Seca leva alguns afegãos a venderem as filhas para comprarem comida

A ONU alertou esta terça-feira que a pior seca há décadas no Afeganistão e a ameaça da fome têm levado alguns afegãos a venderem as filhas para pagarem dívidas ou comprarem comida.

Pelo menos 161 crianças, entre as quais seis rapazes, foram vendidas num período de quatro meses apenas nas províncias afegãs de Herat e de Badghis, atingidas pela seca, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

As crianças têm entre um mês e 16 anos, precisou uma porta-voz da UNICEF, Alison Parker, num encontro com a imprensa em Genebra. Algumas são apenas bebés, mas já estão noivas, disse.

Falando à margem de uma conferência internacional sobre os esforços de reforma do governo afegão, que decorre até quarta-feira no Palácio das Nações, sede da ONU em Genebra, Parker declarou que as crianças que tinham sido interrogadas entre julho e outubro foram “prometidas, casadas ou vendidas porque os pais estavam endividados”.

“Antes da seca, mais de 80% das famílias já estavam endividadas”, disse, adiantando que muitas pessoas que esperavam poder pagar as dívidas após as colheitas não o puderam fazer.

Parker explicou que “a prática do casamento infantil é uma espécie de norma social enraizada no Afeganistão”, que é seguida por 35% da população em todo o país, atingindo nalgumas zonas até 80%.

Presentes em Genebra para a conferência sobre o Afeganistão, membros da sociedade civil afegã expressaram consternação face ao fenómeno das raparigas vendidas. “É muito chocante”, declarou Suraya Pakzad, da organização Voz das Mulheres no Afeganistão. “As pessoas precisam desesperadamente de ajuda. Sobretudo de comida”, adiantou.

De acordo com a ONU, pelo menos três milhões de afegãos estão em risco de fome, devido à seca resultante da falta de chuva e neve no inverno anterior.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) anunciou ter realizado no sábado a primeira “ponte aérea” no oeste do Afeganistão para encaminhar milhares de tendas para os deslocados pelo conflito e a seca. O ACNUR pretende efetuar 12 voos no total, a partir do Paquistão.

A seca e a guerra causaram mais de 250 mil deslocados naquela região do país desde abril, segundo o ACNUR. Atualmente, cerca de 220.000 famílias vivem em alojamentos precários nas províncias de Herat, Basghis e Ghor e, com a aproximação do inverno, o ACNUR diz ter constatado um aumento do número de crianças que morrem.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Afinal comer um ovo por dia é mau outra vez

Afinal, comer um ovo por dia não é assim tão bom para a saúde como estudos recentes sugeriam. O maior consumo de ovos e colesterol pode aumentar o risco de doenças cardíacas e de morte …

Na Colômbia, há um "arco-íris líquido" que é descrito como a 8ª maravilha do mundo

Escondido nos confins da Serra da Macarena, na Colômbia, está o rio Caño Cristales. De dezembro a maio, o curso de água é como outro qualquer, apesar de estar rodeado de um dos ecossistemas mais …

Com uma nova interface neural, a telepatia já é possível

Uma equipa internacional de cientistas deu um passo adiante no desenvolvimento de interfaces neuronais para propor uma interface que envolve a transferência de informação entre as pessoas diretamente. As interfaces cérebro-computador podem melhorar as habilidades individuais …

Bombeiros profissionais ameaçam deixar de prestar serviço voluntário nas corporações

Os bombeiros voluntários das associações humanitárias admitem deixar de prestar serviço voluntário nas corporações, caso a Liga dos Bombeiros Portugueses continue por concluir o acordo coletivo de trabalho, que está em negociação há mais de …

Baleia encontrada morta nas Filipinas com 40 quilos de plástico no estômago

Uma baleia foi encontrada morta na sexta-feira, na costa sudeste das Filipinas, com 40 quilos de plástico no estômago, informou a imprensa local. O cetáceo, uma baleia-bicuda-de-cuvier, apareceu na sexta-feira à beira-mar no município de Mabini, …

Macron convoca reforços após novos confrontos de coletes amarelos

A nova manifestação de "coletes amarelos", no sábado, registou distúrbios violentos na capital francesa. Como resposta, o presidente francês Emmanuel Macron convocou um reforço das forças de segurança. O dia de sábado marcou mais um protesto …

Pedidos de nacionalidade portuguesa aumentaram 50% em dois anos

Nos últimos dois anos, o número de pedidos de nacionalidade portuguesa aumentou cerca de 50%, avança o jornal Público esta segunda-feira. Se em 2016 foram 117.629 os cidadãos estrangeiros que pediram a nacionalidade portuguesa, em 2018 …

Não há democracia na Coreia do Norte? "É uma opinião", diz Jerónimo

Jerónimo de Sousa evitou classificar o regime de Kim Jong-un em termos "de ser ou não ser" uma democracia. A Coreia do Norte é ou não uma democracia? "É uma opinião", respondeu Jerónimo de Sousa. Numa …

Afinal, o esparguete à bolonhesa não existe

Quando se trata de refeições italianas clássicas, a maioria das pessoas pensa em pratos simples como uma pizza Margherita, lasanha e esparguete à bolonhesa. Contudo, segundo Virginio Merola, presidente de Bolonha, em Itália, o esparguete à bolonhesa …

Javalis tomaram o lugar dos coelhos. "Muitos animais estão doentes"

Para já, não há perigo de saúde pública, mas os javalis carregam doenças que podem passar a outros animais. Se antes se matavam mil coelhos, abatem-se agora 10 javalis. Jacinto Amaro, presidente da Fencaça - Federação …