Supremo Tribunal do México descriminaliza o aborto

3

Juan Ignacio Roncoroni / EPA

Ativistas pelos direitos das mulheres celebram a aprovação da proposta nas ruas de Buenos Aires, na Argentina

O Supremo Tribunal do México decidiu na terça-feira, por unanimidade, que penalizar o aborto é inconstitucional, seguindo o exemplo da Argentina, país que despenalizou o procedimento no início deste ano.

Arturo Zaldivar, presidente do Supremo Tribunal mexicano, citado pela agência Reuters, classificou a decisão como “um momento decisivo” para todas as mulheres, especialmente as mais vulneráveis.

O México é o segundo país mais católico do mundo, a seguir ao Brasil. A Igreja Católica se opõe a todas as formas de aborto. Ao longo dos anos, centenas de mexicanas, na sua maioria pobres, foram processadas por aborto, enquanto dezenas continuam presas.

Vários estados norte-americanos tomaram medidas para restringir o acesso ao aborto, principalmente o Texas, que faz fronteira com o México. Na semana passada, o Texas decretou uma proibição ao procedimento após as primeiras seis semanas de gravidez. O Supremo Tribunal dos Estados Unidos se recusa a intervir.

Em julho, o estado de Veracruz se tornou a quarta das 32 regiões do México a descriminalizar o aborto.

O Presidente mexicano, Andres Manuel Lopez Obrador, evitou tomar posição sobre o assunto. Durante a campanha eleitoral de 2018, formou aliança com um partido político fundado por conservadores cristãos, conhecido pela forte oposição ao aborto.

Em contraste, o ministro das Relações Externas do país, Marcelo Ebrard, presidente da câmara da Cidade do México quando a capital legalizou o aborto em 2007, celebrou a decisão do tribunal como um “grande dia para os direitos das mulheres”.

  Taísa Pagno //

3 Comments

  1. O segundo maior país católico do mundo (e um dos mais violentos do mundo – tal como o Brasil, que é o maior), chegou a 2021, com leis do século passado… e isso tem dado tão bom resultado…

  2. Deviam era começar a dar formação ás pessoas e incentivar as pessoas, para que elas usassem o contraceptivo, tanto homens como mulheres, para evitaram ter que fazer esse procedimento. Andam na loucura da queca e depois querem que o estado faça o serviço que elas e eles é que deviam ter feito.

  3. Por incrível que possa parecer no México os homens julgam-se muito machos. Tão machos que as violações de jovens e mulheres são uma situação frequente. Eu quase diria “normal”. Talvez assim no México finalmente as jovens e mulheres adquiram o direito de ser respeitadas.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE