Secadores de mãos das casas de banho espalham bactérias das fezes

Lavar as mãos depois de usar a casa de banho é altamente indicado para evitar a proliferação de doenças, mas os secadores de mãos a ar usados nas casas de banho públicas não são muito eficientes nesta tarefa.

Esse tipo de equipamento suga as bactérias e os esporos que circulam no ar da casa de banho, que são para ali atirados pelos minúsculos jatos de água da descarga, e põe-nas diretamente nas suas mãos limpinhas. A hipótese acaba de ser confirmada num estudo publicado na revista Applied and Environmental Microbiology em abril.

Os autores do estudo, liderados por cientistas da Universidade de Connecticut, nos EUA, descobriram que instalar filtros HEPA nos secadores pode reduzir em quatro vezes o problema, mas locais como hospitais, clínicas médicas e laboratórios, que lidam com doenças infecciosas, devem oferecer a boa e velha toalha de papel.

Desde que o estudo foi realizado nas 36 casas de banho dos laboratórios básicos da faculdade de medicina da Universidade de Connecticut, a instituição substituiu os secadores por toalhas de papel.

Os resultados do estudo confirmam outros estudos da mesma linha, que mostram que os secadores lançam e espalham bactérias das mãos para as superfícies da casa de banho e que também “lavam” as mãos com germes que já estavam no espaço.

Os cientistas especulam que uma das razões para que as máquinas dispersem tantas bactérias é que a enorme quantidade de ar que passa por elas.

No estudo, os invetsigadores colocaram placas com ágar – comida de bactéria – em algumas casas de banho da universidade. Alguns foram deixados no ambiente por apenas dois minutos enquanto os secadores de mãos estavam desligados, e outros foram posicionados a 30 centímetros da saída de ar do secador em funcionamento.

Se as bactérias caíssem na placa, começavam a multiplicar-se e formar colónias coloridas que podem ser contadas.

Nas casas de banho sem movimentação de ar, cada placa recebeu entre zero e uma colónia de bactérias. Quando as placas ficavam abertas por 18 horas, essa média aumentava para seis bactérias por placa.

Mas quando estavam na linha direta dos secadores de mão por apenas 30 segundos, as placas recolheram entre 18 a 60 colónias, sendo que algumas poucas placas registaram 254 colónias.

Os investigadores concluíram que esses germes lançados eram originalmente da casa de banho, e não do bico do secador. Isso foi deduzido porque pequenos ventiladores esterilizados foram colocados em diferentes partes da casa de banho para imitar o funcionamento do secador, e os resultados foram semelhantes.

A boa notícia é que instalar filtros HEPA nos secadores reduziu a contagem de germes que caíram nas placas em quatro vezes.

Outra novidade deste estudo é que os secadores de ar quente, que teoricamente matam as bactérias com o calor, não conseguiram matar os esporos dessas bactérias. Enquanto a maioria das células bacterianas é morta com temperatura à volts de 70°C, os endósporos podem sobreviver até em água fervente.

A esporulação ocorre quando essas bactérias estão em ambientes que ameaçam a sobrevivência, sem nutrientes suficientes. O esporo é uma camada que protege a bactéria e lhe confere resistência ao ataque de agentes físicos e químicos da esterilização e desinfeção. As bactérias podem permanecer vivas na forma de esporos durante anos, e assim que o ambiente fica favorável, os esporos voltam a reproduzir-se e multiplicar-se.

A pesquisa concluiu que os secadores com ar quente espalhavam esporos pelas superfícies das casas de banho.

Os laboratórios próximos às casas de banho da universidade estudada trabalham com a bactéria inofensiva Bacillus subtilis, cepa PS533. Apesar de esta bactéria ser bastante comum, esta cepa tem uma resistência distintiva ao antibiótico canamicina, medicamento que caiu em desuso por ter ação limitada.

Com esta distinção, os cientistas podem identificá-las com facilidade entre as amostras de bactérias da casa de banho. Basta aplicar o antibiótico nas amostras, e as sobreviventes são as B. subtilis PD533. Esta bactéria foi encontrada em todas casas de banho testadas.

Outras bactérias também foram analisadas, e a Staphylococcus aureus também foram encontradas. Essas bactérias são encontradas na pele de pessoas saudáveis, mas podem provocar doenças que vão desde pequenas infeções até infeções graves como pneumonia e meningite.

Os autores também destacam que a bactéria Clostridium difficile, que causa diarreia, também forma esporos e é facilmente lançada no ar da casa de banho pelos jatos da descarga.

“Isso sugere uma nova forma de transmissão da C. difficile que não pode ser interrompida por métodos tradicionais como lavar as mãos ou desinfetar superfícies. O papel dessa forma de transmissão de C. difficile vale a pena ser estudado no futuro” concluem os autores.

PARTILHAR

RESPONDER

O primeiro trilionário do mundo irá fazer fortuna a minerar asteroides

De acordo com o que prevê o Goldman Sachs, a mineração espacial poderá tornar-se a próxima fronteira da Humanidade no que diz respeito a fazer fortunas. Adeus bitcoins, olá mineração espacial. A empresa de investimentos Goldman …

Leilão de madeira queimada rendeu 2,85 milhões de euros

Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram vendidos por 2,85 milhões de euros. Dos 114 …

Nápoles em Lisboa por Patrício, Conti no Benfica

O guarda-redes do Sporting há muito tempo que está na mira do clube italiano, e segundo o jornal O Jogo, o emblema napolitano já se fez representar por dirigentes na capital portuguesa, numa tentativa de …

Estado vai pagar férias a 15 mil portugueses

O Governo, em parceria com a Fundação INATEL, lança nesta quinta-feira um programa que visa oferecer férias gratuitas ou a baixo custo, a pessoas com deficiências ou com mais de 55 anos de idade e …

Guru indiano condenado a prisão perpétua por violar jovem

Asaram Bapu violou uma jovem de 16 anos em 2013, enquanto os pais, que eram seus seguidores, esperavam e cantavam as orações do guru do lado de fora. Um tribunal indiano na cidade de Jodhpur, no …

Não houve segundo atirador no assassinato de John F. Kennedy

A velha teoria da conspiração que especulava que John F. Kennedy foi morto a tiro por um segundo atirador que estaria no infame "monte relvado" foi finalmente posta de lado. O Presidente dos Estados Unidos, John …

Deputado do PSD mora em Lisboa, mas recebe subsídios como se vivesse em Portalegre

O ex-número 2 do PSD, o deputado José Matos Rosa, reside em Lisboa há três anos, mas recebe do Parlamento o subsídio de transporte e as ajudas de custo porque declara Portalegre como a sua …

Bastonária dos Enfermeiros pede investigação a contratos de contentores no São João

A bastonária dos Enfermeiros pede às autoridades que investiguem os contratos entre o Hospital São João e as empresas que fornecem os contentores onde estão instaladas a pediatria e a neurocirurgia. Em entrevista à agência Lusa, …

ADN ajudou a capturar assassino que aterrorizou Califórnia nos anos 70 e 80

As autoridades da Califórnia anunciaram a prisão de um homem suspeito de ser o "assassino do estado dourado", responsável por assassinatos e violações em massa na Califórnia nas décadas de 1970 e 1980. "Na terça-feira, um …

Jihadista portuguesa capturada quando fugia dos combates na Síria

Uma mulher portuguesa que fez parte do grupo terrorista Estado Islâmico está entre as pessoas que foram capturadas por soldados curdos, nos últimos meses, e que vivem num acampamento do Alto-Comissariado das Nações Unidas para …