Ryanair vai voar para os EUA por 14 euros

A Ryanair planeia fazer voos transatlânticos, até aos EUA, a partir de 139 euros, com promoções que podem partir dos 14 euros. A oferta é aliciante para os consumidores, mas só deverá ser posta em prática daqui a cinco anos.

O Conselho de Administração da companhia de aviação irlandesa aprovou o plano de expansão para a realização de voos transatlânticos, nomeadamente até Nova Iorque.

A empresa low cost tem em mente fazer viagens para o outro lado do Atlântico com preços normais a partir dos 139 euros, mas planeia levar a cabo promoções regulares que podem garantir bilhetes a partir dos 14 euros.

Revelações feitas pela responsável de marketing da Ryanair, Kenny Jacobs, em declarações ao Financial Times, e que constituem preços altamente competitivos, face às tarifas actualmente praticadas pelas grandes companhias aéreas com bilhetes ida e volta que rondam os 600 euros.

O sonho de voar para os EUA só deve, contudo, confirmar-se por volta de 2020. Graças à grande procura verificada, as marcações de Boeing e Airbus estão saturadas, pelo que a Ryanair terá que esperar entre quatro a cinco anos para garantir aviões para efectuar esses voos transatlânticos.

A Ryanair é uma das companhias de aviação que mais tem crescido, nos últimos anos, contando quase 88 milhões de passageiros só em 2015, somando apenas os números até ao mês de Fevereiro.

SV, ZAP

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Bancos com mil milhões de euros em pedidos de moratórias em média numa semana

Uma semana depois de a legislação da moratória pública ter entrado em vigor, os bancos nacionais já têm uma estimativa do número de pedidos de particulares e de empresas. De acordo com o Jornal Económico, os …

Idosos em lares infetados vão mudar-se (e podem ir para outros concelhos)

Na sequência do aumento de números de casos confirmados de covid- 19 nos lares, o Governo pretende “encontrar equipamentos alternativos” para alojar idosos, em isolamento profilático e que não precisem de tratamento hospitalar, dentro ou …

Apesar da pandemia, juiz Carlos Alexandre marca sessões do caso Tancos para abril

O juiz Carlos Alexandre marcou o interrogatório do principal arguido do processo relativo ao furto das armas de Tancos, João Paulino, para dia 21 de abril. De acordo com um despacho datado de 1 abril, citado …

Conceição pode estar de saída. FC Porto oferece 5 milhões por ano a Jesus

O treinador portista, Sérgio Conceição, pode estar de saída para a Alemanha. Como alternativa, o FC Porto está disposto a pagar 5 milhões de euros por ano a Jorge Jesus. Sérgio Conceição pode estar de saída …

Estado paga subsídio de refeição em teletrabalho. No privado, os patrões estão confusos

Mesmo à distância, os funcionários públicos mantêm o direito ao subsídio de refeição. No privado, a confusão mantém-se e os patrões estão divididos. De acordo com o secretário-geral da UGT, alguns patrões do privado estão a …

UEFA não quer campeonatos a seguir o exemplo belga

A UEFA reprovou a decisão da Liga de futebol da Bélgica que, esta quinta-feira, recomendou que se dê por terminada a época e se atribua o título ao Club Brugge.  Numa carta conjunta com a Associação de Clubes …

Boris Johnson em cheque. Desta vez, por causa da quantidade ínfima de testes

A pandemia de covid-19 está a ser um calvário político para Boris Johnson. O primeiro-ministro britânico tem sido alvo de várias críticas, sendo que a última tem a ver com a quantidade ínfima de testes …

EUA com pior recorde mundial diário de mortes. 10 milhões perderam o emprego

Os Estados Unidos registaram, esta quinta-feira, 1169 mortes em 24 horas causadas pela covid-19, o pior recorde mundial diário, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins. O número recorde de mortes em 24 horas …

Real Madrid sonda Maximiano. Sporting quer blindá-lo com cláusula de 60 milhões

O Real Madrid está atento a Luís Maximiano, o guarda-redes de 21 anos do Sporting. Os 'leões' querem blindar o jogador com uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros. O Real Madrid está interessado …

Lares britânicos recomendam idosos a assinar cláusula de "não-reanimação"

Lares britânicos recomendaram aos mais velhos que assinassem uma cláusula de "não-reanimação" para que as camas dos hospitais não fossem ocupadas por pessoas com uma menor probabilidade de sobreviver. No Reino Unido, surgem denúncias de que …