Os satélites gémeos GRACE-FO já disparam os seus lasers no espaço

JPL-Caltech / NASA

Conceito artístico das duas naves gémeas da missão GRACE-FO

Falar de lasers e espaço na mesma frase será suficiente para fazer imaginar loucas batalhas espaciais como as que vemos em filmes como o Star Wars, mas desta vez a utilização de lasers é para fins científicos, bem mais pacíficos.

Os dois satélites GRACE-FO, ou Gravity Recovery and Climate Experiment Follow-On, que têm por missão observar alterações climáticas e a gravidade do nosso planeta, ligaram os seus lasers pela primeira vez.

Os lasers do duo de satélites estão a ser usados para monitorizar com precisão a distância entre si, de uma forma que superará a precisão obtida pelo sistema de micro-ondas utilizado na actual anterior de satélites.

A missão dos dois satélites é recolher dados para rastrear o movimento de massas líquidas de água, gelo e terra, criando mapas mensais das mudanças do campo gravitacional da Terra, dando continuidade ao registo climático estabelecido pela missão GRACE original (2002-2017), também um projecto conjunto entre os Estados Unidos e a Alemanha.

Segundo a NASA, a primeira missão GRACE deu aos cientistas um conjunto valioso de dados sobre a retracção permanente da massa de gelo na Antártida e na Gronelândia, gerando informação que foi usada em milhares de artigos científicos.

A nova tecnologia de medição de posicionamento, chamada Laser Ranging Interferometer, foi desenvolvida em colaboração entre o Jet Propulsion Laboratory da NASA, em Pasadena, e o Centro Alemão de Pesquisa em Geociências, em Potsdam, Berlim. Os dois satélites foram lançados a 22 de maio por um foguetão Falcon 9, da SpaceX.

“O LRI é um avanço na precisão da medição de distâncias no espaço”, disse ao site da NASA o director da Missão LRI, Kirk McKenzie, investigador do Jet Propulsion Laboratory da agência espacial norte-americana. “Este é o primeiro interferómetro laser a funcionar entre dois veículos espaciais e o culminar de 10 anos de investigação”.

Poderá não parecer difícil, mas tentar apontar um laser para um alvo do tamanho de uma moeda a 220 quilómetros de distância levanta inúmeras dificuldades, que a NASA teve que superar para poder implementar um sistema deste tipo.

Resta apenas esperar que esta tecnologia nunca seja adaptada a fins militares… pois ninguém gostaria de levar com um raio laser na cabeça vindo com grande precisão de uma arma a mais de 200km de distância.

PARTILHAR

RESPONDER

Tancos. Carlos Alexandre quer ouvir António Costa presencialmente

O juiz Carlos Alexandre quer ouvir o primeiro-ministro, António Costa, presencialmente durante a fase de instrução do processo de Tancos, recusando assim que o seu testemunho seja feito apenas por escrito. De acordo com a …

Orçamento de 2020 sem verba para pré-reformas na Função Pública

Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e Administração Pública, esclareceu que a proposta do Orçamento do Estado para o próximo ano não deverá reservar qualquer verba para financiar pré-reformas na função pública. Segundo o Diário …

Na medicina medieval, livros astrológicos diziam aos médicos quando tratar os pacientes

Na era medieval, os médicos tinham como seu auxílio um livro onde consultavam as posições dos planetas e das estrelas. A astrologia tinha uma grande influência na prática médica. Os médicos medievais tinham de possuir uma …

FC Porto contra-ataca acusações do Benfica com "palha para burros"

O FC Porto reagiu às acusações do SL Benfica de pressão às equipas de arbitragem, argumentando com várias suspeitas de corrupção que os 'encarnados' estão envolvidos. A troca de galhardetes entre FC Porto e SL Benfica …

OE2020. PSD Madeira não avisou direção de Rio sobre eventual voto a favor

A direção nacional do PSD foi apanhada de surpresa pelo anúncio de um possível voto favorável do PSD Madeira ao Orçamento do Estado para 2020. Em declarações à SIC, a direção de Rui Rio diz que …

Estado quer retomar Campus da Justiça no Porto

Na reunião de câmara desta segunda-feira, Pedro Baganha, vereador do Urbanismo, revelou que o Estado tem intenção de retomar o projeto do Campus da Justiça na Quinta de Santo António, no Porto, cuja primeira pedra …

As tartarugas-gigantes podem aprender coisas (e lembrar-se durante anos)

Um novo estudo sugere que as tartarugas-gigantes podem ser treinadas e lembrar-se daquilo que aprenderam durante vários anos. De acordo com o IFLScience, uma nova pesquisa mostra como as tartarugas-gigantes podem aprender novas tarefas e até …

Avião chileno desaparece com 38 pessoas a bordo a caminho da Antártida

A Força Aérea do Chile anunciou ter perdido "o contacto via rádio" com um avião militar C130 com 38 pessoas a bordo, que descolou de Punta Arenas, sul do país, para uma base na Antártida. "Um …

Tiroteio num hospital da República Checa faz pelo menos seis mortos. Atacante suicidou-se

Pelo menos seis pessoas morreram esta terça-feira num tiroteio no hospital da cidade de Ostrava, no nordeste da República Checa, de acordo com o ministro da Saúde Adam Vojtech. O autor do ataque suicidou-se. O tiroteio …

Genes alienígenas das bactérias ajudaram as plantas a conquistar a terra

Através da análise do genoma de dois tipos de algas, uma equipa de investigadores concluiu que genes alienígenas das bactérias ajudaram as plantas a conquistar a terra. Cientistas analisaram o genoma de uma rara alga encontrada …