Sondagens: PS vence eleições sem maioria absoluta (e Costa tem três partidos “à mão”)

Mário Cruz / Lusa

A apenas dois dias das eleições legislativas, as sondagens apontam para uma vitória do Partido Socialista (PS) no próximo domingo, ainda que sem maioria absoluta. Para formar Governo, António Costa pode escolher entre o PAN, Bloco de Esquerda e PCP.

As sondagens desta sexta-feira são unânimes e não deixam dúvidas: o Partido Socialista (PS) não deverá conseguir maioria absoluta nas urnas este domingo. Se, por um lado, António Costa e Rui Rio estão separado por dez pontos, o Parlamento poderá acolher novos deputados, uma vez que o Livre, Aliança e RIR poderão conseguir eleger um deputado.

Segundo a sondagem do ISCTE e ICS para o Expresso e SIC, o PS reúne 38% das intenções de voto, conseguindo assim eleger entre 104 e 114 deputados. Já o Partido Social Democrata (PSD) surge com 28%, o que se poderá traduzir em 73 a 83 mandatos. Isto significa que o partido de Rui Rio recuperou cinco pontos desde o último inquérito, passando de 23% para 28%.

De acordo com o semanário, a diferença que agora separa o PS do PSD é de dez pontos, enquanto que no início de setembro eram 19 pontos.

A sondagem da Aximage para o Jornal Económico aponta valores diferentes, colocando o PS com 36,5% das intenções de voto (101 a 104 deputados) e o PSD com 26,8% (72 deputados). Ainda assim, a diferença continua a ser de dez pontos.

A confirmarem-se estes resultados, António Costa precisará apenas de um partido à esquerda para conseguir formar Governo: Bloco de Esquerda, PCP ou PAN, uma tendência que já se vinha a confirmar desde as últimas sondagens.

O Bloco de Esquerda cimenta a sua posição enquanto terceira força política. De acordo com a Aximage, consegue eleger 25 ou 26 deputados, e segundo o ISCTE/ICS, 16 a 24, atribuindo 10% das intenções de voto ao partido de Catarina Martins. Assim sendo, só no domingo veremos se o Bloco tem mais ou menos deputados, uma vez que, atualmente, tem 19.

Já a CDU consegue 7% dos votos, mais um ponto face ao inquérito de setembro e aproximando-se, assim, dos 8,3% de há quatro anos. No entanto, poderá perder lugares, uma vez que poderá eleger 9 a 15 deputados (atualmente tem 17). Segundo a Aximage, os comunistas têm 6,6% das intenções de voto, menos 0,2 pontos percentuais do que na semana anterior, mas acima dos 5,4% do início de setembro.

A grande queda pertence ao CDS, que se mantém com 5% das intenções de voto. Segundo o inquérito, a perda será elevada para os centristas: podem passar dos 18 deputados para 5 ou 10, no máximo.

O PAN, segundo o ISCTE/ICS, tem 3% das intenções de voto, o que se poderá traduzir em dois a cinco mandatos. De acordo com a Aximage, o partido de André Silva subiu de 3,6% para 3,8%, mas fica aquém dos 4,9% que chegou a ter no início do mês passado, passando de um para seis deputados. Há quatro anos, André Silva estreou-se na Assembleia da República com apenas 1,4% dos votos expressos.

Mas num Parlamento já dividido entre sete partidos (se contarmos com Os Verdes), uma das grandes dúvidas destas eleições legislativas é se algum pequeno partido conseguirá intrometer-se entre os maiores.

Apesar de na sondagem Expresso/SIC, nenhum dos pequenos partidos conseguir reunir 1% das intenções de voto, os autores do estudo não descartam a hipótese de algum (ou alguns) deles conseguir esse objetivo.

As maiores hipóteses são do Livre, cuja cabeça de lista é Joacine Moreira, seguido do RIR, de Tino de Rans, que nas eleições regionais da Madeira conseguiu ser o pequeno partido com mais votos e que, nas presidenciais, obteve mais de 150 mil votos, a maioria no distrito do Porto (onde é agora candidato). O Aliança, do ex-primeiro-ministro Pedro Santana Lopes, e o Chega, de André Ventura, também poderão conseguir chegar ao Parlamento.

A Aximage revela uma tendência semelhante, já que assinala uma pequena retração entre os partidos mais pequenos. Ainda assim, o Livre e o Chega conseguem 1,3% das intenções de voto, o que poderá bastar para terem representação parlamentar. Já a Iniciativa Liberal vem mais atrás, com 1,1% de intenções de voto.

A Rádio Renascença, recorrendo a um algoritmo de agregação das sondagens, chegou a valores que dão 38% ao PS, 27% ao PSD, 10% ao BE, 7% à CDU, 5% ao CDS-PP e 3,8% ao PAN.

A sondagem do Expresso (ISCTE/ICS), com uma margem de erro de 2,7%, dá 38% ao PS, 28% ao PSD, 10% ao BE, 7% à CDU, 5% ao CDS-PP e 3% ao PAN. Já a sondagem da Aximage para o Jornal Económico dá 36,5% ao PS, 26,8% ao PSD, 10,7% ao BE, 6,6% à CDU, 4,9% ao CDS, 3,8% ao PAN, 1,3% ao Livre, 1,3% ao Chega e 1,1 ao Iniciativa Liberal.

Com uma margem de erro de mais ou menos 4%, o estudo da Pitagórica para o JN/TSF/TVI atribui 37,3% ao PS, 28,8% ao PSD, 9,2% ao BE, 6,6% à CDU, 4,4% ao PAN e 3,9% ao CDS-PP.

A Eurosondagem, num estudo com uma margem de erro de 2,15%, para o Sol e Porto Canal, indica 38,8% para os socialistas, 25,5% para os sociais-democratas, 9,6% para os bloquistas, 7,1% para a CDU, 5% aos centristas e 4% ao PAN.

A sondagem do Público e RTP, realizada pela Universidade Católica e com uma margem de erro de 1,7%, dá 37% ao PS, 30% ao PSD, 10% ao BE, 6% à CDU, 5% ao CDS-PP e 3% ao PAN.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Eu acho que o PS e o PCP deviam deixar-se de paneleirices e fazerem coligação após as eleições. A única razão pra não querer isto, é tratar-se dos dois maiores partidos do arco da corrupção. Mas por outro lado a presença de Rui Rio, é um garante anti-corrupção.

      • E porque não uma coligação PS / PCP? Estes Partidos já estiveram mais afastados…

        Temos uma “Democracia amadurecida! O importante é votar…

    • Correto. Uma coligação dos dois maiores partidos e com Rui Rio, um tipo muito rigoroso e honesto, seria talvez a melhor solução para Portugal e para todos nós. De certeza que, assim, o país avançaria. De resto, vai ser uma grande instabilidade governativa.

  2. Dos programas eleitorais apresentados aos cidadãos para estas Eleições Legislativas de 2016 na República Portuguesa (RP), sem dúvida que os programas do Partido Socialista (PS) e da Coligação Democrática Unitária (CDU), são aqueles que efectivamente apresentam propostas e soluções para resolver os reais problemas dos cidadãos Portugueses e da República de uma forma clara e concreta.

    Para além disso, não nos podemos esquecer que o Partido Socialista (PS) e a Coligação Democrática Unitária (CDU), ao longo desta legislatura (2015 – 2019) apresentaram medidas que as concretizaram e de extrema importância para os cidadãos e a sociedade portuguesa que não podem ser esquecidas:

    – Fim do esquema de corrupção e desvio de dinheiros públicos do Orçamento do Estado (OE) financiado pelos cidadãos, para sustentar empresas privadas e clericais ligadas ao negócio do ensino particular nomeadamente colégios, externatos, escolas privadas, etc, através dos nefastos contratos de associação

    – Alívio do IRS para as famílias

    – Redução das taxas moderadoras no SNS

    – Modernização e racionalização da despesa pública

    – Criação do IRS automático

    – Reforma das Florestas

    – Valorização das longas carreiras contributivas

    -Apoio extraordinário a desempregados de longa duração

    – Aumento do salário mínimo

    – Reposição do Subsídio de Natal

    – Reposição dos feriados nacionais retirados

    – Redução do financiamento público aos partidos e campanhas eleitorais

    – Redução tarifária nos transportes públicos com o passe social único

    – Eliminação do corte de 10% no subsídio de desemprego

    No fim, e analisando tudo o que foi feito até agora, conclui-se que estão reunidas todas as condições para que o Partido Socialista (PS) e a Coligação Democrática Unitária (CDU) possam finalmente e após a votação de 06 de Outubro de 2016, chegar a um acordo de governação entre ambos que irá certamente corresponder aos anseios dos cidadãos e ao progresso da República.

    Para consulta:

    – Programa Eleitoral do Partido Socialista (PS)
    https://todosdecidem.ps.pt/

    – Programa Eleitoral da Coligação Democrática Unitária (CDU)
    https://www.cdu.pt/2019/programa-eleitoral-do-pcp#documento

    • Deves viver de baixo de uma pedra para dizer que concretizaram o que quer que seja… foi tudo feito as três pancadas e no final o resultado foi o que ja sabemos varios problemas eM vários sectores do estado, o povo não ficou a ganhar nada… e a dívida pública subiu novamente… parece outra vez o tempo do Sócrates, esta tudo bem até vermos a verdadeira merda que o gajo fez, daqui a 4 anos… povo burro so aprende depois de perderem tudo.

    • Reposição do subsídio de Natal? Não seja mentiroso. Podiam limpar as mãos à parede. Para pagarem o subsídio de Natal em Novembro começaram logo a descontar em Janeiro. Isto durante dois anos. Eles têm desgovernado com a austeridade dos anteriores. O que deram com uma das mãos tiraram com a outra. Em imposto indiretos.

