Seca leva alguns afegãos a venderem as filhas para comprarem comida

A ONU alertou esta terça-feira que a pior seca há décadas no Afeganistão e a ameaça da fome têm levado alguns afegãos a venderem as filhas para pagarem dívidas ou comprarem comida.

Pelo menos 161 crianças, entre as quais seis rapazes, foram vendidas num período de quatro meses apenas nas províncias afegãs de Herat e de Badghis, atingidas pela seca, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

As crianças têm entre um mês e 16 anos, precisou uma porta-voz da UNICEF, Alison Parker, num encontro com a imprensa em Genebra. Algumas são apenas bebés, mas já estão noivas, disse.

Falando à margem de uma conferência internacional sobre os esforços de reforma do governo afegão, que decorre até quarta-feira no Palácio das Nações, sede da ONU em Genebra, Parker declarou que as crianças que tinham sido interrogadas entre julho e outubro foram “prometidas, casadas ou vendidas porque os pais estavam endividados”.

“Antes da seca, mais de 80% das famílias já estavam endividadas”, disse, adiantando que muitas pessoas que esperavam poder pagar as dívidas após as colheitas não o puderam fazer.

Parker explicou que “a prática do casamento infantil é uma espécie de norma social enraizada no Afeganistão”, que é seguida por 35% da população em todo o país, atingindo nalgumas zonas até 80%.

Presentes em Genebra para a conferência sobre o Afeganistão, membros da sociedade civil afegã expressaram consternação face ao fenómeno das raparigas vendidas. “É muito chocante”, declarou Suraya Pakzad, da organização Voz das Mulheres no Afeganistão. “As pessoas precisam desesperadamente de ajuda. Sobretudo de comida”, adiantou.

De acordo com a ONU, pelo menos três milhões de afegãos estão em risco de fome, devido à seca resultante da falta de chuva e neve no inverno anterior.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) anunciou ter realizado no sábado a primeira “ponte aérea” no oeste do Afeganistão para encaminhar milhares de tendas para os deslocados pelo conflito e a seca. O ACNUR pretende efetuar 12 voos no total, a partir do Paquistão.

A seca e a guerra causaram mais de 250 mil deslocados naquela região do país desde abril, segundo o ACNUR. Atualmente, cerca de 220.000 famílias vivem em alojamentos precários nas províncias de Herat, Basghis e Ghor e, com a aproximação do inverno, o ACNUR diz ter constatado um aumento do número de crianças que morrem.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Empresa portuguesa quer produzir alface em câmaras frigoríficas (e podem ser levadas para Marte)

A empresa Grow to Green promete que vai produzir alimentos indoor. É possível gastar menos 98% de água na produção de alface, o que permite cultivá-lo diretamente no supermercado, no deserto ou, quem sabe um …

May rejeita novo referendo, apresenta Plano B do Brexit e pede ajuda à oposição

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, rejeitou esta segunda-feira convocar um segundo referendo sobre o Brexit e afirmou que espera voltar a debater com a União Europeia o controverso plano de salvaguarda elaborado para …

Porto vende 35 mil francesinhas por dia (e os turistas adoram)

O Porto vende pelo menos 35 mil francesinhas por dia nos mais de 700 cafés e restaurantes da cidade, o que significa que por mês há cerca de um milhão daquelas sanduíches especiais a serem …

China limita número de alpinistas autorizados a escalar Everest

O número total de alpinistas que tentam alcançar o topo do Everest, a 8.850 metros de altitude, a partir do norte, serão limitados a menos de 300, e a temporada de escalada será restringida à …

Rede francesa de solidariedade acolhe brasileiros que queiram fugir de Bolsonaro

Solidarité Brésil é o nome da iniciativa, lançada esta sexta-feira, em Paris, que tem como objetivo ajudar estudantes, artistas ou intelectuais que se sintam ameaçados no Brasil de Jair Bolsonaro. Podem ser estudantes, investigadores, artistas, professores, …

Todos os dias cinco portugueses tornam-se britânicos

Todos os dias, em média, cinco emigrantes portugueses tornam-se britânicos. Só entre janeiro de 2017 e setembro de 2018, 2.655 emigrantes no Reino Unido conseguiram obter cidadania britânica, número que supera o total de autorizações …

O maior encontro religioso do mundo leva 150 milhões de pessoas à Índia

Até 04 de março, são esperados na cidade indiana Allahabad cerca de 150 milhões de peregrinos, que buscam proteção e purificação nas águas que cruzam os rios sagrados Ganges, Yamuna e Saraswati, durante aquele que é …

Ciclistas indignados com anúncio que mostra bicicleta a ser abalroada

Um anúncio de publicidade do Continente em que um ciclista é abalroado por um automóvel está a gerar indignação. A Federação Portuguesa de Ciclismo já pediu a retirada do anúncio e apresentou queixa à Entidade …

Hoje, Wall Street parou. É dia de Martin Luther King Jr

Desde 1986 que se realiza, nos EUA, na terceira segunda-feira de janeiro, o dia de Martin Luther King Jr., um feriado federal. A bolsa de Nova York estará encerrada, assim como a maior parte das …

Vaticano acusado de conhecer má conduta de bispo argentino desde 2015

O Vaticano recebeu informações entre 2015 e 2017 de que um bispo argentino próximo do papa exibia um comportamento "obsceno" e foi acusado de má conduta com seminaristas, segundo um religioso citado pela Associated Press. As …