Treinou Rúben, Renato e Félix: “Agora é fácil sacar dos galões, como outros”

Manuel de Almeida / Lusa

Hélder Cristóvão vai orientar uma equipa da Arábia Saudita. Antigo defesa acha estranho ainda não ter sido treinador na I Liga portuguesa.

Al-Hazm é o próximo destino de Hélder Cristóvão. O treinador vai liderar pela terceira vez uma equipa da Arábia Saudita, depois de passagens por Al-Nassr e Al-Ettifaq, em 2018/19.

Mas este projeto é diferente dos anteriores: “Este Al-Hazm é um projeto totalmente diferente, é um clube que sobe e desce. Este ano foi-me pedido pelo presidente estabilizar o clube na I Liga, ajudar a mudar o perfil do jogador”.

“Eles apostam muito nos jogadores africanos, na transição e na velocidade, mas, a meu ver, têm pouca decisão. Vamos apostar mais num perfil europeu e em jogadores com perspetiva de venda”, analisou o técnico em entrevista no programa Linha de Golo.

Hélder considera que fez um bom trabalho no Al-Nassr, onde foi diretor e coordenador da formação, além de ter sido treinador principal. A sua passagem pelo Al-Ettifaq foi “um pouco à moda da Arábia. Ou seja, fui emprestado para fazer dois jogos“, explicou.

A última experiência do antigo internacional português foi na Eslováquia, ao serviço do FC DAC 1904 Dunajská Streda. Treinar na I Liga portuguesa…é que ainda não: “Portugal não aconteceu porque não me deram oportunidade para treinar na I Liga, estranhamente, porque vim de um período no Benfica B de cinco anos com 220 jogos, mas não se deu a transição para a I Liga”.

“Não sei se foi por culpa minha, porque quis fazer mais dois anos na equipa B do Benfica. Era a minha formação como treinador, mas acho que no futuro vai acontecer”, acredita.

Enquanto liderou o Benfica B, entre 2013 e 2018, Hélder Cristóvão cruzou-se com jogadores como Rúben Dias, Renato Sanches ou João Félix – hoje estão todos no Euro 2020 e foram todos campeões nacionais na última temporada, respetivamente em Inglaterra, França e Espanha.

“Sinto-me muito feliz e orgulhoso, não só por ter feito parte do crescimento deles, mas também por ver que aconteceu aquilo que idealizámos para eles. É um bocado fácil sacar agora dos galões, como muita gente o faz, mas essencialmente o mérito tem de ser dado ao Benfica, pela sua visão”, afirmou Hélder.

Nuno Teixeira, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Descoberto antídoto contra agentes nervosos tipo Sarin e Novichok

Uma equipa do Laboratório Nacional Lawrence Livermore (LLNL), nos Estados Unidos, desenvolveu um antídoto que neutraliza a exposição ao envenenamento por agente nervoso. O estudo, que foi publicado na revista Scientific Reports, foi o resultado de …

Marte sobreviveu a super-erupções (que libertaram "oceanos" de poeira e gases tóxicos)

A região de Arabia Terra, situada no norte de Marte, já foi palco de erupções suficientemente potentes para libertar "oceanos" de poeira e gases tóxicos no ar.  A NASA confirmou, recentemente, que uma região do norte …

Vulcão, La Palma

O Cumbre Vieja também tem negacionistas. "É tudo orquestrado"

Nos últimos dias, as redes sociais têm-se tornado o palco dos "negacionistas dos vulcões" que defendem que, por trás da erupção do Cumbre Vieja, há mão humana. Nas redes sociais já há negacionistas do vulcão Cumbre …

Selecção da Lituânia falhou os Mundiais porque...chegou atrasada

Per Strand venceu, António Morgado ficou em sexto, mas os ciclistas da Lituânia acabaram por marcar a prova de estrada de juniores, nos Mundiais em Flandres. Per Strand Hagenes é o novo campeão mundial júnior de …

Gil Vicente 1-2 Porto | Dragão canta de galo com dois golaços

Foi sofrer até ao fim. Sérgio Conceição tinha alertado que não seria fácil bater o Gil Vicente e foi isso que ocorreu na noite desta sexta-feira em Barcelos. O FC Porto apenas a um minuto dos …

Na II Guerra Mundial, um erro "humilhante" destruiu dois imponentes navios de guerra da Marinha Real

No dia 10 de dezembro de 1941, os japoneses afundaram os imponentes Prince of Wales e Repulse. A culpa foi do almirante Thomas Phillips que, na sequência de um "erro humilhante", acabou também por falecer. Winston …

O robô Atlas, da Boston Dynamics, faz parkour (e até dá um mortal para trás)

O Atlas é, sobretudo, um projeto de investigação: um robô que ajuda os engenheiros da Boston Dynamics a trabalhar em melhores sistemas de controlo e perceção. O parkour é um verdadeiro desafio para os seres humanos, …

Na Tailândia, um "cemitério" de táxis foi transformado numa horta sobre rodas

Desde pimentos a pepinos, beringelas e até mangericão. Num parque de estacionamento ao ar livre em Banguecoque, os táxis abandonados transformam-se em hortas para alimentar os trabalhadores. A pandemia de covid-19 obrigou os táxis de Banguecoque …

Morreu o "último nazi" canadiano, aos 97 anos

Um ucraniano que serviu como tradutor no regime nazi morreu na quinta-feira na sua casa, em Ontário, no Canadá, encerrando uma luta de décadas para deportá-lo e acusá-lo de cúmplice no assassinato de dezenas de …

No Sri Lanka, elefantes traficados foram resgatados. Mas voltaram às pessoas que os compraram ilegalmente

Um tribunal do Sri Lanka devolveu elefantes resgatados a pessoas influentes que foram acusadas de os terem comprado ilegalmente. Durante alguns anos, elefantes selvagens permaneceram na corda bamba de uma intensa batalha de custódia judicial entre …