Três asteróides “gigantes” vão passar pela Terra este sábado

ESO

Três asteróides vão passar próximo do nosso planeta este sábado, com apenas algumas horas entre eles.

De acordo com os dados da lista de Near Earth Objects da NASA, o primeiro asteróide, chamado 2018 VS1, vai passar por volta das 14h03 de sábado.

Astrónomos da agência espacial norte-americana estimam que este asteróide mede entre 13 a 28 metros – 2,5 vezes mais que o tamanho de um típico autocarro londrino de dois andares, ou 5 vezes mais alto que uma girafa.

A NASA estimou que o asteróide chegará tão perto como 0,00927 unidades astronómicas, o que se traduz em 1,38 milhões de quilómetros da Terra – algo como 3,6 vezes a distância do nosso planeta à Lua.

Depois da passagem do VS1, aparecerá o VR1, que atingirá o ponto mais próximo da Terra às 14h19. Este segundo asteróide, que terá o mesmo tamanho e velocidade que o VS1, passará a uma distância maior – 5,03 milhões de quilómetros.

O tamanho deste segundo asteróide é muito próximo do do primeiro: está estimado entre os 14 e os 30 metros.

Mais tarde, às 18h21, passa pela Terra o VX1. Este é o mais pequeno dos três asteróides, com cerca de 7,6 a 17 metros (a altura de um prédio de 4 andares), mas é o que passa mais perto do nosso planeta, a apenas 381.474 quilómetros, mais ou menos a distância da Terra à Lua – um fio de cabelo, na escala das distâncias astronómicas.

O primeiro asteróide vai passar pela Terra pela primeira vez em 5 anos. Já o segundo, de acordo com os cálculos da NASA, fará este sábado a sua primeira e última aproximação ao planeta azul.

A NASA explica que “enquanto orbitam o Sol, os Objetos Próximos da Terra podem ocasionalmente aproximar-se da Terra”. A agência relembrou que “uma passagem próxima em termos astronómicos pode ser uma grande distância em termos humanos: milhões ou até milhares de milhões de quilómetros”.

Os “Objetos Próximos da Terra”, ou Near Earth Objects, são todos os asteróides e cometas com uma trajetória menor que 194.47 milhões de quilómetros. Muitos destes objetos são classificados como “Objetos Potencialmente Perigosos” se se aproximarem a menos de 7,47 milhões de quilómetros do planeta Terra.

ZAP // Express / RT

PARTILHAR

16 COMENTÁRIOS

    • Se a sua depressão pertence à classe dos tricíclicos, aconselho os fármacos: Imipramina, Clomipramina, Amitriptilina e Nortriptilina; se a sua depressão pertence à classe dos Inibidores seletivos da recaptação da serotonina, aconselho os fármacos: Fluoxetina, Paroxetina, Citalopram, Escitalopram e Sertralina; se a sua depressão pertence à classe dos Inibidores da recaptação da serotonina e da noradrenalina, aconselho os seguintes fármacos: Venlafaxina, Duloxetina e Mirtazapina. Mas atenção, primeiro deve aconselhar-se com o seu clínico psiquiatra pois todos estes medicamentos têm efeitos secundários que podem agravar ainda mais a sua depressão.As melhoras.

  1. “Três asteróides “gigantes””….em que o maior deles poderá ter no maximo 30 metros de diametro??????
    E se tivessem 2 ou 3 km como se designariam???? Este Zap de vez em quando delira.

  2. Aqui em Ubaporanga tambem deu. Levei um susto.Achei que tinha dado alguma batida de carros na br moro perto.

  3. Interessante como pensamos sempre com a Terra como referência, mas e a Lua? Se fosse alvo de um asteroide monstruoso, o que seria de nós?

  4. 30 metros já é muito perigoso para nosso planeta, esses objetos chegam a milhares de quilômetros por hora, agora pensa em um impacto numa cidade com uma grande população, será uma tragédia !

RESPONDER

Afinal, Vénus pode não ser tão semelhante à Terra como pensávamos

Uma nova investigação questiona a habitabilidade de Vénus, planeta que os cientistas consideram há pouco tempo numa outra investigação poder ter um clima habitável semelhante ao da Terra. De acordo com a nova investigação, cujos …

Há gelo no polo sul da Lua e pode ter muitas fontes

Um novo estudo sugere que o gelo encontrado na superfície lunar pode ter milhares de milhões de anos, além de ter surgido de diferentes fontes. O estudo, publicado recentemente na Icarus, sugere que a maioria do …

A Evolução mostra que podemos ser a única forma de vida inteligente no Universo

As reduzidas probabilidades que acompanham a nossa evolução ao longo da história podem ser uma pista que talvez sejamos a única forma de vida inteligente no Universo. Será que estamos sozinhos no Universo? Tudo se resume …

A China está a usar a educação como arma para controlar o Tibete

A China quer obrigar crianças tibetanas a abandonarem as escolas da região e mudarem-se para escolas chinesas. O objetivo, segundo uma especialista, é "tirar o tibetano da criança". A batalha geopolítica entre a China e o …

Revelada explosão violenta no coração de um sistema que alberga um buraco negro

Uma equipa de astrónomos, liderada pela Universidade de Southampton, usou câmaras de última geração para criar um filme com alta taxa de quadros de um sistema com um buraco negro em crescimento e a um …

"É altura de dizer basta". Sporting corta com as claques

O Sporting rescindiu “com efeitos imediatos” os protocolos que celebrou em 31 de julho com a Associação Juventude Leonina e com o Diretivo Ultras XXI – Associação, anunciou hoje o clube, devido à “escalada de …

Poluição atmosférica associada a abortos espontâneos

Elevados níveis de poluição atmosférica foram associados a abortos espontâneos num estudo feito com mulheres grávidas a viver e trabalhar em Beijing, na China. A China é um dos países que mais sofre com a poluição …

Empresas espanholas dominam obras públicas na ferrovia

As empresas espanholas dominam as obras públicas na ferrovia em Portugal, ascendendo a sua quota a 70%, avança o Expresso na sua edição deste sábado. Para presidente da Associação de Empresas de Construção e Obras …

Cada vez mais mulheres denunciam abusos médicos durante o parto

Um número crescente de mulheres tem vindo a denunciar casos de abuso durante o trabalho de parto. No entanto, pouco está a ser feito para mudar isto. Durante o parto, as mulheres ficam numa posição vulnerável …

Já podemos explorar "Melckmeyd", naufrágio holandês do século XVII

Nas profundezas do Oceano Atlântico, perto da costa da Islândia, encontram-se os destroços de um navio holandês que afundou há 360 anos, no qual agora podemos "mergulhar" graças a uma experiência de realidade virtual. Quando a …