Transplantes fecais podem ajudar pacientes com cancro da pele

Uma nova investigação sugere que os transplantes fecais podem ajudar pacientes com uma forma perigosa de cancro da pele a responder à imunoterapia.

Os transplantes fecais consistem na introdução de fezes e dos micróbios nelas contidos de uma pessoa saudável no intestino de outra e, segundo o jornal The Guardian, têm vindo a tornar-se um tratamento promissor entre várias doenças do trato intestinal.

Mas, agora, uma equipa de investigadores diz que esta abordagem também pode ajudar pacientes com melanoma, um tipo de cancro da pele bastante perigoso que pode ser tratado com imunoterapia.

“A imunoterapia liberta as próprias células imunitárias do corpo contra o cancro. O problema é que estes medicamentos não funcionam de uma forma perfeita, na medida em que não funcionam o tempo todo”, explica Diwakar Davar, professor assistente de Medicina da Universidade de Pittsburgh e coautor do estudo publicado, a 5 de fevereiro, na revista científica Science.

A equipa recolheu fezes de sete pacientes que, anteriormente, mostraram uma resposta total ou parcial a um tipo de imunoterapia chamado pembrolizumabe e examinaram-nas em busca de vírus, bactérias ou fungos potencialmente prejudiciais.

Terminada essa etapa, transferiram estas fezes para doentes que, pelo contrário, não tinham respondido de forma positiva a essa forma de imunoterapia. Depois do transplante, estes pacientes começaram a receber novamente o pembrolizumabe, que foi repetido a cada três semanas. A sua evolução foi acompanhada durante mais ou menos um ano.

Segundo o jornal britânico, dos 15 pacientes que receberam o transplante fecal, seis mostraram resultados positivos, sendo que três deles tiveram uma grande redução ou erradicação completa do cancro. “Os outros três tiveram cancros que pararam de crescer”, acrescenta Davar.

Os cientistas concluíram que, entre os 15 pacientes, o tempo médio de sobrevivência depois do transplante foi de sete meses. Mas, tendo em conta os seis doentes que responderam à imunoterapia depois do transplante, essa média subiu para 14 meses.

Uma investigação posterior também mostrou que os seis pacientes desenvolveram uma comunidade de micróbios intestinais semelhantes aos das fezes do doador, tornando-se particularmente mais ricos em dois grandes tipos de bactérias – firmicutes e actinobactérias – previamente associados a uma boa resposta à imunoterapia.

O trabalho também mostrou uma queda de células e proteínas específicas que suprimem a resposta imunitária do corpo ao cancro e sinais de uma maior resposta imunitária. “As bactérias atuam reduzindo a quantidade de células imunitárias adversas”, diz Devar.

O estudo tem limitações, incluindo o facto de se basear num pequeno grupo de pacientes. Por isso, o próximo passo desta equipa é realizar testes com amostras maiores e com outros tipos de cancros que também são tratados com imunoterapia.

  ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Domingo invulgar: 17 grandes jogos para ver, em poucas horas

A ementa começa em França, ao meio-dia, e acaba no Chile, já depois das oito da noite. Não estamos perto do Carnaval mas vem aí um "domingo gordo" no futebol. Vários jogos grandes, uns mais mediáticos …

Sporting 1-0 Moreirense | Capitão Coates embala leão

O Sporting igualou hoje o FC Porto na liderança provisória da I Liga portuguesa de futebol, ao vencer em casa o Moreirense, por 1-0, em jogo da nona jornada. O capitão Sebastián Coates marcou, aos …

Relatório médico indica que jovem chinês morreu após beber uma garrafa de Coca-Cola em dez minutos

Um homem chinês morreu depois de beber uma garrafa de 1,5 litros de Coca-Cola em dez minutos, informaram os médicos num relatório. O jovem de 22 anos, que não tinha doenças subjacentes, dirigiu às urgências do …

Universidade no Reino Unido tem arquivo de "casas assombradas"

A Universidade de Sheffield, no Reino Unido, tem um arquivo aberto ao público com quase 80 mil fotografias de "casas assombradas" de várias feiras populares. Para muitos, o medo é parte integrante da experiência de uma …

J&J acusada de usar manobra para impedir processos judiciais relativos à venda de pó de talco com propriedades cancerígenas

A Johnson & Johnson está a ser criticada por usar uma manobra para impedir cerca de 38 mil processos judiciais que alegam que o famoso baby powder da marca causa cancro. De acordo com a NPR, …

Tondela 1-3 FC Porto | Hat-trick de Taremi castiga insolência beirã

O iraniano Mehdi Taremi foi a grande figura da vitória do FC Porto em casa do Tondela, por 3-1. Os homens da casa marcaram primeiro, mas cedo se viram reduzidos a dez elementos e tiveram …

Chamam-lhe "Lady Trump". A candidata a governadora do Nevada que está a gerar polémica

Conhecida como "Lady Trump", Michele Fiore anunciou a sua candidatura a governadora do estado do Nevada em estilo, gerando polémica nos Estados Unidos. Michele Fiore, vereadora de Las Vegas, anunciou esta terça-feira a sua candidatura a …

Benfica abre inquérito a envolvimento de colaboradores em negócio de ações da SAD

O Benfica abriu um inquérito interno para averiguar o possível envolvimento de dois colaboradores num eventual negócio de transação de ações da SAD ‘encarnada’, informou hoje o clube, em comunicado. “Tendo em conta as recentes notícias …

Um hipopótamo na água

Tribunal norte-americano reconhece hipopótamos de Pablo Escobar como pessoas jurídicas

O grupo de hipopótamos, mais uma parte do legado deixado na Colômbia por Pablo Escobar, recebeu o estatuto de "pessoas jurídicas". Um tribunal federal dos Estados Unidos defendeu que os descendentes dos hipopótamos do barão da …

Mais rapidez e menos ruído. E-bikes permitem que militares em ação passem despercebidos

Os soldados do Regimento de Cavalaria da Infantaria Montada de Queensland, na Austrália, estão a testar e-bikes para perceber se o veículo poderá ser uma opção válida para operações no terreno. Passar despercebido no terreno é …