“Sim” vence referendo para reduzir um terço dos deputados em Itália

Matteo Corner / EPA

O “sim” à redução em um terço dos deputados em Itália venceu o referendo realizado no domingo e hoje com 60% a 64% dos votos, segundo sondagens à boca das urnas citada pela agência Lusa.

O “não” obteve entre 36% e 40%, segundo o mesmo estudo, divulgado pela televisão pública RAI. Mais de 50 milhões de italianos foram convocados a votar no referendo sobre a redução do número de deputados e senadores dos atuais 945 para 600.

Com esta reforma, uma promessa eleitoral do Movimento 5 Estrelas (M5S, antissistema), a Câmara dos Deputados passará, na próxima legislatura, a ter 400 deputados, em vez dos atuais 630, e o Senado 200 senadores, em lugar dos atuais 315.

O referendo tinha sido previsto para março, mas foi adiado devido à pandemia de covid-19.

O referendo realizou-se em simultâneo com eleições em sete regiões. Na Toscana (centro), bastião histórico da esquerda, a coligação de extrema-direita e o candidato da esquerda estão empatados, segundo sondagem à boca das urnas da televisão Sky-TG 24.

O candidato do Partido Democrata (PD, centro-esquerda), Eugenio Giani, terá obtido entre 41% e 45% dos votos e a candidata da Liga (extrema-direita), Susanna Ceccardi, 38% a 42%, numa sondagem cuja margem de erro é de 3,1%.

Segundo a sondagem da RAI, Eugenio Giani, apoiado por outros três partidos de esquerda, obteria entre 43,5% e 47,5% e Susanna Ceccardi entre 40% e 44%.

Esquerda e direita com resultados próximos

Também na Apúlia (sul) registam-se resultados muito próximos entre a esquerda e a direita, com o candidato do PD e atual governador, Michele Emiliano, e o candidato da direita, Raffaele Fitto com entre 39% e 43% dos votos, segundo a sondagem da RAI.

Nas seis regiões em que o presidente do governo regional é eleito por voto direto, quatro estão nas mãos do centro-esquerda – Toscana, Marcas, Campânia e Puglia) e duas nas do centro-direita (Veneto e Ligúria). Na região de Vale da Aosta (noroeste) vota-se através de um sistema autónomo em que o presidente é eleito pelos conselheiros regionais.

Na Campânia (sul), o centro-esquerda deverá manter o governo regional, com o atual presidente, Vincenzo De Luca, com entre 54% e 58% dos votos e o candidato do centro-direita, Stefano Caldoro, com entre 23% e 27%.

Em Veneto (norte), o atual presidente do Veneto, Luca Zaia, apoiado pelo centro-direita, deverá obter entre 72% e 76% dos votos, enquanto Arturo Lorenzoni, o candidato do Partido Democrata (PD), 16% a 20%.

Em Marcas (centro), o centro-esquerda deverá perder. As sondagens indicam que o candidato de centro-direita Francesco Acquaroli obteria entre 47% e 51% dos votos e Maurizio Mangialardi, do centro-esquerda, entre 34% e 38%.

Nas eleições regionais, se um candidato não tiver mais de 50% dos votos realiza-se uma segunda volta no prazo de 15 dias.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. E se fizessem esse referendo em Portugal, estou certo que seria aprovado para reduzir o número de deputados em 100%

Hesitação anedótica dos deputados do PSD Madeira terá sido motivada por pressões de Rui Rio

O momento anedótico protagonizado pelos deputados do PSD Madeira, no Parlamento, aquando do chumbo às transferências de mais dinheiro para o Novo Banco, terá sido motivado por pressões de Rui Rio sobre o presidente do …

Estudo prevê menos de 2 mil novos casos diários no Natal

No Natal, Portugal deverá registar menos de dois mil novos casos diários de covid-19, segundo uma projeção da Faculdade de Ciência da Universidade de Lisboa divulgada hoje. Neste momento regista-se uma redução de 2,7% de novos …

A brilhar na seleção e sem lugar no Sporting, Plata é pretendido pelo Leicester

Depois de somar um par de boas exibições ao serviço da seleção equatoriana, Gonzalo Plata está a ser sondado pelo Leicester. O jovem de 20 anos não tem sido opção no Sporting. Gonzalo Plata tem atraído …

"É impensável um relaxamento". Entre novas medidas, Itália impõe quarentena a turistas nacionais e estrangeiros no Natal

O governo de Itália aprovou a quarentena obrigatória para cidadãos italianos que estejam no estrangeiro entre 21 de dezembro e 6 de janeiro e regressem ao país e para turistas, para prevenir uma "terceira vaga" …

Esta à porta mais um fim de semana de restrições. Concelhos “fecham” a partir das 23h

Entre as 23h00 desta sexta-feira e as 23h59 de terça-feira estão proibidas as deslocações para fora do concelho de residência habitual, salvo algumas exceções previstas na lei. Nesta sexta-feira, o Parlamento prepara-se para dar “luz verde” …

Lucas Veríssimo tem dado dores de cabeça ao Benfica, mas "poderá sair de graça em janeiro"

O presidente do Santos, Orlando Rollo, avisa que há o sério risco de Lucas Veríssimo sair a custo zero já em janeiro. O SL Benfica está ainda a estudar a sua contratação. O negócio de Lucas …

Tabelas do IRS podem significar aumento do salário mínimo até 685 euros

A divulgação das novas tabelas de retenção na fonte de IRS sugere que o salário mínimo nacional possa aumentar até aos 685 euros. O valor a partir do qual salários e pensões passam a descontar IRS …

Arquipélago na "Atlântida britânica" sobreviveu a tsunami há 8 mil anos

Cientistas acreditam que uma parte de Doggerland, uma antiga civilização conhecida como a "Atlântida britânica", tenha sobrevivido ao tsunami que inundou a região há 8 mil anos. Doggerland foi uma civilização antiga no Mar do Norte, …

Plano de vacinação pode prolongar-se até março de 2022. Normalidade pode regressar já no próximo verão

Portugal vai receber 22,8 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 que chegam para imunizar toda a população, mas o processo vai decorrer em três fases, a última das quais poderá prolongar-se até ao …

Partidos concordam com o alívio no Natal (mas plano de vacinação não satisfaz Marcelo)

Com o voto favorável do PSD assegurado, o Parlamento vai aprovar, esta sexta-feira, o decreto presidencial com a segunda renovação do estado de emergência desta segunda fase da pandemia. Depois da reunião no Infarmed, Marcelo Rebelo …