Selo danificado mantém Rendeiro em prisão preventiva até 27 de janeiro

1

Luís Miguel Fonseca / Lusa

O ex-banqueiro João Rendeiro no Tribunal de Verulam.

O ex-banqueiro João Rendeiro no Tribunal de Verulam.

Rendeiro vai continuar em prisão preventiva até 27 de janeiro. A audição desta sexta-feira foi adiada após ter sido identificado um selo danificado na documentação.

João Rendeiro regressou esta sexta-feira ao tribunal de Durban, na África do Sul, numa audição que terminou mais rápido do que começou — depois de um atraso de duas horas.

Ainda ontem, escrevia o Público, a advogada de Rendeiro, June Marks, salientou que havia um erro no pedido de extradição entregue pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

Já em tribunal soube-se do problema em causa: um selo danificado no documento em português. Enquanto isso, o selo do documento traduzido em inglês estava intacto, diz o Expresso.

Assim, a discussão do processo de extradição do ex-banqueiro ficou marcada para dia 27 de janeiro, próxima quinta-feira, anunciou hoje o magistrado Johan Van Rooyen. O ex-presidente do Banco Privado Português (BPP) continuará detido na prisão de Westville, província de Westville, KwaZulu-Nata.

“Há dois conjuntos de documentação. O selo da versão portuguesa está danificado, algo contrário da versão inglesa cujo selo está intacto. Esta questão pode ser considerada um problema”, ditou o juiz sul-africano.

Agora, as autoridades judiciais sul-africanas vão analisar as condições da selagem dos documentos e tentar perceber as razões da danificação. Os documentos terão de ser comparados com a versão inglesa para garantir que não houve adulterações, explica o semanário.

Rendeiro chegou a tribunal sob forte proteção policial, com vários elementos armados da polícia sul-africana, assim como membros da Interpol.

O ex-banqueiro não pretende cumprir a pena de cinco anos e oito meses de prisão em Portugal, opondo-se veemente à extradição.

A defesa de Rendeiro recorreu ao Supremo Tribunal da África do Sul para contestar a decisão do juiz em recusar o pedido de libertação do português sob uma fiança de 40 mil rands (cerca de 2.190 euros).

June Marks garante que Rendeiro não iria voltar a fugir à Justiça e criticou o juiz por ter colocado Rendeiro na prisão por pressão da opinião pública e comunicação social portuguesas.

  Daniel Costa, ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE