TESS fornece novas ideias sobre um mundo ultra-quente

Centro de Voo Espacial Goddard da NASA/Chris Smith (USRA)

Esta ilustração mostra como o planeta KELT-9b vê a sua estrela hospedeira

Medições do TESS (Transiting Exoplanet Survey Satellite) da NASA permitiram aos astrónomos melhorar bastante a sua compreensão do ambiente bizarro de KELT-9b, um dos planetas mais quentes conhecidos.

“O factor de estranheza de KELT-9b é alto,” disse John Ahlers, astrónomo da USRA (Universities Space Research Association) em Columbia, no estado norte-americano de Maryland, e do Centro de Voo Espacial Goddard da NASA em Greenbelt, no mesmo estado dos EUA. “É um planeta gigante numa órbita muito íntima, quase polar, em torno de uma estrela que gira rapidamente, e estas características complicam a nossa capacidade de entender a estrela e os seus efeitos no planeta.”

As novas descobertas aparecem num artigo liderado por Ahlers publicado dia 5 de junho na revista científica especializada The Astronomical Journal.

Localizado a cerca de 670 anos-luz de distância na direção da constelação de Sagitário, KELT-9b foi descoberto em 2017 porque o planeta passou em frente da sua estrela durante uma parte da sua órbita, um evento chamado trânsito.

Os trânsitos diminuem regularmente a luz da estrela por uma quantidade minúscula, mas detetável. Os trânsitos de KELT-9b foram observados pela primeira vez pelo levantamento de trânsitos KELT, um projeto que recolheu observações com dois telescópios robóticos localizados no estado norte-americano do Arizona e na África do Sul.

Entre 18 de julho e 11 de setembro de 2019, como parte da campanha de um ano da missão para observar o céu do norte, o TESS observou 27 trânsitos de KELT-9b, obtendo medições a cada dois minutos. Estas observações permitiram que a equipa modelasse a estrela invulgar e o seu impacto no planeta.

KELT-9b é um mundo gigante de gás cerca de 1,8 vezes maior que Júpiter, com 2,9 vezes a sua massa. As forças das marés bloquearam a sua rotação, de modo que o mesmo lado está sempre virado para a sua estrela.  O planeta gira em torno da sua estrela em apenas 36 horas numa órbita que o transporta quase diretamente acima de ambos os polos da estrela. KELT- recebe 44.000 vezes mais energia da sua estrela do que a Terra do Sol.

Isto eleva a temperatura diurna do planeta a cerca de 4300º C, mais quente do que as superfícies de algumas estrelas. Este aquecimento intenso também faz com que a atmosfera do planeta escape para o espaço.

A sua estrela hospedeira também é estranha. Tem aproximadamente o dobro do tamanho do Sol e é, em média, 56% mais quente. Mas gira 38 vezes mais depressa do que o Sol, completando uma rotação em apenas 16 horas. A sua rápida rotação distorce a forma da estrela, achatando-a nos polos e ampliando a sua secção central.

Isto faz com que os polos da estrela aqueçam e brilhem enquanto a sua região equatorial esfria e escurece – um fenómeno chamado escurecimento gravitacional. O resultado é uma diferença de temperatura à superfície da estrela de quase 800º C.

A cada órbita, KELT-9b sofre por duas vezes toda a gama de temperaturas estelares, produzindo o que equivale a uma sequência sazonal muito peculiar. O planeta passa a “verão” quando orbita sobre cada polo e a “inverno” quando passa sobre a parte central e mais fria da estrela. Assim, KELT-9b tem dois verões e dois invernos por ano, cada estação durando aproximadamente nove horas.

É realmente intrigante pensar como o gradiente de temperatura da estrela afeta o planeta,” disse Knicole Colón, coautora do artigo científico, também de Goddard. “Os vários níveis energéticos que recebe da sua estrela provavelmente produzem uma atmosfera extremamente dinâmica.”

