Stonehenge misterioso na Austrália pode ser ainda mais importante que o original

Richard Patterson

Imagem computorizada que mostra como seria a versão australiana de Stonehenge.

Imagem computorizada que mostra como seria a versão australiana de Stonehenge.

Um historiador amador despoletou um processo que parece confirmar a descoberta de uma misteriosa versão australiana do monumento pré-histórico britânico Stonehenge. E que até pode ser mais importante do que o original.

Richard Patterson, professor voluntário da Sociedade Histórica do Vale de Brunswick, na Nova Gales do Sul, Austrália, encontrou as cartas de um jornalista que falam da existência desse “Stonehenge australiano”.

Descobertas em 2013, mas só agora divulgadas, as cartas são da autoria do jornalista australiano Frederic Slater, já falecido, e darão detalhes sobre o local deste “Stonehenge da Austrália” e que pode ser ainda “mais importante” do que o monumento pré-histórico que atrai milhares de pessoas a Wiltshire, em Inglaterra.

Segundo o Daily Mail, estas formações rochosas misteriosas foram destruídas em 1940 por ordem do agricultor que era proprietário do local onde se encontravam.

Perante os rumores da descoberta de Slater, que foi presidente da Sociedade Arqueológica Australiana nos anos de 1930, o agricultor temeu perder a posse do terreno e decidiu destruir as formações rochosas.

Durante anos, este “Stonehenge australiano” ficou abafado.

O local exacto onde se situava é agora desvendado pelos escritores Steven e Evan Strong, pai e filho, que analisaram as cartas e concluíram que se situava a cerca de 40 quilómetros de Mullumbimby, no norte da Nova Gales do Sul.

“O monte é um dos mais antigos; devo dizer a mais antiga forma de templo do mundo e remonta à Idade Paleolítica com o advento do primeiro homem”, terá escrito Slater, segundo os Strong que divulgam as suas descobertas no blog Forgotten Origin.

O jornalista terá apurado que o local incluiria muito mais do que apenas uma colecção de rochas com símbolos e que apresentaria, nomeadamente, vestígios da primeira linguagem sagrada.

“A linguagem que falamos hoje não é anglo-saxónica, mas simplesmente aborígene”, terá escrito Slater, conforme alegam os Strong.

“Slater falava sobre o princípio dos tempos e da humanidade começar na Austrália e do início da linguagem aqui. Ele estava a trabalhar na primeira linguagem. Estava a trabalhar num dicionário. Dizia nas suas cartas que tinha chegado a 28 mil palavras“, conta Steven Strong

SV, ZAP

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Mais importante em que sentido? Por ser um tipo de cromeleque invulgar? No entanto, diferente não é o mesmo que mais importante. E porquê chamar-lhe Stonehenge? Não parece ter nada em comum. Alguém no seu perfeito juízo chamaria Stonehenge a Almendres, por exemplo? E Almendres existe, não é só uma imagem computorizada que afinal nada prova.

RESPONDER

Há 285 novos casos de covid-19 (97% são em Lisboa)

A região de Lisboa continua a registar o maior número de novos casos de covid-19 registados no país. A Direcção Geral de Saúde (DGS) anuncia hoje 31.292 infectados com o coronavírus, mais 285 do que …

Com bens arrestados e a filha a pagar contas, é quase impossível cobrar multa de 3,7 milhões a Ricardo Salgado

O Tribunal Constitucional confirmou a multa de 3,7 milhões de euros que foi aplicada pelo Banco de Portugal ao banqueiro Ricardo Salgado, mas é quase impossível cobrar esse valor. O ex-presidente do BES tem os …

França suspende tratamentos com hidroxicloroquina

O Governo francês decidiu esta quarta-feira suspender os tratamentos à base de hidroxicloroquina para pacientes infetados com a covid-19. O Executivo revogou o decreto de 11 de maio que autorizava a prescrição e a administração …

Decisão unânime. Deputados vão pedir para ver contrato de venda do Novo Banco (e para ouvir Carlos Costa)

Os deputados da comissão de orçamento e Finanças aprovaram esta quarta-feira por unanimidade o requerimento do Bloco de Esquerda para que seja entregue ao parlamento o contrato de venda do Novo Banco ao Lone Star. Segundo …

Portugal poderá receber 26,3 mil milhões de Bruxelas. 15,5 mil milhões a fundo perdido

Portugal poderá receber 26,3 mil milhões de euros em subvenções e empréstimos no âmbito do Fundo de Recuperação da União Europeia (UE), após a crise da covid-19, que ascende a um total de 750 mil …

"Taxa covid" cobrada por clínicas e hospitais privados não é ilegal (e pode alastar ao comércio)

Aumentaram, nos últimos dias, as queixas à DECO, a Associação de Defesa do Consumidor, relacionadas com o pagamento de taxas adicionais no acesso a hospitais e clínicas privadas. Taxas que se destinam a pagar os …

O Banif deixou de ser um banco em 2015, mas continua sem haver relatório obrigatório por lei

Os credores aguardam há quatro anos e meio que seja divulgado o relatório que diga qual a percentagem de recuperação a que têm direito por lei. A 20 de dezembro, completaram-se quatro anos desde que o …

FC Porto revela tempo mínimo de paragem de Marcano

O futebolista Iván Marcano, que sofreu uma uma rotura do ligamento cruzado, vai ficar afastado dos revelados pelo menos durante três meses. Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o FC Porto …

Num voo histórico, Space X lança esta quarta-feira astronautas da NASA para o Espaço

A Space X vai lançar esta quarta-feira dois astronautas da NASA para o Espaço. Este voo tripulado será certamente histórico, assinalando momentos importantes quer para a agência espacial norte-americana quer para a empresa de Elon …

Crise no PSG. Mbappé e Di Maria dispensam 70% do salário, Neymar não abdica de um euro

Visando minimizar os impactos financeiros da covid-19, o PSG reuniu com a equipa para discutir uma redução salarial. De acordo com o francês Le Figaro, não houve consenso: Mbappé e Di Maria estão dispostos a …