Só há uma forma de pulverizar a Terra (e não é com armas nucleares)

A Humanidade ainda não conseguiu criar tecnologia tão poderosa que gere energia suficiente para igualar a força de coesão que mantém unida toda a matéria da Terra. Segundo os cientistas, só uma coisa o poderia fazer.

Pode parecer uma ideia comum, pelo menos a avaliar pelos inúmeros filmes de ficção científica em que o nosso planeta é destruído com uma enorme explosão que o faz em pedaços, mas consegui-lo é na realidade muito mais difícil do que se pensa.

No seu mais recente vídeo, o canal de divulgação científica Second Thought no YouTube explica porque é impossível que os humanos algum dia criem algo que possa destruir completamente a Terra.

A razão é simples: a força de coesão gravitacional do nosso planeta, que mantém unida toda a matéria da Terra, é extremamente poderosa, com uma energia de 2,24×10³² jules, e a potência conjunta de todas as armas de todos os arsenais nucleares do planeta, por muito assustador que sejam, é mil biliões de vezes mais pequena do que a que seria necessária para obliterar o planeta.

Por comparação, o impacto do asteróide que (alegadamente) dizimou os dinossauros libertou uma equivalente a 100 milhões de toneladas de TNT – cerca de 15 300 vezes a energia de todo o arsenal nuclear de Donald Trump, Kim Yong-un, Vladimir Putin, Xi Jinping e todos os seus companheiros.

Assim, o arsenal nuclear do mundo apenas conseguiria matar toda a Vida no planeta.

Em contrapartida, se conseguíssemos criar uma arma de anti-matéria para destruir o planeta, bastar-nos-iam 25 biliões de toneladas de anti-matéria – ainda assim, cerca de 25 biliões de toneladas acima da quantidade que é provável que algum dia consigamos produzir nos próximos dez mil milhões de anos: 1 grama.

Mas se, enquanto afaga o gato branco que tem ao colo, está a pensar “então como é que eu conseguiria destruir completamente a Terra”, fique a saber que há uma forma. Bastaria para tal desviar um bom asteróide e colocá-lo em rota de colisão com o nosso planeta.

Ainda assim, não poderia ser um asteróide qualquer – podia ser um planetazinho do tamanho de Vénus, por exemplo – e teria que estar a mover-se a uma velocidade de qualquer coisa como 90% da velocidade da luz. Nada de especial, certo?

Em teoria, é efectivamente possível alterar a rota de um asteróide usando o campo gravitacional de outros corpos celestes. A dificuldade reside na necessidade de calcular com infinitésima precisão a rota exacta para garantir o impulso necessário para que o asteróide cumpra a sua missão – obliterar o planeta com o seu impacto.

Ora esses cálculos parecem um pouco complicados, quando por esta altura a Humanidade ainda nem sequer sabe como é que se faz exactamente o contrário, isto é, como é que se conseguiria desviar um niquinho que seja (e para onde quer que seja) qualquer asteroidezinho que ameace dirigir-se para próximo do nosso quintal.

(dr)

  AJB, ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Notícia clássica de “silly season”, mas atingiu o objectivo: fez-me rir!
    (a referência ao “gato branco” é esplendida, pena que seja “estragada” pela presença da fotografia. Sem foto, seria muito mais subtil!!!)

  2. É lamentável que hajam tantos cérebros neste planeta a pensar em destruir-lo quando melhor seria que pensassem em o melhor tratar para que a vida por por cá se pudesse alongar um pouco mais, é que chegado o dia final sobretudo dos humanos na Terra será o ponto final em todas as experiências más ou boas.

RESPONDER

Combustíveis: governantes "não fizeram o trabalho de casa"

A presidente executiva da OZ Energia, Micaela Silva, defendeu que o “Governo devia intervir menos” no mercado dos combustíveis, porque é liberalizado e não tem margens excessivas de comercialização, mas é “muito penalizado” pela quantidade …

Implante cerebral permite que paciente totalmente cega consiga ver formas e letras

Os cientistas da Universidade Miguel Hernández de Elche (UMH), em Espanha, fizeram com que uma mulher completamente cega conseguisse ver formas simples e letras, através da colocação de um implante no seu córtex visual. Os investigadores …

Teoria dos primatas pedrados. Podem os cogumelos mágicos ter sido a chave para a nossa evolução?

A teoria já era conhecida desde os anos 90, mas um novo estudo veio trazê-la à baila novamente. O argumento é de que os cogumelos com efeitos psicadélicos podem ter ajudado a tornar os nossos …

Ainda sem fumo branco para o OE, Bloco e PCP reúnem órgãos máximos

O PCP e o Bloco de Esquerda reúnem hoje os respetivos órgãos máximos entre congressos com a proposta orçamental para 2022 no centro do debate. As conclusões da reunião da Mesa Nacional do BE serão apresentadas …

Sismo de 4,9 em La Palma e novo colapso do cone do Cumbre Vieja

A ilha espanhola de La Palma registou hoje um sismo de 4,8 de magnitude, no dia em que o vulcão voltou a sofrer um colapso no cone principal, causando grandes derrames de lava. O sismo foi …

Algas vivas sensíveis à luz (um tipo de cianobactérias chamado Synechocystis) injetadas num girino

Podia ser ficção científica, mas não é. Injetar algas no sangue dos sapos pode ajudá-los a respirar

Os sapos adotam várias técnicas de respiração ao longo da sua vida. Agora, uma equipa de cientistas alemães desenvolveu um novo método que permite que os girinos "respirem" graças à introdução de algas na sua …

As misteriosas auroras de Úrano foram finalmente detalhadas ao pormenor pelos cientistas

Auroras de Úrano foram captadas pela primeira vez em 2011 através do telescópio Hubble Space, mas as suas origens representam ainda mistérios que os cientistas não conseguem esclarecer. Pela primeira vez, os cientistas conseguiram moldar a …

Domingo invulgar: 17 grandes jogos para ver, em poucas horas

A ementa começa em França, ao meio-dia, e acaba no Chile, já depois das oito da noite. Não estamos perto do Carnaval mas vem aí um "domingo gordo" no futebol. Vários jogos grandes, uns mais mediáticos …

Sporting 1-0 Moreirense | Capitão Coates embala leão

O Sporting igualou hoje o FC Porto na liderança provisória da I Liga portuguesa de futebol, ao vencer em casa o Moreirense, por 1-0, em jogo da nona jornada. O capitão Sebastián Coates marcou, aos …

Relatório médico indica que jovem chinês morreu após beber uma garrafa de Coca-Cola em dez minutos

Um homem chinês morreu depois de beber uma garrafa de 1,5 litros de Coca-Cola em dez minutos, informaram os médicos num relatório. O jovem de 22 anos, que não tinha doenças subjacentes, dirigiu às urgências do …