Depois de um ano atarefado, Isabel II aumenta salário de 400 funcionários (e dá-lhes mais um dia de férias)

Após 12 meses intensos – com dois casamentos reais e dois novos bebés para o Windsor – é a hora da Rainha Isabel II compensar os seus funcionários.

2018 foi um ano que teve um ritmo acelerado dentro da Casa Real Britânica: o nascimento do príncipe Louis, o casamento em maio do príncipe Harry e Meghan Markle, o contacto de Beatrice de York em outubro, uma primeira visita de Donald Trump e o 70º aniversário de Carlos da Inglaterra.

Mas 2019 não está a ser muito menos ocupado: além de todos os eventos regulares, os duques de Sussex receberam o pequeno Archie Harrison em maio e, em junho, o presidente dos Estados Unidos fez uma segunda visita de estado.

Agora, os funcionários reais vão ser finalmente recompensados ​​pelo trabalho árduo realizado durante todos esses últimos meses. Na noite de terça-feira, o jornal The Sun informou que, a título de agradecimento e compensação, a rainha da Inglaterra deu um aumento salarial oficial de até 4%, juntamente com um dia de férias pago extra. “É o melhor aumento que tivemos em anos”, disse uma fonte real à media britânica.

O referido aumento salarial será efetivo a partir do mês de abril e será aplicado apenas aos funcionários que obtiverem uma renda económica anual inferior a 56.375 libras (o equivalente a 62 mil euros), que no total totaliza cerca de um terço dos 1.200 pessoas que trabalham a cargo do Soberano Inglês no Palácio de Buckingham, Castelo de Windsor, Castelo de Balmoral e Sandringham.

Além do filtro de renda anual mínimo, será aplicado o desempenho favorável do seu trabalho. Todo o pessoal mencionado receberá um aumento de 1,5% sobre o IPC. No entanto, esse percentual pode ser aumentado em mais 2,5% para aqueles que receberam um relatório de avaliação positivo dos seus superiores: lacaios, criados, mordomos, auxiliares de câmara – até um total de 400 pessoas.

A fonte real também confessou que a insatisfação e o desconforto entre os funcionários de Isabel II aumentaram cada vez mais nos últimos anos. É que os funcionários da família real britânica perderam certos privilégios associados ao seu status de trabalho como compensação pela sua fidelidade à rainha. Entre eles: ocupar salas gratuitas no palácio, sabonetes grátis e guardar os restos de vinhos e sobras depois dos banquetes do Estado.

De acordo com o jornal espanhol La Vanguardia, a rainha Isavel II acaba de revalidar o seu título honorário como a mais popular entre a realeza britânica. Preparada pela YouGov por meio de consultas a 9.400 pessoas, sobe para o primeiro lugar com 72% de votos positivos, embora apenas um ponto acima do príncipe Harry. Os seus súbditos dizem que ela é “admirável, trabalhadora, respeitada, digna e dedicada”.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Aumento salarial exigido por Jesus deixa renovação por um fio

A cumprir a segunda temporada no Flamengo, Jorge Jesus quer um aumento salarial. No entanto, o Flamengo não terá capacidade financeira para responder às suas exigências. A renovação do contrato de Jorge Jesus no Flamengo está …

Já há 100 mortos por Covid-19 em Portugal. Infectados sobem para 5170

O número de pessoas infectadas com o coronavírus em Portugal subiu para 5170. São 902 novos casos confirmados nas últimas 24 horas, o que representa um acréscimo de 21%. Já morreram 100 pessoas.  A taxa de mortalidade …

Trump invoca lei de guerra para conseguir mais ventiladores

Donald Trump invocou uma lei de guerra para obrigar a General Motors a fabricar ventiladores. Os Estados Unidos são o país com o maior número de infetados em todo o mundo. Os Estados Unidos tornaram-se nesta …

Jackson Martínez recorda penálti falhado: "Adeptos do Benfica pensam que me vendi"

Os adeptos do Benfica não esquecem o penálti falhado por Jackson Martínez frente ao FC Porto, esta temporada. O golo teria colocado o Portimonense na frente do marcador. Em entrevista ao jornal Record, o avançado do …

"Solidariedade não é dar dinheiro." Holanda finca o pé e até critica Itália por "internar os mais velhos"

Há um novo braço-de-ferro na União Europeia (UE) entre os países do Norte e do Sul. Tudo por causa dos famigerados "coronabonds", instrumentos de dívida comum que países como Portugal, Espanha e Itália defendem para …

Vaga de doentes graves nas urgências poderá deixar SNS "inacessível"

Uma vaga de doentes graves às urgências, a juntar a cirurgias e consultas reagendadas, pode vir a deixar o SNS "inacessível" no futuro, alerta o presidente da Associação de Administradores Hospitalares. As idas à urgência nas …

CDS quer cheque de emergência para empresas encerradas

Uma das medidas, apresentadas por Francisco Rodrigues dos Santos, é a atribuição, às pequenas e médias empresas “encerradas ou com a actividade suspensa, um cheque de emergência no valor máximo de 15 mil euros”. O CDS …

Espanha regista 832 mortos nas últimas 24 horas. É o dia mais mortífero no país

A Espanha registou, nas últimas 24 horas, 832 mortos com o novo coronavírus, o maior número de vítimas mortais num só dia, elevando o balanço total para 5.690, de acordo com a última atualização das …

"O Brasil não pode parar". Bolsonaro compra campanha contra o isolamento social

Jair Bolsonaro gastou cerca de 800 mil euros numa campanha contra o isolamento social com o mote "O Brasil Não Pode Parar". O presidente brasileiro tem desvalorizado a pandemia de covid-19. Face à pandemia de covid-19, …

Crise leva Costa a reforçar intenções de voto. Ventura chega ao quarto lugar

Na mais recente sondagem às intenções de voto, os portugueses mostram estar de confiança reforçada em António Costa. O Chega ganha força e chega ao quarto lugar. Numa sondagem que apenas capta os primeiros dias do …