-me que somos todos parentes uns dos outros, mas por um qualquer preconceito que não consigo entender, todos acham que o seu pedigree é muito mais puro que o do rafeiro ao lado.

  2. Pois, eu tenho uma revelação muito mais bombástica!
    A não ser que a vida tenha surgido em momentos distintos, somos todos parentes, incluindo mesmo todas as espécies de animais, plantas, fungos…etc.
    Contudo, sublinho que a presença de tais laços não significa que sejamos todos descendentes directos dos mesmos progenitores, os nossos antepassados comuns podem ter vivido há milhares de anos ou até há dezenas de milhares de anos.

    Nota: Dou liberdade à imprensa para noticiar livremente esta revelação.

  3. E qual o intuito desta notícia? Na prática, qual o efeito desta descoberta? Ah, barulho, ruído. Percebi. Quando não se tem nada melhor para fazer….

      • Lol. A crítica era para quem fez o estudo…mas se a carapuça serviu de alguma forma, lamento.
        De qq forma uma notícia tem que ter um intuito, causar algum efeito na pessoa que a lê. Saber desta noticia ou não saber é igual. Se por acaso aguém no meio de um grupo de pessoas abordar este tema, penso que a primeira reacção será “e?…”

        • Caro Zabist,
          Se a crítica era para o estudo, deveria ter escrito “qual o intuito deste estudo”, e não “qual o intuito desta notícia”.
          Se fizemos esta notícia, foi porque nela, ao contrário de si, lhe encontrámos bastante interesse. É uma notícia peculiar, curiosa, inesperada, mas perfeitamente sólida, que nos enriquece (como leitores) com mais uma porção de conhecimento – como o são muitas das notícias de ciência que o ZAP dá, e que sabemos que a maior parte dos nossos leitores gostam de ler.
          Lamentamos que a notícia não lhe tenha “causado nenhum efeito”. Está no seu direito de não perceber o interesse da notícia, e, perceba isto, está no seu direito de criticar a sua exactidão ou até interesse.
          Não está é no direito de questionar o seu intuito.
          Mas há uma coisa tão intolerável para nós como alguém questionar porque razão fazemos uma qualquer notícia.
          É questionar porque é que alguém tomou a iniciativa de fazer um estudo científico.
          Porque a ciência não se fez de estudos grandiosos pré-alinhavados no caminho das grandes descobertas.
          A ciência fez-se dos milhões de pequenos estudos que seguiram outros pequenos estudos que alguém se lembrou de fazer porque sim, porque os cientistas são essencialmente curiosos que não conseguem deixar a sua curiosidade por satisfazer.
          E se os cientistas dessem ouvidos a quem quer que seja que se lembrasse de lhes perguntar “qual o intuito desse estudo”, hoje ainda viveríamos na idade das trevas.

RESPONDER

9886 casos confirmados e 246 vítimas mortais em Portugal

O boletim epidemiológico da DGS desta sexta-feira revela que há mais 852 infetados pelo coronavírus em Portugal. face ao dia anterior. O número de vítimas mortais é agora de 246. Segundo o Relatório da Direção Geral …

Donos da ANA adiam investimentos e deixam Montijo em risco

O grupo Vinci Airports, que controla a gestora aeroportuária nacional, vai adiar investimentos e o novo aeroporto do Montijo poderá ser uma das baixas. Como seria de esperar, a pandemia de covid-19 está a ter um …

Bancos com mil milhões de euros em pedidos de moratórias em média numa semana

Uma semana depois de a legislação da moratória pública ter entrado em vigor, os bancos nacionais já têm uma estimativa do número de pedidos de particulares e de empresas. De acordo com o Jornal Económico, os …

Idosos em lares infetados vão mudar-se (e podem ir para outros concelhos)

Na sequência do aumento de números de casos confirmados de covid- 19 nos lares, o Governo pretende “encontrar equipamentos alternativos” para alojar idosos, em isolamento profilático e que não precisem de tratamento hospitalar, dentro ou …

Apesar da pandemia, juiz Carlos Alexandre marca sessões do caso Tancos para abril

O juiz Carlos Alexandre marcou o interrogatório do principal arguido do processo relativo ao furto das armas de Tancos, João Paulino, para dia 21 de abril. De acordo com um despacho datado de 1 abril, citado …

Conceição pode estar de saída. FC Porto oferece 5 milhões por ano a Jesus

O treinador portista, Sérgio Conceição, pode estar de saída para a Alemanha. Como alternativa, o FC Porto está disposto a pagar 5 milhões de euros por ano a Jorge Jesus. Sérgio Conceição pode estar de saída …

Estado paga subsídio de refeição em teletrabalho. No privado, os patrões estão confusos

Mesmo à distância, os funcionários públicos mantêm o direito ao subsídio de refeição. No privado, a confusão mantém-se e os patrões estão divididos. De acordo com o secretário-geral da UGT, alguns patrões do privado estão a …

UEFA não quer campeonatos a seguir o exemplo belga

A UEFA reprovou a decisão da Liga de futebol da Bélgica que, esta quinta-feira, recomendou que se dê por terminada a época e se atribua o título ao Club Brugge.  Numa carta conjunta com a Associação de Clubes …

Boris Johnson em cheque. Desta vez, por causa da quantidade ínfima de testes

A pandemia de covid-19 está a ser um calvário político para Boris Johnson. O primeiro-ministro britânico tem sido alvo de várias críticas, sendo que a última tem a ver com a quantidade ínfima de testes …

EUA com pior recorde mundial diário de mortes. 10 milhões perderam o emprego

Os Estados Unidos registaram, esta quinta-feira, 1169 mortes em 24 horas causadas pela covid-19, o pior recorde mundial diário, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins. O número recorde de mortes em 24 horas …