Sonda da NASA aproxima-se de encontro histórico com planeta anão

NASA / JPL-Caltech / UCLA / MPS / DLR / IDA

A sonda Dawn da NASA capturou estas imagens do planeta anão Ceres a cerca de 40.000 km de distância no dia 25 de fevereiro de 2015. Parte de Ceres está à sombra devido à posição atual da sonda em relação ao planeta anão e ao Sol.

A sonda Dawn da NASA capturou estas imagens do planeta anão Ceres a cerca de 40.000 km de distância no dia 25 de fevereiro de 2015. Parte de Ceres está à sombra devido à posição atual da sonda em relação ao planeta anão e ao Sol.

A sonda Dawn da NASA enviou novas imagens capturadas durante a aproximação à sua histórica inserção orbital em torno do planeta anão Ceres. A Dawn será a primeira missão a visitar com sucesso um planeta anão quando entrar em órbita de Ceres na sexta-feira, dia 6 de março.

“A Dawn está prestes a fazer história”, afirma Robert Mase, gestor de projeto da missão Dawn no Jet Propulsion Laboratory (JPL) da NASA em Pasadena, no estado americano da Califórnia. “A nossa equipa está pronta e ansiosa para descobrir o que Ceres nos tem reservado.”

Imagens recentes mostram inúmeras crateras e pontos brilhantes e invulgares que os cientistas acreditam que contam como Ceres, o primeiro objeto descoberto na cintura de asteroides do nosso Sistema Solar, se formou e se a sua superfície está a mudar. Enquanto a nave espirala para órbitas cada vez mais próximas do planeta anão, os investigadores vão estar à procura de sinais de mudanças nestas características, o que poderá sugerir atividade geológica atual.

“O estudo de Ceres permite-nos fazer pesquisas históricas no espaço, abrindo uma nova janela para o capítulo mais antigo da história do nosso Sistema Solar,” afirma Jim Green, diretor da Divisão de Ciência Planetária da NASA na sede da agência em Washington. “Os dados enviados pela Dawn podem contribuir com avanços significativos na nossa compreensão de como o Sistema Solar se formou.”

A Dawn começou a sua fase de aproximação final a Ceres em dezembro. A sonda tem tirado várias imagens de navegação ótica e fez duas caracterizações da rotação, permitindo com que Ceres seja observado durante todo o seu período de rotação de nove horas. Desde 25 de janeiro, a Dawn tem enviado de volta as imagens de mais alta-resolução já capturadas de Ceres e vão continuar a melhorar em termos de qualidade à medida que a nave se aproxima.

O padre e astrónomo siciliano, Giuseppe Piazzi, descobriu Ceres em 1801. À medida que mais destes objetos foram sendo encontrados na mesma região, tornaram-se conhecidos como asteroides ou planetas menores. Ceres foi inicialmente classificado como planeta e mais tarde reclassificado como asteroide. Em reconhecimento das suas qualidades planetárias, Ceres foi designado planeta anão em 2006, juntamente com Plutão e Eris.

Ceres tem o nome da deusa romana da agricultura e das colheitas. As crateras em Ceres vão ter igualmente nomes de deuses e deusas da agricultura e da vegetação da mitologia mundial. Outras características vão ter nomes de festivais agrícolas.

Lançada em setembro de 2007, a Dawn explorou o asteroide gigante Vesta durante 14 meses em 2011 e 2012, capturando imagens e dados pormenorizados sobre esse corpo. Tanto Vesta como Ceres orbitam o Sol entre Marte e Júpiter, na cintura principal de asteroides. Esta viagem com duas paragens pelo nosso Sistema Solar é possível graças ao sistema de propulsão iónica da Dawn, pois os seus três motores iónicos são muito mais eficientes do que a propulsão química.

“Tanto Vesta como Ceres estavam a caminho de se tornarem planetas, mas o seu desenvolvimento foi interrompido pela gravidade de Júpiter,” explica Carol Raymond, cientista ajunta do projeto no JPL. “Estes dois corpos são como fósseis do início do Sistema Solar e lançam luzes sobre as suas origens.”

Ceres e Vesta têm várias diferenças importantes. Ceres é o corpo mais maciço na cintura de asteroides, com um diâmetro médio de 950 km. Vesta tem um diâmetro médio de 525 km e é o segundo objeto mais maciço da cintura. O asteroide formou-se mais cedo que Ceres e é um corpo muito seco. Em contraste, estima-se que o conteúdo de água em Ceres corresponda a 25% da sua massa.

