Estudo genético revela segredos dos mastodontes americanos

Um novo estudo genético analisou fosseis de mastodontes americanos, revelando alguns segredos destas criaturas e percebendo como reagiram às alterações climáticas.

Os mastodontes americanos encontram no elefante o seu espelho daquilo com que se poderiam ter assemelhado há mais de 11 mil anos, antes da sua extinção. Um novo estudo publicado este mês na revista científica Nature Communications mostra como é que estas criaturas reagiram às alterações ambientais.

Os investigadores envolvidos no estudo analisaram a informação genética preservada em 33 mastodontes. Vários museus e universidade colaboraram doando fosseis para o estudo.

Segundo o Gizmodo, os autores descobriram que, quando o nosso planeta aqueceu, criando um corredor de terra entre mantos de gelo, os mastodontes aproveitaram a expansão de árvores e plantas nesses climas. Com a descida das temperaturas, os mastodontes migaram para o sul, alterando a paisagem e possíveis fontes de alimento. Enquanto alguns prosperaram, outros ficaram isolados.

Quando o autor principal do estudo, Emil Karpinski, começou a investigação há seis anos, a variabilidade regional em mastodontes americanos foi praticamente negligenciada antes da descoberta do mastodonte do Pacífico, no ano passado. Este foi um percalço que atrasou significativamente o trabalho dos cientistas.

“Uma das partes mais difíceis quando trabalhamos com ADN antigo é que há muito pouco material do animal real deixado no osso”, explicou Karpinski ao Gizmodo. “Quando lidamos com amostras destes animais, poderíamos estar a falar em alguns locais com menos de 1% do ADN total. Alguns dos melhores materiais que saem da Sibéria, Alasca, Yukon, ocasionalmente você atinge os 60-70%”.

Karpinski e companhia conseguiram retirar 33 genomas mitocondriais de 122 fosseis.

“É o primeiro estudo genético em grande escala sobre navegadores da megafauna na América do Norte. É um grande aumento nos genomas mitocondriais de mastodontes”, acrescentou Karpinski.

Os mastodontes apresentam também uma grande variedade. Essa diversidade reflete-se nos cinco diferentes clados descobertos pela equipa. Por outras palavras, embora atualmente agrupados como mastodontes americanos, esses animais pertencem não a um, mas a cinco grupos genéticos distintos.

Os autores sugerem que descobrir como é que estes animais antigos responderam a alterações climáticas drásticas pode ajudar-nos a entender melhor as possíveis reações de animais ao aquecimento global dos dias de hoje.

Karpinski salienta que este é apenas o primeiro passo para compreender a história evolutiva do mastodonte na América do Norte. “Este padrão de migração não se aplica apenas aos mastodontes. Estes animais não viviam isolados, mas em ecossistemas complexos repletos de outras plantas e animais”, explicou o especialista.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Faca feita de fezes entre os vencedores deste ano dos prémios Ig Nobel

Uma faca feita com fezes congeladas e um jacaré a arrotar são alguns dos vencedores dos prémis Ig Nobel, que distinguem as invenções mais incomuns. Os prémios Ig Nobel – uma paródia dos prémios atribuídos pelas …

O hemisfério norte teve o verão mais quente de que há registo (e isso é um sinal de alerta para a Terra)

O hemisfério teve em 2020 o verão mais quente de que há registo. No geral, o Planeta Terra teve três dos meses mais quentes, e o mês de agosto foi o segundo mais quente que …

Há uma nova explicação para o naufrágio do Titanic: Uma fantástica Aurora Boreal

Todos conhecemos a história do Titanic. Também todos sabemos que o seu naufrágio aconteceu após o grande navio ter embatido num iceberg. Contudo, um investigador americano põe novas hipóteses em cima da mesa. E se …

Famalicão 1-5 Benfica | "Águia" faminta com nota artística

Após a desilusão de Salónica, que ditou um adeus precoce dos milhões da fase de grupos da Liga dos Campeões, o Benfica goleou na noite desta sexta-feira o Famalicão por 5-1, numa espécie de redenção. Neste …

O anonimato de Banksy teve um custo. Perdeu os direitos sobre uma das suas obras mais icónicas

O famoso artista de rua britânico Banksy perdeu uma longa batalha judicial pelos direitos autorais da obra "The Flower Thrower", contra a Full Colour Black, empresa que produz postais de felicitações. Banksy, o misterioso artista que, …

Reino Unido e Espanha aumentam restrições. Itália e Alemanha com quase dois mil casos

Madrid restringe movimentos de 850 mil pessoas, Itália regista um aumento dos casos de infeção nas últimas 24 horas, britânicos enfrentam novas restrições no país e Alemanha com dois mil novos casos de covid-19. A região …

Trump novamente acusado de assédio sexual. "Enfiou a língua na minha garganta", disse Amy Doris

O Presidente dos EUA, Donald Trump, foi acusado esta quinta-feira de agressão sexual por uma ex-modelo, num episódio que alegadamente terá ocorrido num torneio de ténis, em 1997. A ex-modelo Amy Dorris relatou ao jornal britânico …

Ventura pondera suspender mandato para se dedicar à campanha presidencial

O presidente do Chega afirmou hoje que o seu partido "está a analisar" no plano jurídico a questão da suspensão temporária do seu mandato de deputado para se dedicar às campanhas dos Açores e presidenciais. Em …

Schumacher está em estado vegetativo e dificilmente recupera, avisa neurologista

Um neurologista ouvido num documentário da RMC Sport diz que o ex-piloto de Fórmula 1 Michael Schumacher está em estado vegetativo e dificilmente recuperará. Já passaram quase sete anos desde que Michael Schumacher sofreu um acidente …

Processos com acórdãos a meias entre Rangel e Galante estão em risco

Durante dez anos, centenas de acórdãos do Tribunal da Relação de Lisboa foram feitos a meias entre Rui Rangel e Fátima Galante. Agora, esses processos estão em risco. A Procuradoria-Geral da República anunciou esta sexta-feira a …