  3. Ó Figueiredo…
    Ó Figueiredo…
    Ó Figueiredo…
    Tem as suas raízes onde, homem?
    Isso é tóxico!
    É pá!…
    Há gente que nem precisa ser aldrabada… Vivem noutra dimensão.
    É um admirável mundo novo…
    Abaixo a Monsanto!
    Que nos rebenta com a democracia!

  4. Estas sondagens estão certamente desatualizadas depois do que aconteceu ontem, (onde o Costa se não fossem os seguranças, parecia querer chegar a vias de facto com um velhote que apenas lhe disse o que todos os Portugueses pensa.
    Nem no tempo do Salazar se viu um governante ter tal atitude, injuriou o velhote chamando-lhe várias vezes mentiroso e se não fossem os seguranças e teria chegado a vias de facto.
    Não fosse Ano de eleições e já no próximo Domingo, este Senhor seria contestado dentro do próprio partido, o PS não é nem nunca foi isto.
    Aliás depois das eleições este assunto vai certamente ser debatido dentro do próprio partido.
    Nenhum Pais com um Povo de brandos costumes e pacífico como é o nosso caso, se pode dar ao luxo de ter um governante com estas características, mais uma semana e dificilmente este Senhor ganharia as eleições.
    Este Senhor não têm perfil para qualquer cargo politico em Portugal, talvez nos EUA já que as semelhanças com o Trump são evidentes.

  5. O que é certo é que nesta semana europeia a única equipa a ganhar foi o Spoooooooooooooooooooorting! E o resto pouco interessa. Quem quer que ganhe, roubará tudo aquilo que deixarem e que conseguir. Siga o roubo do erário público.

RESPONDER

Ovar já tem linha telefónica própria para retirar pressão à Saúde 24

A Linha de Apoio Covid Ovar vai garantir assistência atempada à comunidade de 55.400 habitantes do concelho e é exclusiva para utentes que suspeitem ter sintomas do novo coronavírus. O Município de Ovar ativa, esta quinta-feira, …

Durão Barroso defende coronabonds (mas a prioridade é outra)

Em entrevista à SIC Notícias, Durão Barroso concordou com a criação dos ​​​​​​​coronabonds, mas defendeu que a prioridade é resolver "a crise humanitária". Durão Barroso considerou, em entrevista à SIC Notícias, que as instituições europeias têm …

Do empréstimo milionário à nacionalização. As soluções da TAP para resistir à crise

A TAP está a enfrentar uma das suas piores crises, face à pandemia de covid-19, e há várias soluções em cima da mesa, desde um empréstimo com aval do Estado à nacionalização da empresa. Para fazer …

"Matem-nos". Presidente das Filipinas autoriza disparos contra quem violar quarentena

O Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, ordenou aos agentes da polícia e aos militares que disparem sobre qualquer pessoa que esteja a causar "problemas" durante o isolamento obrigatório, decretado devido à da pandemia de Covid-19. De …

Há mais de nove mil casos de covid-19 em Portugal. Número de recuperados sobe para 68

Um mês desde o primeiro teste positivo confirmado do novo coronavírus no país, Portugal tem um total de 9.034 casos confirmados de Covid-19, segundo o Relatório da Direção Geral da Saúde sobre a situação epidemiológica …

Ramalho Eanes: "Nós, os velhos, se for necessário oferecemos o nosso ventilador"

O antigo Presidente da República apelou aos mais "velhos", como ele, para darem o exemplo neste combate ao coronavírus, caso Portugal passe por uma situação semelhante à de Itália ou Espanha. Em entrevista à RTP, o …

"Profundamente preocupados". 13 países enviam recado a Viktor Orbán

Portugal e mais 12 países, entre os quais França, Bélgica e Espanha, garantiram, numa declarações conjunta, que apoiam a iniciativa da Comissão Europeia para verificar se as medidas de emergência implementadas respeitam os valores europeus. Os …

Da gripezinha ao "problema mundial". Bolsonaro fala com Trump e anuncia mais medidas

Jair Bolsonaro mudou de tom. Esta quarta-feira, o Presidente brasileiro anunciou um novo pacote financeiro de apoio a medidas para "manutenção de empregos", uma das suas maiores preocupações diante da pandemia de covid-19. O Presidente brasileiro, …

Bale não abdica de salário milionário e quer ficar em Madrid

Bale vai rejeitar todas as propostas que receber para sair do Real Madrid no final da temporada. O jogador não aceita uma redução do seu salário de 19 milhões de euros anuais. Gareth Bale não tem …

"Abuso da força é recorrente". Imprensa ucraniana levanta suspeitas sobre o SEF no aeroporto de Lisboa

A imprensa ucraniana tem estado a dar grande destaque à morte de Igor Homenyuk nas instalações do aeroporto de Lisboa. Em causa está a morte de um cidadão ucraniano que desembarcou no aeroporto de Lisboa, com …