“Ao estudar Vesta e Ceres, vamos ganhar uma melhor compreensão da formação do nosso Sistema Solar, especialmente dos planetas terrestres e sobretudo da Terra,” comenta Raymond. “Estes corpos são amostras dos blocos de construção que deram origem a Vénus, à Terra e a Marte. Pensa-se que corpos parecidos com Vesta tenham contribuído fortemente para o núcleo do nosso planeta, e corpos como Ceres tenham fornecido a nossa água.”

“Nós não seríamos capazes de orbitar e explorar estes dois mundos sem a propulsão iónica,” afirma Mase. “A Dawn aproveita esta tecnologia inovadora para fornecer grande ciência com um orçamento pequeno.”

Além da missão Dawn, a NASA lançará em 2016 a sonda OSIRIS-REx (Origins-Spectral Interpretation-Resource Identification-Security-Regolith Explorer). Esta missão vai estudar um grande asteroide em detalhes sem precedentes e trazer amostras de volta à Terra.

CCVAlg

PARTILHAR

RESPONDER

Governo ignorou recomendação parlamentar na auditoria feita ao Novo Banco

Mário Centeno e António Costa ignoraram a recomendação aprovada em Parlamento na sua auditoria ao Novo Banco. Os socialistas defendem que seria inconstitucional avaliar o desempenho do Banco de Portugal. Uma proposta do PSD aprovada em …

Avarias param 9 das 20 novas ambulâncias do INEM

Só entraram em serviço em abril, mas as novas ambulâncias do INEM já estão a dar problemas. Dos 20 novos veículos, apenas 11 estão a circular normalmente. As sirenes e as luzes desligam-se em andamento e …

Máfias e milícias responsáveis por incêndios da Amazónia, conclui relatório

As queimadas associadas aos desmatamento da Amazónia resultam em grande parte da ação violenta de redes criminosas, conclui um relatório da Human Rights Watch. Divulgado esta terça-feira, um relatório da Human Rights Watch conclui que as …

Benfica lança-se à 'Champions' com Lage a admitir mexer no ataque

O Benfica estreia-se hoje diante dos alemães do Leipzig na edição 2019/20 da Liga dos Campeões de futebol, competição em que tentará ultrapassar os 'fracassos' das duas anteriores épocas, nas quais foi eliminado na fase …

Itália. Matteo Renzi abandona o Partido Democrata e anuncia formação de novo partido

O ex-primeiro-ministro italiano Matteo Renzi anunciou que vai deixar o Partido Democrata (PD), do qual era secretário-geral, para criar a sua própria formação, mas garantiu que o grupo continuará a apoiar o Governo de Giuseppe …

Tribunal Arbitral reduz suspensão de Neymar na Champions

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) reduziu a suspensão imposta pelo Comité de Disciplina da UEFA de três para dois jogos a Neymar. O Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) decidiu esta terça-feira reduzir a suspensão imposta …

Jerónimo admite "um ou outro descontente" interno e ataca arrivismo do PAN

Jerónimo de Sousa admitiu haver militantes descontentes com a participação na denominada "geringonça", embora frisando que o sentimento geral é de satisfação, e atacou algumas posições do PAN, defendendo que "Os Verdes" são o verdadeiro …

Brexit. Juncker recorda a Johnson que cabe ao Reino Unido apresentar propostas

O presidente da Comissão Europeia recordou na segunda-feira ao primeiro-ministro britânico que cabe ao Reino Unido apresentar "soluções legalmente operacionais" e compatíveis com o Acordo de Saída, reiterando a disponibilidade europeia para apreciar se estas …

"Quem manda nas seleções são os agentes, para valorizar jogadores, interesses"

Carlitos relembra a altura em que foi chamado à seleção de sub-21 pela mão do empresário José Veiga. O antigo jogador do Benfica diz que "quem manda nas seleções são os agentes". Aos 37 anos, Carlitos …

Ataque às refinarias. Arábia Saudita e EUA apontam o dedo ao Irão

A Arábia Saudita e os Estados Unidos deixaram a entender que o Irão está por detrás do ataque de sábado que atingiu as principais instalações petrolíferas sauditas. O Governo de Teerão nega, apontando o dedo …