Há sorrisos “maus” capazes de causar níveis elevados de stress

Um estudo recente sobre a resposta não verbal mostra como os sorrisos de um ouvinte têm impacto físico ou negativo em nós, podendo aumentar o nosso nível de stress.

“As expressões faciais regulam o mundo”, garante Jared Martin, investigador em psicologia na Universidade de Wisconsin-Madison, nos EUA. Um artigo, publicado recentemente na Scientific Reports, analisou a reação física de pessoas que fizeram uma apresentação e receberam três tipos diferentes de sorrisos como avaliação.

O líder do estudo admite que não existe muita investigação científica sobre a forma como as expressões faciais nos dominam. “Os nossos resultados mostram que uma diferença subtil nas expressões faciais que fazemos quando ouvimos alguém pode ter um impacto no corpo da outra pessoa e na forma como se sentem avaliados”, afirma em comunicado.

Os investigadores mediram os níveis de cortisol assim como a frequência cardíaca de uma amostra com 90 pessoas, todos homens, conta o Público.

O resultado do estudo não surpreende: a maioria das pessoas consegue “ler” as expressões dos outros e entender se estão ou não a aprovar o que dizemos ou fazemos. A novidade não está na capacidade de interpretarmos os sorrisos, mas sim na avaliação do impacto físico desta comunicação não verbal.

O investigadores admitem, porém, que a amostra é pequena e que o facto de serem todos homens limita a generalização das conclusões.

Por si só, a antecipação do momento de avaliação social consegue aumentar a atividade de quase todos os sistemas do corpo associados ao stress e provoca “uma robusta ativação do eixo hipotálamo-pituária-adrenal“, uma parte do sistema neuro-endócrino associado também ao stress.

Os 90 participantes foram convidados a fazer uma breve apresentação enquanto eram observados e avaliados por uma pessoa por videoconferência. Contudo, o que parecia ser a reação do ouvinte, era um vídeo pré-gravado com um dos tipos de sorriso em estudo.

Havia três tipos de respostas sorridentes: “os sorrisos de ‘recompensa‘ que reforçam o comportamento, os sorrisos de ‘afiliação‘ que indicam falta de ameaça e facilitam ou mantêm vínculos sociais e os sorrisos de ‘dominação‘ que afirmam reivindicações de um estatuto mais elevado nas hierarquias sociais”.

Estes três diferentes tipos morfológicos de sorrisos foram identificados em estudos anteriores. Assim, havia um sorriso aberto para recompensar, um menos exuberante para aceitar e uma espécie de sorriso amarelo, de quem se mostra superior.

A equipa concluiu, através da análise das amostras de saliva dos participantes, que “os que receberam sorrisos de domínio, negativos e críticos, sentiram mais stress, e os níveis de cortisol subiram e permaneceram elevados mais tempo depois do discurso”, constata Paula Niedenthal, co-autora do estudo, citada no comunicado da universidade.

Investigações anteriores mostraram que pessoas com maior variabilidade na frequência cardíaca são mais competentes a decifrar pistas sociais, como expressões faciais. Mas, tal como nota Jared Martin, há fatores como a obesidade ou a ansiedade que podem afetar a variabilidade da frequência cardíaca e piorar a capacidade de reconhecer sinais sociais.

Há ainda as nossas próprias diferenças individuais que também influenciam esta capacidade de reconhecimento. “As coisas que carregamos connosco mudam a maneira como percebemos o mundo de forma muito sensível e pessoal”, explica Martin.

No comunicado o investigador deixa um conselho: “talvez o melhor seja não se deixar afetar pelo juízo do outro e, nesse caso, mesmo que seja confrontado com um sorriso de ‘domínio’ responda com um sorriso também. O sorriso que achar melhor”, conclui.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Em apenas três anos, a Austrália perdeu um terço dos seus coalas

A seca, os incêndios florestais e a desflorestação na Austrália levaram o país a perder um terço dos seus coalas nos últimos três anos. A Austrália perdeu cerca de 30% dos seus coalas nos últimos …

Há modelos matemáticos que preveem se uma música vai ser viral — os mesmos utilizados com a covid-19

O uso de modelos matemáticos para antecipar o nível de sucesso de uma música pode começar a ser usado, a partir da publicação do presente estudo, por artistas e editoras para melhorar o desempenho dos …

Alemanha. Funcionário de posto de combustível abatido a tiro por cliente que se recusou a usar máscara

Um homem de 49 anos matou um funcionário de um posto de combustível na Alemanha, após tentar comprar cerveja sem utilizar a máscara. No país, o uso deste equipamento de proteção é obrigatório para entrar …

Um violino gigante flutuou no Grande Canal de Veneza (ao som de Vivaldi)

No passado fim de semana, um violino gigante, com quase 12 metros de comprimento, desceu o Grande Canal de Veneza. A bordo estava um quarteto de cordas, que tocou Four Seasons de Vivaldi. O Noah's Violin …

Assembleia de credores aprova recuperação da Groundforce

Esta quarta-feira, os credores da Groundforce aprovaram a recuperação da empresa. Em causa está uma dívida de 154 milhões de euros. Os credores da Groundforce, reunidos esta quarta-feira em assembleia de credores, no tribunal de Monsanto, …

Europeus acreditam numa "guerra fria" entre os EUA e a China e Rússia

A maioria dos cidadãos da União Europeia (UE), 62%, considera que os Estados Unidos (EUA), com apoio das instituições comunitárias, estão numa nova "guerra fria" com a China, mas recusam envolvimento nacional, revelou um inquérito …

Desenho de Van Gogh esteve guardado mais de 100 anos. Agora, é exibido pela primeira vez

O Museu de Amesterdão, nos Países Baixos, ganhou um novo inquilino: Study for 'Worn Out', um desenho recém-descoberto de Vincent van Gogh. O holandês Vincent van Gogh ainda continua a impressionar o mundo inteiro com a …

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã, com receio de que os avanços dos últimos 20 anos tenham sido conquistados em vão. A Vice falou com algumas professoras afegãs que garantem continuar …

Apenas um terço das crianças em 91 países tem acesso a uma alimentação adequada, alerta UNICEF

Apenas um terço das crianças com menos de dois anos em 91 países em desenvolvimento têm acesso aos alimentos que necessitam para um crescimento saudável, revelou um relatório da UNICEF, apontando que nenhum progresso foi …

Preços das casas voltaram a aumentar no segundo trimestre

Entre abril e junho, o índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu 6,6% em termos homólogos. A revelação foi feita esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O Índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu …