“Santo Graal da arqueologia”. O mítico Templo de Hércules Gaditano pode ter sido encontrado

(cv)

Uma equipa de arqueólogos acredita ter encontrado o famoso Templo de Hércules Gaditano, na costa de Cádis, em Espanha.

O Templo de Hércules Gaditano era um local de culto do século VIII aC na periferia sul de Gadir-Gades (atualmente Cádis, em Espanha). Já foi um dos santuários mais importantes do mundo ocidental, tendo sido inicialmente dedicado ao deus fenício Melcarte e depois a Hércules.

No entanto, a sua verdadeira localização sempre foi um mistério. Agora, especialistas da Universidade de Sevilha podem ter resolvido um Santo Graal da arqueologia graças à modelagem digital do terreno, que identificou uma estrutura monumental na baía de Cádis.

Os investigadores acreditam que seja, precisamente, o Templo de Hércules, escreve o El País.

“Quem sabe até que ponto a terra se estendia para o mar no lado sul e quanto dessa terra devia ser mar, principalmente no que hoje é considerado pântano?”. Esta foi a questão levantada em 1794 pelo historiador Antonio Ponz, ao contemplar a baía de Cádis.

Inspirado nesta mesma questão, o investigador Ricardo Belizón propôs-se a estudar esta zona da costa espanhola à procura dos seus segredos.

 

O templo é mencionado na literatura clássica grega e latina como o lugar onde Júlio César chorou ao ver uma representação de Alexandre o Grande e onde o conquistador cartaginês Aníbal foi agradecer pelo sucesso da sua campanha militar.

Com base nos achados arqueológicos feitos na zona, os investigadores já suspeitavam que o tempo se localizasse entre as encostas de um ilhéu e um desfiladeiro, e uma zona rochosa, conhecida como Ponta de Boquerón, na baía de Cádis.

Para descobrirem a localização exata, os autores recorreram a dados públicos, modelagem digital de terreno e software grátis, conta Belizón ao El País.

A estrutura retangular de 300 por 150 metros encontrada está submersa entre três e cinco metros debaixo de água e parece enquadrar-se nas descrições do templo, tanto pela sua localização como pela sua estrutura.

García y Bellido

Visão hipotética que o arqueólogo García y Bellido fez do templo de Hércules.

De acordo com os clássicos, este complexo era acessado através de duas colunas, com um frontispício que retratava “Os Doze Trabalhos de Hércules”, dentro do qual havia uma eterna chama ardente.

Também foi encontrado um porto interno ou doca ao sul do templo e um assentamento ao longo da costa com vários edifícios do período romano.

A nova proposta de localização do templo vai ao encontro de várias descobertas e sugestões feitas ao longo do século passado, mas também difere de outras, escreve o El País.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE