/

Há 50 anos, Armstrong pousou na lua. Simulação mostra como foi

2

A equipa do Lunar Reconnaissance Orbiter Camera (LROC) da NASA recriou o pouso na superfície da Lua em 1969, do módulo lunar Apollo 11, conhecido como “Águia”, mostrando o que o astronauta Neil Armstrong viu da sua janela. 

O único registo visual da histórica alunagem da Apollo 11 é de uma câmara time-lapse de 16 mm, que foi colocada na janela do companheiro de Armstrong, Buzz Aldrin.

“No entanto, esta perspetiva mostra a visão da janela direita, perdendo completamente [devido ao pequeno tamanho das janelas do módulo lunar e ao ângulo em que a câmara foi colocada] os perigos que Armstrong viu quando a Águia se aproximou da superfície”, explicou o líder da equipa da LROC, Mark Robinson, citado pelo portal Space.com.

A equipe reconstruiu os últimos três minutos da trajetória de pouso da Águia, recorrendo a dados de arquivo aliados a novas imagem de alta resolução.

O vídeo começa quando Armstrong viu que seu o ponto pouso automatizado estava localizado no flanco rochoso a nordeste da Cratera Ocidental, com cerca de 190 metros de largura. Este não era um lugar perfeito para fazer alunar. Por isso, o astronauta assumiu o controlo manual e voou horizontalmente, procurando um lugar mais seguro para pousar.

“Naquela época, apenas Armstrong viu perigo. Estava muito ocupado a pilotar o módulo lunar para discutir a situação com o controlo da missão”, apontaram a equipa da LROC. “Depois de sobrevoar os perigos do flanco rochoso da Cratera Oeste, Armstrong descobriu um lugar seguro a cerca de 500 metros de distância, onde pousou cuidadosamente na superfície”, continuaram os cientistas.

Para mostrar a precisão da simulação, a equipa criou no vídeo uma visão lado a lado, onde é possível ver o filme original de 16mm juntamente com a visão simulada.

  ZAP //

2 Comments

  1. Pois é…Vamos raciocinar :- Uma criatura em seu juízo perfeito jamais entraria na fila para uma aventura irracional de mais de 72horas no espaço arriscando o nariz com irradiaçoes, bactérias desconhecidas e ainda em gravidade zero trancafiado em uma máquina sem ter total confiança nas latarias ainda mais ultrapassando o Cinturão de Van Halley. E se ainda conseguissem alguns autógrafos dos Ets, como seria a volta? Ja pararam para pensar?..Se a maquina subiu em pé como seria a sua descida?.. Sobreviver, só com muitas orações e ainda apostando nos chamados de SOS, amarrados nas cadeiras para serem impedidos de voar caso a nave viesse a explodir tal qual um meteorito!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE