Rússia não vai perdoar “facada nas costas” da Turquia

Yuri Kochetkov / EPA

O presidente da Rússia, Vladimir Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin

Um dia depois de as forças turcas terem abatido um avião militar russo que alegadamente entrou no espaço aéreo da Turquia, a tensão entre os dois países aumenta a olhos vistos.

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, confirmou o ataque mas deixou bem claro que não pretende fazer escalar um conflito com a Rússia, diz a Reuters.

Em declarações esta quarta-feira, o líder turco disse que os militares agiram apenas para defender a sua segurança, assim como os “direitos dos nossos irmãos” na Síria.

Não muito convencido continua o chefe de estado russo, que já garantiu que este episódio não é nada mais do que “uma facada nas costas” que vai ter “consequências sérias”.

Vladimir Putin acusou a Turquia de ser um cúmplice direto do Estado Islâmico, já que o avião russo não estava a ameaçar o caça F-16 turco que o derrubou, avança o El País.

O chefe de estado criticou ainda o facto de a Turquia, em vez de entrar imediatamente em contacto com a Rússia para resolver a questão, se ter dirigido antes aos parceiros da NATO.

Foi como “se tivéssemos derrubado o avião deles, e não eles o nosso”, afirma Putin. E ainda deixou uma questão no ar: “Será que querem colocar a NATO a serviço do EI?”.

Por esses motivos, a Rússia está pronta para pôr um ponto final em todos os projetos comerciais com a Turquia, avançou o jornal russo Kommersant, citado pela Sputnik.

Uma fonte da administração presidencial russa declarou que as decisões em relação a Ancara vão ser “duras”, tendo uma forte influência nas relações bilaterais dos dois países em várias áreas, incluindo a energética.

De acordo com as informações apuradas pelo jornal, a maior empresa petrolífera russa, a Gazprom, vai avaliar novamente a realização do projeto de gasoduto em território turco, também chamado de Turkish Stream.

Por sua vez, o chanceler russo Sergei Lavrov cancelou a sua visita à Turquia e avisou os cidadãos russos sobre possíveis ameaças terroristas na península da Anatólia, pedindo para que não voem até território russo.

Pelo mesmo caminho foi a Agência Federal do Turismo da Rússia, também conhecida por Rosturizm, ao proibir a venda de vouchers com viagens a território turco.

Sobre o mesmo incidente, tanto o presidente francês, François Hollande, como o presidente norte-americano, Barack Obama, lamentaram o sucedido e apelaram aos dois países para que mantenham a calma, uma vez que só com todos os países unidos poderão ser bem sucedidos no ataque contra o Estado Islâmico.

Apesar da grande tensão vivida entre os dois países, o embaixador russo em Paris, Alexander Orlov, afirmou esta quarta-feira que o país está pronto para “formar um Estado-maior comum”, no qual se inclui a França, os Estados Unidos e a Turquia.

“Estamos prontos para todas as formas de planeamento conjunto sobre as posições do Daesh e constituir para tal um Estado-maior comum com a França, com a América e com todos os países que quiserem entrar nesta coligação”, afirmou na rádio francesa Europe1.

O embaixador avançou que, apesar da crescente tensão, se os turcos quiserem entrar (na coligação) também, “serão bem vindos”.

Um dos pilotos foi resgatado

Dos dois pilotos que estavam a bordo do avião russo, está confirmada a morte de um. Ainda durante o dia de ontem, Alexandre Orlov, na mesma entrevista, disse que o segundo teria sido recuperado pelo exército sírio.

“Um ficou ferido ao ejetar-se e foi morto de forma selvagem por jihadistas que estavam na área. O outro conseguiu escapar e, de acordo com as últimas informações de que dispomos, foi resgatado pelo exército sírio e será levado para a base aérea russa”, declarou o diplomata.

De acordo com o RT, media russo que conseguiu uma entrevista exclusiva, o piloto já se encontra na base russa e está bem de saúde.

“O piloto resgatado foi transportado para a base russa de Jmeimim durante a noite. Conversei com ele de manhã, parece estar bem. O médico militar também afirmou que se encontra fora de perigo”, conta Román Kósarev, o jornalista responsável pela entrevista.

Putin quis homenagear o piloto que não escapou ao ataque dos extremistas e concedeu-lhe o título de herói, o maior título distintivo militar do país.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Claro que a Turquia apoia os jiahdistas, pois assim conseguem petróleo baratissimo, e grandes negociatas de armamento desde que seja para matar ocidentais é o que interessa, cambada de cinicos, mas pode ser que lhes saia o tiro pela culatra, pois a Russia sabe como proceder.

