Cristiano Ronaldo falha pódio da Bola de Ouro. Esta é a primeira vez desde 2010

Hugo Delgado / Lusa

O futebolista português Cristiano Ronaldo, cinco vezes vencedor da Bola de Ouro, ficou hoje pela primeira vez desde 2010 fora do pódio do prémio da revista francesa France Football, ao ser sexto na edição de 2021.

A revista France Football tem estado, ao longo desta segunda-feira, a anunciar as classificações dos 30 nomeados e o nome do avançado português foi um dos que já foi revelado.

Cristiano Ronaldo, de 36 anos, que no verão trocou os italianos da Juventus pelos ingleses do Manchester United, não ficava fora do pódio desde 2010, ano em que os três primeiros lugares foram ocupados por jogadores do FC Barcelona (Messi, Andrés Iniesta e Xavi Hernández).

O internacional português, formado no Sporting e que jogou também no Real Madrid e na Juventus, ganhou em 2008, 2013, 2014, 2016 e 2017, foi segundo em 2007, 2009, 2011, 2012, 2015 e 2018 e, ficou em terceiro em 2019.

Antes de ser anunciada a sua classificação, o português deixou duras críticas a Pascal Ferré, chefe de redação da France Football, que afirmou que CR7 lhe confessara que o seu objetivo era terminar a carreira com mais Bolas de Ouro do que Messi, escreve o DN. O capitão da seleção nacional veio hoje desmentir estas declarações nas suas redes sociais.

O desfecho de hoje explica o porquê das declarações de Pascal Ferré na última semana, ao afirmar que eu lhe confidenciei que tinha como única ambição terminar a minha carreira com mais Bolas de Ouro do que Lionel Messi.

Pascal Ferré mentiu, usou o meu nome para se promover e para promover a publicação para a qual trabalha. É inadmissível que o responsável pela atribuição de tão prestigiado prémio possa mentir desta forma, num absoluto desrespeito por alguém que sempre respeitou a France Football e a Bola de Ouro. E mentiu novamente hoje ao justificar a minha ausência da Gala com uma alegada quarentena que não tem nenhuma razão de ser.

Desejo sempre os parabéns a quem ganha, dentro do desportivismo e fair-play que norteiam a minha carreira desde o início, e faço-o porque nunca estou contra ninguém. Ganho sempre por mim e pelos clubes que represento, ganho para mim e para aqueles que me querem bem. Não ganho contra ninguém.

A maior ambição da minha carreira é conquistar títulos nacionais e internacionais pelos clubes que represento e pela Selecção do meu país. A maior ambição da minha carreira é ser um bom exemplo para todos aqueles que são ou desejam ser futebolistas profissionais. A maior ambição da minha carreira é deixar o meu nome escrito a letras de ouro na história do futebol mundial.

Termino dizendo que o meu foco está já no próximo jogo do Manchester United e em tudo aquilo que, juntamente com os meus companheiros e os nossos adeptos, ainda podemos conquistar esta época. O resto? O resto é apenas o resto…“, escreveu Cristiano Ronaldo.

Em 2020, a Bola de Ouro não foi entregue por decisão da revista, devido à pandemia de covid-19.

Na edição deste ano, Bruno Fernandes (Manchester United) foi 21.º, em igualdade com o argentino Lautaro Martínez, enquanto Rúben Dias (Manchester City) foi 26.º, também em igualdade com o espanhol Gerard Moreno e o italiano Nicolò Barella.

O vencedor da Bola de Ouro vai ser conhecido hoje com o argentino Lionel Messi e o polaco Robert Lewandowski como principais candidatos.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.