Trump publicou (mesmo) imagem secreta

Stefani Reynolds / EPA

Imagem de satélite espião era secreta, supostamente. Anterior presidente dos EUA terá acumulado mais de 300 documentos ultra-secretos em sua casa.

Donald Trump publicou uma imagem no Twitter, em 2019.

Seria apenas mais uma entre dezenas ou centenas de publicações do então presidente dos Estados Unidos da América, naquele ano.

Mas esta em particular não foi apenas “mais uma” publicação, mais uma imagem.

O texto era – mais um – em tom de provocação e de tentativa de humor, dirigido ao Irão, após o falhanço no lançamento de um foguete, que explodiu pouco antes de ser lançado.

“Os EUA não estiveram envolvidos no acidente catastrófico durante os preparativos finais para o lançamento do Safir SLV Launch no Semnan Launch Site One no Irão. Desejo boa sorte ao Irão, para determinar o que aconteceu no Site One”, escreveu o então presidente.

O texto acompanhava uma imagem de satélite, que mostrava o local onde foi realizada essa tentativa de lançamento do foguete iraniano.

Logo na altura, analistas de segurança internacional avisaram que aquela imagem, provavelmente, não deveria ter sido publicada.

A fotografia era de alta qualidade, de uma nitidez superior às imagens que costumam ser partilhadas pelos outros satélites conhecidos.

Três anos depois, a Agência Nacional de Inteligência Geoespacial confirmou: a imagem era secreta e foi captada a partir de um satélite espião dos EUA.

Esta admissão foi agora possível porque a Agência desclassificou a imagem. Ou seja, deixou de ser considerada confidencial, secreta.

O satélite chama-se EUA 224, que o Escritório Nacional de Reconhecimento dos EUA colocou no Espaço há 11 anos.

O presidente dos EUA tem o poder de desclassificar documentos – mas tem de avisar, comunicar, pelos meios adequados (e não publicar sem avisar numa conta com 80 milhões de seguidores).

Donald Trump, que vai tentar ser novamente presidente em 2024, está a ser investigado pelo FBI. Terá acumulado mais de 300 documentos secretos em sua casa.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.