/

Tunísia lança crowdfunding para salvar Mos Espa, a terra de Anakin

1

kuritita / Flickr

Panorama de Mos Espa, a terra do menino Anakin Skywalker

Panorama de Mos Espa, a terra do menino Anakin Skywalker [clique para ampliar]

A Tunísia anunciou esta terça-feira o lançamento de uma campanha internacional de angariação de fundos para salvar um dos cenários do épico de ficção científica “A Guerra das Estrelas”, localizado no deserto do Saara e atualmente ameaçado pelas dunas.

O cenário em questão está localizado nas dunas de Ong Jmel, no sul da Tunísia, e retrata Mos Espa, cidade onde morava o jovem Anakin Skywalker, que se transformou posteriormente na personagem Darth Vader.

É um local de culto para os numerosos fãs da saga “Star Wars – A Guerra das Estrelas”.

O Ministério do Turismo tunisino, em parceria com algumas organizações, lançou a campanha “Save Mos Espa” (“Salvar Mos Espa”) que pretende angariar cerca de 300.000 dinares tunisinos (cerca de 137.000 euros) para limpar o local e reabilitar algumas estruturas que apresentam fissuras por causa da areia.

“Mos Espa está localizada numa região com muito vento, ameaçada por dunas móveis que se deslocam sob o efeito do vento a uma velocidade de 15 metros por ano. Uma duna já soterrou mais de 10 por cento do local”, explicou, em declarações à comunicação social, Nabil Gasmi, da Câmara de Desenvolvimento para o Turismo em zonas de deserto, uma das organizações envolvidas na iniciativa.

“Já conseguimos remover 8.000 metros cúbicos de areia em 12 dias. Infelizmente algumas partes já começaram a desmoronar-se”, acrescentou o representante, durante uma conferência de imprensa.

O Estado tunisino avançou com 160.000 dinares tunisinos (cerca de 73 mil euros) para lançar os trabalhos de reabilitação, bem como está a promover uma plataforma de financiamento participativo (‘crowdfunding’) para conseguir reunir cerca de 45 mil dólares (cerca de 32 mil euros). O restante montante será financiado por mecenas e doações.

“Qualquer operação [de limpeza] é forçosamente temporária, porque é uma área viva”, disse Fahmi Houki, representante do Ministério do Turismo tunisino, salientando que estes trabalhos de remoção poderão dar uma “trégua” de oito a 10 anos ao local.

Esta operação faz parte da estratégia traçada pelo Ministério do Turismo tunisino, em colaboração com a sociedade civil, para transformar o sul da Tunísia, “uma área pouco valorizada”, “num dos polos do turismo em 2014”.

/Lusa

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE