Sporting acerta (outra vez) na ‘lotaria’ e está na final da Taça da Liga

António Cotrim / Lusa

A ‘lotaria’ voltou hoje a sorrir ao Sporting na Taça da Liga em futebol, numa segunda meia-final em que os ‘leões’ pouco fizeram para superar o anfitrião Sporting de Braga e seguir para o jogo do título.

Em mais um embate marcado pela arbitragem, desta vez por um caso único, a anulação polémica, via VAR, de um golo aos ‘arsenalistas’ a abrir a segunda parte, os ‘leões’ impuseram-se pelo terceiro jogo consecutivo nos penáltis numa ‘final four’.

Depois de na época passada se terem imposto ao FC Porto, nas meias-finais, e ao Vitória de Setúbal, na final, os ‘leões’ bateram agora o Sporting de Braga, por 4-3, num desempate em que se falharam sete ‘tiros’ e Renan acabou como ‘herói’, ao parar três, incluindo o último, o 14.º da noite, de Ryller.

Nos 90 minutos, o Sporting de Braga entrou a ganhar, com um tento de Dyego Sousa, logo aos três, mas, depois de Wilson Eduardo perdoar, aos seis, o segundo, perdeu embalagem na primeira parte e, aos 37, Coates empatou, após um canto.

Os ‘leões’ não ‘existiram’, porém, na segunda metade, com exceção a duas jogadas já nos descontos, e o Sporting de Braga foi infeliz, num cabeceamento ao ‘ferro’ de Raul Silva e no golo de João Novais que não contou, por uma “faltinha”.

“Faltinha” foi também o que o árbitro considerou ter havido num lance na grande-área bracarense, aos 87 minutos, em que Coates é visivelmente agarrado pela camisola por um defensor do Sporting de Braga. Após consultar o VAR, o juiz da partida optou por não marcar a grande-penalidade.

Nos penáltis, e apesar de ter falhado três (Bas Dost, Coates e Nani), o Sporting impôs-se e, no sábado, vai disputar uma inédita final com o FC Porto, que na terça-feira se impôs ao Benfica (3-1).

Crónica do jogo

O encontro começou, praticamente, com o tento dos anfitriões, que nasceu, logo aos três minutos, num cabeceamento do ‘matador’ Dyego Sousa, que surgiu solto na ‘cara’ de Renan Ribeiro, após centro da esquerda de João Novais.

A defensiva ‘leonina’ entrou completamente a ‘dormir’ e podia ter pagado muito caro se, pouco depois, aos seis minutos, Wilson Eduardo não tivesse falhado o remate, isolado por mais um passe para as costas da defesa ‘leonina’, agora de Esgaio.

Um tímido remate de Bruno Fernandes, aos 10 minutos, começou a mudar o cariz do jogo, trazendo um Sporting, embora sem um ritmo muito elevado, mais ofensivo e perigoso, com Raphinha (19 minutos), Nani (19) e Gudelj (21) a tentarem a sua sorte.

A primeira grande ocasião para o empate aconteceu aos 33 minutos, com Nani e isolar Raphinha e este a não ter arte para bater Marafona, e o empate surgiu aos 37, por Coates, que se antecipou a Raul Silva, e cabeceou imparável, após canto de Acuña.

Na parte final da primeira parte, e perante um Braga não mais visto no ataque, destaque para um remate para as ‘nuvens’ de Acuña, aos 44 minutos, após jogada entre Bruno Fernandes e Nani.

O intervalo fez bem aos ‘arsenalistas’, que só precisaram de 32 segundos da segunda parte para marcar, por João Novais, de cabeça, após centro de Wilson Eduardo. Mas, alertado pelo VAR, o árbitro foi ver as imagens e ‘descobriu’ uma falta sobre Acuña.

A decisão enervou os jogadores do Sporting de Braga, que acalmaram, porém, com alguns amarelos e assumiram o comando do jogo, mas sem conseguirem criar grande perigo, exceção a dois livres de Sequeira, em jeito de centros que viraram remates.