A órbita polar de KELT-9b, em torno da sua estrela achatada, produz trânsitos distintamente desequilibrados. O planeta começa o seu trânsito perto dos polos brilhantes da estrela e depois bloqueia cada vez menos luz à medida que passa sobre o equador mais escuro da estrela. Esta assimetria fornece pistas sobre as mudanças de temperatura e brilho na superfície da estrela e permitiram que a equipa reconstruísse a sua forma não redonda, a sua orientação no espaço, a sua gama de temperaturas de superfície e outros factores que afetam o planeta.

“Dos sistemas planetários que estudámos através do escurecimento gravitacional, os efeitos em KELT-9b são de longe os mais espetaculares,” disse Jason Barnes, professor de física na Universidade de Idaho e coautor do artigo.

“Este trabalho ajuda a unificar o escurecimento gravitacional com outras técnicas que medem o alinhamento planetário e, em última análise, esperamos que revelem segredos sobre a formação e sobre a história evolutiva dos planetas em torno de estrelas de massa elevada.”

// CCVAlg

PARTILHAR

RESPONDER

Rússia regista primeira vacina contra coronavírus (e filha de Putin já a tomou)

A Rússia tornou-se esta terça-feira o primeiro país do mundo a registar uma vacina contra o novo coronavírus, anunciou o presidente russo, Vladimir Putin, acrescentando que uma das suas filhas já foi inoculada. "Esta manhã foi …

Golo de Bruno Fernandes põe Manchester United nas meias da Liga Europa

O Manchester United, com um golo de Bruno Fernandes, e o Inter de Milão apuraram-se hoje para as meias-finais da Liga Europa de futebol, depois de baterem Copenhaga, após prolongamento, e Bayer Leverkusen, respetivamente. Já no …

Marcelo devolve nova Lei do Mar ao Parlamento. Ana Paula Vitorino aplaude decisão

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, devolveu esta segunda-feira à Assembleia da República a nova Lei do Mar para que o Parlamento clarifique pontos específicos do diploma, assinalando que estão ressalvadas a soberania …

Inter de olho em Conceição para suceder a Antonio Conte

O Inter de Milão está de olho no técnico do FC Porto, Sérgio Conceição, para suceder a Antonio Conte num projeto a médio prazo do emblema italiano. De acordo com A Bola, o técnico dos …

Alguns humanos modernos carregam ADN de um ancestral arcaico e desconhecido

Uma nova análise genética sugere que diferentes ramos da árvore genealógica humana se cruzaram várias vezes durante a história e que alguns humanos modernos carregam ADN de um ancestral arcaico e desconhecido. A investigação foi …

Estado nega apoio a recibos verdes com regra que não está na lei

O jornal Público escreve esta terça-feira que a Segurança Social está a indeferir apoios a trabalhadores independentes que enfrentam quebra na atividade sem justificar a decisão e, em alguns casos, exigindo condições que não estão …

Dezenas de detenções em protestos na Bielorrússia. Candidata da oposição foge para a Lituânia

Dezenas de pessoas foram esta segunda-feira detidas na Bielorrússia em nova jornada de manifestações devido à reeleição polémica do Presidente, Alexander Lukashenko, que a oposição acusa ser uma fraude. A candidata da oposição, Svetlana Tikhanovskaia, …

Acionistas da Azul aprovam acordo de saída da TAP

Os acionistas da companhia aérea brasileira Azul, liderada por David Neeleman, aprovaram na segunda-feira em assembleia-geral (AG) o acordo de saída da TAP, incluindo a eliminação de direitos de converter obrigações em ações. Os acionistas aprovaram …

Os micróbios do fundo do mar sobrevivem com menos energia do que pensávamos

Os micróbios do fundo do mar conseguem sobreviver com menos energia do que se pensava. Esta descoberta pode alterar a definição de vida como a conhecemos. Uma equipa de cientistas britânicos fez uma descoberta que levanta …

China inclui Portugal em lista de países que podem pedir visto

Cidadãos portugueses que possuem autorização de residência na China, por motivos de trabalho ou de reunião familiar, podem a partir de agora solicitar visto para voltarem a entrar no país asiático, informaram as autoridades chinesas. A …