  2. Erdogan subiu de rufia de rua, chefe de um gangue até dirigente de um partido islâmico. Primeiro chegou até a ser preso pelos militares por atentado à constituição laica( a deixada à Turquia moderna pelo fundador Kemal Ataturk). Erdogan escreveu e declamava um poema em que «..o Islão iria abrasar o mundo inteiro….»). Depois de inúmeras manobras conseguiu chegar ao poder. Tem presos mais de 200 Jornalistas e mais de 300 oficiais do Exército, incluindo dezenas de generais….
    Há duas coisas escandalosas. A 1ª é que não se vê um único “jornalista”, ou associação ocidental, levantar o mínimo protesto quanto aos colegas presos na Turquia por denunciarem os crimes de Erdogan. Isto mostra o jornaleirismo rasteiro nos nossos países e o contrôlo corporativo….
    O 2º aspecto é que um miúdo do 6º ano pode olhar para o mapa do Médio-Oriente e ver que à volta do terrorista «exército islâmico» só há países inimigos(Síria e Irão) e bases “iankis”. Na Turquia- Incirlik. Na A. Saudita- Dahran. Na Jordânia- Amã. No Koweit. No Catar, o comando da 5ª Frota do Golfo Pérsico. Um anel de aço à volta destes tipos. Fora os satélites e os serviços secretos….Até o ar que os gajos respiram é controlado. Erdogan é o cabeça deles todos….

    Mais informação ver o blog «el espia digital»….Muito bom!

  3. Os turcos estão óbviamente a beneficiar com a existência do daesh! quando Mossul foi ocupada os únicos diplomatas a serem de imediato devolvidos são e salvos e sem pedido de resgate foram os turcos! Porquê? Não será certamente pelos seus lindos olhos ! Erdogan tem conduzido a Turquia para um regime mais autoritário e mais Islamita com a consequente perda de liberdades.
    Os turcos temem que os kurdus da síria ganhem força suficiente para fundarem o seu próprio estado e, eventualmente, unirem-se aos kurdus do Iraque, o que traria uma enorme dor de cabeça à turquia com os seus próprios kurdos que também aspiram pela formação de um kurdistão independente!
    Se fosse no tempo da URSS quase de certeza que a esta hora já teria havido retaliação da grossa, quanto mais não fosse com a destruição das tais refinarias que os russos alegam estar a comprar petróleo ao daesh.
    Pelos visto, o snr.Putin está a revelar-se cada vez mais como um estadista de autoridade, que está a conduzir este processo com muito cuidado.
    A acção turca não tem qualquer desculpa, pois a turquia, mesmo que o avião tivesse entrado no seu território, sabe muito bem que o avião não tinha nenhum objectivo de atacar alvos turcos. A turquia já violou o espaço grego mais de 2000 vezes e nunca lhe abateram nenhum avião. Os turcomanos que abateram o piloto enquanto este descia de para-quedas deviam ser procurados e devidamente punidos.

RESPONDER

Encontradas fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico

Investigadores encontraram fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico. As evidências sugerem que lavar as nossas roupas está a contribuir para esta contaminação. Há muito tempo que o Ártico provou ser um barómetro da saúde …

Campus universitários nos Estados Unidos podem tornar-se super-propagadores da covid-19

Os campus universitários podem tornar-se super-propagadores do novo coronavírus, que causa a covid-19, para toda a sua área de abrangência, concluiu uma nova investigação levada a cabo nos Estados Unidos. Analisando os 30 campus universitários …

A "máscara mais inteligente do mundo" é recarregável, tem microfone e dá luz

A Razer afirma ter criado a máscara mais inteligente do mundo. O Projeto Hazel é um design com um revestimento externo feito de plástico reciclado à prova de água e é transparente para permitir a …

Novo tratamento permite que pessoas com lesões na espinal medula voltem a mexer mãos e braços

Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington conseguiu ajudar seis participantes com lesões traumáticas da espinal medual a recuperar alguma mobilidade de mãos e braços. Muitas das pessoas que sofrem lesões traumáticas da espinal medula …

Ventiladores comprados à China custaram 1,3 milhões. Autarquias algarvias vão pedir devolução do dinheiro

Os 30 ventiladores comprados à China seriam usados nos hospitais do Algarve, mas os equipamentos não funcionam. Os autarcas vão agora exigir devolução do dinheiro. De acordo com a edição do jornal Público deste domingo, o …

EUA um passo atrás da China. Pequim leva avanço na Guerra Comercial (e as suas exportações estão em alta)

No ano em que a pandemia se expandiu em todo o mundo, muitos países viram-se em mãos com graves problemas financeiros e económicos. No caso da China, a situação foi mais positiva e o país …

Alexei Navalny detido no regresso à Rússia

O líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi detido este domingo no aeroporto em Moscovo quando regressava à Rússia. Os serviços prisionais russos (FSIN) detiveram o opositor russo Alexei Navalny, este domingo, à chegada a Moscovo, acusando-o …

Prazo para trocas ou devoluções suspenso durante confinamento

O prazo para efetuar trocas ou devoluções de bens ficará suspenso durante o atual confinamento e as garantias que terminem neste período ou nos 10 dias seguintes serão prorrogadas por 30 dias, segundo diploma publicado …

Desde 2001 que polícias negros alertam para racismo de agentes do Capitólio

Com a invasão do Capitólio, investiga-se o alegado racismo existente na Polícia do Capitólio. Desde 2001 que agentes negros denunciam casos de discriminação racial no departamento. Desde 2001, centenas de agentes policiais negros processaram o departamento …

Um megatsunami devastou uma vila na Gronelândia. Três anos depois, há quem não possa voltar a casa

Em junho de 2017, Nuugaatsiaq, na Gronelândia, foi devastada por um megatsunami, cujas ondas foram desencadeadas por um enorme deslizamento de quase 30 quilómetros através do fiorde. Embora as ondas se tivessem dissipado quando chegaram a …