Tiroteio mata 19 crianças nos EUA. “Aqui é mais fácil ter uma arma do que leite para bebés”

7

Aaron M. Sprecher / EPA

Pelo menos 21 pessoas morreram num tiroteio numa escola primária no Texas. Presidente Joe Biden está “farto” de tantos tiroteios nos EUA.

Esta terça-feira foi dia de mais um tiroteio nos Estados Unidos da América. Desta vez a grande maioria das vítimas eram crianças.

O crime decorreu na Robb Elementary School, uma escola primária no Texas. Pelo menos 19 crianças e dois adultos morreram. Dois agentes da polícia foram atingidos por tiros mas não correm perigo de vida.

O atirador chamava-se Salvador Ramos e tinha apenas 18 anos. Era aluno numa escola secundária. Também morreu, ao ser abatido pela polícia local.

Salvador entrou na escola com um revólver e com uma espingarda: “Começou a disparar e a matar, de forma terrível e incompreensível”, descreveu o Governador do Texas, Greg Abbott.

Pouco antes deste crime na escola, o jovem tinha disparado na direcção da sua avó.

Reacções da Casa Branca e da NBA

Há 10 anos que não se registava um tiroteio tão grave numa escola primária nos EUA, mas os tiroteios são habituais no país.

Por isso, o presidente Joe Biden está “farto” desta situação, disse o próprio, em reacção a este crime.

“Só nos Estados Unidos da América é que acontecem tiroteios em massa com tanta frequência. Estou farto disto. Temos de agir. E não me digam que não podemos ter um impacto nesta carnificina”, declarou Biden, emocionado.

“Onde, em nome de Deus, está a nossa espinha dorsal para ter coragem de lidar e enfrentar os lobbies?“, questionou.

O assunto também chegou à NBA, a principal liga de basquetebol. Damion Lee, jogador dos Golden State Warriors, falou sobre o assunto depois do jogo contra os Dallas Mavericks – o jogo decorreu precisamente no Texas (Dallas).

“As armas não deveriam ser tão acessíveis. É mais fácil obter uma arma do que leite para bebés, agora. Isto é inacreditável no país que vivemos”, afirmou o basquetebolista.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

7 Comments

  1. O atirador chamava-se “Salvador”? De quem? Era sim um assassino. Que mal lhe fizeram estas crianças que morreram? Morreu? Só teve o que mereceu, porque assim fez-se justiça, pena que não foi antes de matar aqueles inocentes. Que me desculpem os pais dele, mas … se tinha problemas devia ser tratado, acompanhado.

  2. As palavras do basquetebolista resumem tudo: os Estados Unidos são o país onde é mais fácil conseguir uma arma do que leite de substituição. Enquanto não tiverem coragem de enfrentar os lobbies (seja o das armas neste caso, ou o da energia noutros, e outros menos conhecidos mais igualmente poderosos) aquilo não terá emenda.

  3. Não se toca em outros tópicos importantes que podem estar por detrás do incidente.
    – Imigração ilegal e ou descontrolada que gera confrontos culturais
    -Um segurança ou bom samaritano armado poderia ter detido o agressor antes de cometer os crimes
    -Com ou sem controlo os criminosos tem sempre melhor acesso a armamento do que a população.(ver Brasil , Colômbia..)

    O problema não são as armas, porque qualquer objeto pode ser usado de forma mortal, até uma pedra um atacador de ténis ou um lápis.

    P.S- As formulas de bebés estão em stock na fronteira com o méxico..

  4. Incrível um país tão avançado, mas em simultâneo, com leis da idade média! Ainda não conseguiram perceber que qualquer arma nas mãos de qualquer um poderá ser uma potencial ameaça para a segurança dos demais! Têm provas constantes de tal resultado, mas insistem no uso das armas como se isso seja uma defesa e nunca um ataque! Será a barbaridade uma doença das superpotências? Os russos dão provas dos mais hediondos crimes todos os dias na Ucrânia, os americanos orgulham-se em manter uma lei que leva à morte de centenas de inocentes sobretudo crianças todos os anos.

  5. A mentalidade ou cultura norte-americana é sociopata. Piora, poque existe uma cumplicidade entre a indústria/comércio bélico dos EUA e a população: 70% acredita que ter armas em casa, andar armado com qualquer tipo de arma, usá-las, é um direito. Direito até mesmo para doidos[psicóticos] e psicopatas. O cristianismo naquele país substitui “amai-vos uns aos outros” por “ARmai-vos todos”. Esta mentalidade perversa (sociopata) está sendo exportata pela famosa NRA, por meio de lobbystas e corruptos de eleiçaõ de políticos pró-armas. O atual presidente do Brasil foi eleito com símbolo de arminha na mão. Seu filho, deputado, é lobbysta das armas, amante das armas. Eles doutrinam a população se armar contra um inimigo fantásmático. E tem gente que urra, goza com tal discurso e porta armas, sacando-as em quaquer momento, para matar..Qualquer semelhança com o nazismo, não é coincidência. ALERTA, pora o diabo adora ver sangue.

  6. Não é igual em todos os Estados. Há muitos Estados onde há grandes restrições na posse de armas. Por exemplo, em muitos Estados a compra de uma arma implica um período obrigatório de espera de alguns dias. Claro que nada impede alguém de viajar até um Estado vizinho onde tais leis não existem, comprar uma arma com toda a facilidade e regressar ao Estado de origem. Nunca nada vai mudar porque metade do país não concorda com a outra metade.

    Nos EUA há uma cultura fortemente individualista, empreendedora, e de auto-suficiência. Estou convencido que é esta mentalidade que está na base da defesa do direito à posse de arma. “nao preciso do Estado para proteger a minha família e a minha propriedade”, “nao preciso do Estado para gerir a minha reforma”, “nao preciso do Estado para aceder a cuidados de saúde”, “vou criar uma empresa sozinho e mudar o mundo”, etc.

  7. o biden esta farto de tiroteios na américa,. é o que ele diz. É por isso, que passa a vida a criar tiroteios nos outros países.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.