Numa segunda metade que se foi ‘arrastando’, até porque as substituições nada trouxeram de novo, os bracarenses, sempre por cima, a querer mais, quase marcaram aos 75 minutos, num cabeceamento à barra de Raúl Silva, após canto de João Novais.

O Sporting, desaparecido ofensivamente em toda a segunda parte, reapareceu nos minutos finais da partida, com duas iniciativas pela esquerda, primeiro de Wendel, parada por Marafona, e depois de Jefferson, que Bas Dost não conseguiu desviar.

Aos 87 minutos, após consulta do VAR, o árbitro considerou que o lance em que Coates é puxado pela camisola dentro da grande área não é falta para grande penalidade, e a igualdade manteve-se até ao final da partida.

Tudo acabou decidido nos penáltis: dos primeiros sete, só Bruno Fernandes marcou, mas depois, acertaram-se seis, até Ryller permitir a terceira defesa a Renan, contra duas de Marafona, mais dois ‘ferros’. Passou o Sporting.

PARTILHAR

RESPONDER

O melhor professor do mundo é queniano e doa 80% do seu salário

Peter Tabichi é queniano, tem 36 anos e doa 80% do salário para desenvolver a sua comunidade local, numa remota vila no Quénia. Este domingo foi eleito, no Dubai, o melhor professor do mundo. Em Pwani, …

Pentágono autoriza mil milhões de dólares para construção de muro de Trump

O secretário da Defesa interino norte-americano, Patrick Shanahan, anunciou na segunda-feira o desbloqueio de mil milhões de dólares para a construção de um muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México. Shanahan “autorizou o …

Advogados de Rui Pinto recorrem da prisão preventiva

Os advogados de Rui Pinto, colaborador do "Football Leaks", confirmaram esta segunda-feira que vão recorrer da medida de prisão preventiva aplicada sexta-feira ao seu cliente pelo Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa. A decisão de recorrer …

Se a corrida continuar a três, McLaren ameaça deixar a Fórmula 1

A McLaren, a segunda equipa mais antiga da Fórmula 1, ameaça desistir da modalidade caso os regulamentos elaborados para 2021 não a tornem numa competição justa. A visão da Fórmula 1, a modalidade de automobilismo mais …

México quer que rei da Espanha peça perdão pela conquista colonial

Obrador diz que esta é a única forma possível de obter a reconciliação plena entre os países. O pedido foi feito por carta. O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, anunciou ter enviado uma carta ao …

"O Vieira pediu-me para dar uma coça a Francisco J. Marques"

Vítor Catão, diretor desportivo do S. Pedro da Cova, afirmou que o Benfica, através do seu presidente Luís Filipe Vieira, lhe deu 200 mil euros para colocar uma "lapa" no carro de Pinto da Costa, …

"Governo saudita deu a ordem" para matar Khashoggi

Em entrevista ao El Mundo, a namorada do jornalista saudita Jamal Khashoggi afirma que a ordem que determinou a sua morte foi dada pelo Governo da Arábia Saudita. Em entrevista ao diário espanhol El Mundo, a …

Já há água, eletricidade e estradas abertas na cidade da Beira

Começam a ver-se pequenos avanços na Beira, em Moçambique, que inicia o lento caminho da reconstrução, após a passagem do ciclone Idai, que matou pelo menos 446 pessoas e destruiu cerca de 90% dos edifícios …

"Um erro desculpável". Governante sem castigo após violar a Lei no caso dos mirtilos

O Tribunal Constitucional decidiu arquivar o caso das incompatibilidades envolvendo o secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, que, durante dois anos, acumulou o cargo com a função de gerente numa empresa …

Erros em perguntas de exame obrigam a mudar notas de médicos estrangeiros

O exame feito por médicos estrangeiros para ter equivalência ao curso de Medicina em Portugal teve neste ano mais de 700 candidatos, a esmagadora maioria brasileiros. É uma procura histórica, admitem médicos e serviços académicos, por …