/

Rússia quer descriminalizar violência doméstica

7

O parlamento russo aprovou um projeto de lei destinado a descriminalizar a violência doméstica para preservar a “tradição da autoridade parental”.

“Na cultura familiar tradicional russa, os relacionamentos pais-filhos são construídos com base na autoridade dos pais. As leis devem apoiar essa tradição familiar“, afirmou a deputada Yelena Mizúlina, do Partido Rússia Justa, presidente da Comissão para Assuntos de Família.

Em julho, Vladimir Putin supervisionou uma emenda à lei que declarou a violência familiar uma ofensa criminal pela primeira vez na Rússia, mas a deputada tem protestado contra essa decisão.

Segundo o Independent, Yelena Mizúlina defende que ninguém deve ser condenado a dois anos de prisão e rotulado de criminoso para o resto da sua vida por dar “uma bofetada”.

Este projeto de lei foi apresentado em julho e propõe que só os homens que agredirem as mulheres mais do que uma vez por ano devem ser detidos.

A decisão foi fortemente contestada por ativistas dos direitos das mulheres, que acreditam que a nova legislação vai fazer com que as vítimas da violência doméstica fiquem ainda mais vulneráveis.

Na terça-feira foi criada uma petição que se opõe à nova lei, que já reuniu mais de 174 mil assinaturas. “A cada 12 minutos na Rússia alguém bate num membro da sua família”, destaca a autora da petição, Alena Popova.

De acordo com estatísticas do governo russo, cerca de 40% de todos os crimes violentos são cometidos no seio familiar: 36 mil mulheres são agredidas pelos parceiros todos os dias e 26 mil crianças são atacadas pelos seus pais a cada ano.

  ZAP //

7 Comments

  1. As tradições são para manter. Em Portugal temos o fado, o benfica e a tourada que nos define como nação, um legado que nos foi deixado e que nos distingue, tirar qualquer um deles seria o fim.

    • EXACTO. E quem tenta introduzir algo novo é destruído, é quase como um elemento estranho ao organismo que é rejeitado de forma natural, ora veja-se o caso do Carlos Cruz! Tentou introduzir novos costumes e agora tá a contar 1-2-3 na choldra! Coitado, foi sem querer pá! O homem que tantos prémios a contar até 3 e agora fazem-lhe isto. É má vontade.

  2. primeiro que distingam uma bofetada como educaçao a um arraial de porrada porque sim.
    e a parte de só mais de uma vez por ano parte-me todo…lol

    only in russia…

    • Tem de salvaguardar o direito de dar um enxerto de porrada a mulher uma vez por ano.
      Ainda vira tradição e fazem um feriado o Dia de “Educar a Mulher”. Celebrado em todo a Rússia com Workshops de como dar um enxerto de porrada a mulher.

    • Nem sei bem o que dizer…. A lógica subjacente é: se for só por um dia, em última instância até se pode mandar a companheira para o hospital. Agora duas vezes no mesmo ano… aí pára tudo. Essa merda é crime.
      Isto só pode ser da água. Como é possível que tanta gente por esse mundo fora só ande a dizer e a fazer merda da grossa. A água tem de estar contaminada. Só pode. O mundo só pode estar próximo do fim.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.