Segunda vítima mortal nos protestos de Hong Kong. Xi Jinping condena manifestações

Jerome Favre / EPA

O quarto dia consecutivo de protestos ficou marcado pela morte de um homem de 70 anos. Esta é a segunda vítima mortal desde o início das manifestações em Hong Kong.

De acordo com a imprensa internacional, o homem terá sido atingido por um tijolo durante confrontos entre manifestantes e moradores, esta quinta-feira. O homem de 70 anos acabou por não conseguir resistir ao ferimentos e morreu já no hospital.

Segundo o South China Morning Post, pensa-se que o homem estava na sua folga do almoço e filmou os confrontos entre moradores e manifestantes no seu telemóvel, antes de um tijolo ter sido atirado “maliciosamente”. O caso está a ser tratado como um homicídio pela polícia, estando atualmente à procura de testemunhas oculares para identificar o suspeito do crime.

As autoridades têm acesso às câmaras de CCTV para as ajudar no seu trabalho. “Até ao momento, ainda não identificamos nenhum suspeito. Mas, de acordo com a nossa investigação inicial, existem testemunhas e vídeos nas redes sociais”, disse Chan Tin-chu, da polícia de Hong Kong.

Esta é a segunda morte nos protestos de Hong Kong, depois de na semana passada um estudante ter morrido após cair de um edifício.

Em Londres, a secretária de Estado da Justiça de Hong Kong, Teresa Cheng, ficou ferida após ter sido empurrada por manifestantes antigovernamentais. Cheng tem sido visada por promover uma lei que permite a extradição para o território chinês.

A tensão tem escalado de forma galopante em Hong Kong, com os protestos a intensificarem-se. A BBC relata que alguns estudantes universitários, que participam nas manifestações, estão a usar arco e flechas a arder para combater com a polícia.

O presidente chinês, Xi Jinping, considera que as manifestações pró-democracia que há mais de quatro meses assolam as ruas de Hong Kong “desrespeitam seriamente o Estado de direito e a ordem social” neste território semiautónomo.

Em declarações feitas durante a cimeira do bloco BRICS [Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul] em Brasília, e reproduzidas pelo jornal oficial do Partido Comunista Chinês, Xi Jinping considerou mesmo que os incidentes de Hong Kong estão a colocar em causa o princípio que norteia o sistema político “um país, dois sistemas” — a ideia proposta pelo antigo líder Deng Xiaoping para a unificação da China.

O Presidente chinês disse que Pequim “apoia fortemente” o governo de Hong Kong e a sua polícia, considerando que a tarefa mais importante, agora, é “acabar com a violência e restaurar a ordem”.

As declarações de Xi Jinping acontecem no quarto dia consecutivo de manifestações pró-democracia em Hong Kong, que já levaram as autoridades a pedir reforços para conter as ações de violência, que se intensificaram após a morte de um estudante de 22 anos, na passada sexta-feira.

A morte do estudante foi o terceiro caso confirmado de um manifestante atingido a tiro pela polícia, em imagens que foram transmitidas ao vivo por estações televisivas, gerando forte contestação, sobretudo entre os manifestantes mais jovens, que prometeram retaliações.

A contestação social, que dura há mais de quatro meses, foi desencadeada pela apresentação de uma proposta de alteração à lei da extradição, que permitiria ao Governo e aos tribunais da região administrativa especial a extradição de suspeitos de crimes para jurisdições sem acordos prévios, como é o caso da China continental.

A proposta foi, entretanto, formalmente retirada, mas as manifestações generalizaram-se e reivindicam agora a implementação do sufrágio universal no território, a demissão da atual chefe do Governo, Carrie Lam, uma investigação independente à violência policial e a libertação dos detidos ao longo dos protestos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Só falta à policia de Hong Kong ser tão bruta como a de Espanha, França e EUA e começar a arrancar olhos e balear as pessoas pelas costas.

RESPONDER

Presidenciais. Grandes vencedores e (poucos) derrotados

Num ato eleitoral marcado pela pandemia de covid-19, que chegou a trazer incerteza aos prognósticos precoces que há meses se alinhavavam, Marcelo Rebelo de Sousa, reeleito à primeira volta, é o grande vencedor da noite. …

A inclinação de Saturno é provocada pelas suas luas (e vai aumentar)

Uma equipa de cientistas concluiu que a influência dos satélites de Saturno pode explicar a inclinação do eixo de rotação do planeta. Dois cientistas do CNRS (Centre National de la Recherche Scientifique) e da Universidade Sorbonne, …

Marcelo. O que os portugueses querem (e o que não querem)

Num discurso de vitória após as eleições presidenciais deste domingo, Marcelo Rebelo de Sousa assumiu uma postura de estado e começou por recordar as vítimas da pandemia de Covid-19 no seu pior dia de sempre …

Entre o "contributo singular" de João Ferreira e a "onda liberal" de Mayan, Marisa Matias assume derrota

Marisa Matias foi uma das grandes derrotadas da noite de eleições presidenciais, ficando-se pelo quinto lugar, atrás de João Ferreira, o candidato do PCP. Já Tiago Mayan Gonçalves ficou no sexto lugar, à frente de …

Ana Gomes aponta o dedo a Costa e à esquerda e diz que travou Ventura sozinha

Ana Gomes considera que a sua candidatura conseguiu travar "a progressão da extrema direita" quando os partidos de esquerda se preocuparam apenas com as suas "agendas políticas". No rescaldo da reeleição de Marcelo Rebelo de …

De diferentes cidades, mas com o mesmo nome. Quatro estranhos chamados Paul O'Sullivan formaram uma banda

A banda Paul O'Sullivan apresenta Paul O'Sullivan no baixo, guitarra, bateria e voz. Porém, não é uma banda de um homem só. Cada membro é um músico diferente com o mesmo nome: Paul O'Sullivan. "Uma noite, …

Ventura celebrou "noite histórica", demitiu-se do Chega e avisou o PSD

André Ventura começou por assinalar a "noite histórica" face aos resultados que obteve nas eleições presidenciais 2021. Mas como ficou em 3º lugar, atrás de Ana Gomes, anunciou a demissão do Chega. "Fiquei aquém dos 15% …

Região italiana da Lombardia esteve confinada durante uma semana por engano

A Lombardia, coração económico do norte de Itália, foi confinada e classificada como zona vermelha por engano durante uma semana, devido a estatísticas erradas sobre covid-19, e só ontem um decreto governamental retificou a situação. Devido …

Rio destaca "esmagamento da esquerda" e pede a Marcelo para ser "um bocadinho mais exigente"

"A marca mais forte" destas eleições presidenciais é "a derrota do PS". A análise é de Rui Rio, presidente do PSD, que fala do "esmagamento da esquerda" e da "vitória do candidato do centro", apelando …

Há uma nova explicação para o facto de bebés amamentados terem sistemas imunitários mais saudáveis

Um novo estudo realizado por investigadores da Universidade de Birmingham, no Reino Unido, descobriu que o leite materno promove o crescimento de importantes células imunitárias que ajudam a controlar eventuais inflamações. De acordo com o site …