Quando é que Rio fez uma crítica pública a Passos Coelho?

Paulo Novais / Lusa

O antigo presidente da Câmara do Porto, Rui Rio

O candidato à liderança do PSD Rui Rio negou este domingo ter defendido um governo de Bloco Central com o PS, mas reiterou a importância de pactos de regime que coloquem “o interesse do país à frente dos interesses dos partidos”.

Em entrevista à TVI, o antigo autarca do Porto procurou desmontar algumas das ideias que diz serem erradamente atribuídas à sua candidatura, como essa defesa do Bloco Central ou críticas ao legado do atual presidente do PSD, Pedro Passos Coelho.

“Quando é que eu, enquanto militante do PSD, fiz uma crítica pública ao dr. Pedro Passos Coelho?”, questionou Rui Rio.

Rui Rio considerou mesmo “ofensivo” e “difamatório” que lhe pretendam atribuir uma defesa de um governo de Bloco Central, que só considera justificável “em situações de salvação nacional”.

“O que eu disse é que os partidos todos têm de pôr os interesses partidários de lado e entenderem-se nas reformas fundamentais para o interesse do país“, disse, apontando como exemplo uma solução para o problema dos incêndios.

Ainda assim, admitiu que antes das legislativas previstas para 2019 “não há clima para essas reformas estruturais”, salientando que o próximo presidente do PSD só estará em plenitude de funções em março do próximo ano.

Instado a comentar a proposta de Orçamento do Estado para 2018, Rui Rio ressalvou ainda não ter analisado o documento com pormenor, mas considerou que pensa mais no presente “do que no futuro”.

O ex-autarca portuense diz que “se eu estivesse à frente do Governo, ou o dr. Pedro Passos Coelho, já teríamos conseguido um défice zero neste momento“, disse, admitindo que o PS não possa “fazer melhor” com a atual coligação à esquerda.

Questionado sobre o que o distingue de Pedro Santana Lopes, o outro candidato anunciado à liderança do PSD, Rui Rio respondeu: “Ui, tanta coisa“.

Para o antigo autarca e dirigente do PSD, existem diferenças no posicionamento ideológico. “Santana Lopes está mais no centro-direita e eu no centro-esquerda”, diz Rio, destacando o apoio de André Ventura ao antigo primeiro-ministro e antevê sobretudo “um choque de personalidades”.

A este propósito, Rio recordou que não se candidatou antes à liderança do PSD para cumprir a palavra dada a quem o elegeu para a Câmara do Porto, enquanto Santana Lopes “há 4 ou 5 meses” decidiu que não seria candidato à Câmara de Lisboa devido às suas funções na Santa Casa, a que agora decidiu renunciar.

Defendeu que Santana Lopes deveria sair já do cargo de Provedor desta instituição e disse que, se fosse Presidente da República, não teria recebido um quase candidato à liderança de um partido, como fez Marcelo Rebelo de Sousa na semana passada.

Sobre o papel do atual chefe do Estado, Rio admitiu que possa ter discordado das suas posições em certos momentos, mas, em geral, compreendeu a sua postura de colaboração com o Governo do PS.

Na entrevista à TVI, Rui Rio desvalorizou que o facto de não ser deputado o possa prejudicar se vier a liderar o PSD e assegurou que “não vai haver purga nenhuma” no grupo parlamentar, cuja direção foi eleita antes do verão.

“Este grupo parlamentar está no exercício de funções, foi eleito democraticamente, estão lá e vão seguramente cumprir o seu papel, independentemente do presidente que for eleito”, disse, admitindo, contudo, querer abrir mais o partido à sociedade.

Logo se vê quem fica e quem sai“, disse.

O PSD escolherá o seu próximo presidente em 13 de janeiro (com Congresso entre 16 e 18 de fevereiro) em eleições diretas. o atual líder, Pedro Passos Coelho, já anunciou que não se recandidata ao cargo que ocupa desde 2010.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. O PSD tem uma escolha fácil entre um Rui Rio com ideias assentes e sem demagogia, e um Santana Lopes cheio de trapalhadas.
    Santana Lopes depois da sua má experiência governativa, deveria ter algum pudor em voltar a aproximar-se da política. Estava tão bem nas Misericórdias e agora arrisca ter de andar novamente por aí…

  2. E, Rui Rio tinha que fazer alguma critica directa a Passos Coelho?E, se o fizesse, teria mais credibilidade entre os do PSD?Não. Pelo contrário, teria a frontal oposição, de todos os oportunistas do PSD. Bem fez ele.É também dos mais sérios dentro do PSD.

RESPONDER

"Queremos justiça", exigem famílias de vítimas do ataque em Cabul. CIA alertou para a presença de civis

A família das 10 vítimas mortais do ataque com drone dos EUA a um veículo em Cabul exigem que os operadores sejam julgados em tribunal. A CIA terá alertado para a presença de civis segundos …

Rio abre o jogo sobre o futuro do PSD. Não se recandidata se fizer "igual, pior ou muito pouquinho melhor"

Líder social-democrata deu a conhecer o que é, para o próprio, um bom resultado nas próximas autárquicas, recusou-se a falar sobre as movimentações internas no PSD, expôs o papel do partido na votação do OE …

Corpo encontrado em parque natural será de Gabby Petito

Este domingo foi encontrado um corpo no parque nacional de Wyoming, nos Estados Unidos, que corresponde ao da jovem Gabrielle Petito, que se encontrava desaparecida, anunciou a polícia federal norte-americana (FBI). "No início do dia de …

Nuno Espírito Santo admite que "muita coisa correu mal", mas não escapa às críticas

O Tottenham saiu derrotado por 3-0 do embate com o Chelsea. Nuno Espírito Santo reconheceu os problemas na equipa, que foi duramente criticada por Roy Keane. O Chelsea manteve-se no comboio dos líderes da Liga inglesa, …

Críticas às novas tabelas da ADSE em várias áreas da Saúde

A nova tabela da ADSE, que entrou em vigor a 01 de setembro, tem enfrentado críticas de vários setores da Saúde, desde dentistas a nutricionistas, principalmente pelos valores atribuídos a alguns atos, exclusões e restrições. A …

Cuba é o primeiro país a vacinar crianças a partir dos dois anos

Depois de um drástico aumento de casos e mortes em crianças, a estratégia de vacinação em Cuba mudou. Com o objetivo de ter mais de 90% dos 11 milhões de habitantes imunizados até Dezembro, as autoridades …

Penálti que deu vitória ao Sporting devia ter sido repetido

Um penálti convertido por Pedro Porro deu a vitória, este domingo, ao Sporting. Especialistas entendem que a grande penalidade devia ter sido repetida. O Sporting CP conquistou uma vitória sofrida, este domingo, após derrotar o Estoril …

Marques Mendes: Governo vai abrir discotecas e acabar com limite à lotação no comércio e restaurantes

Marques Mendes considera também que a task force para a vacinação deve ser extinta em Outubro e que em Dezembro deve ser decidida uma terceira dose para os cidadãos acima de 65 anos. No seu habitual …

OE2022: Governo negocia englobamento obrigatório de rendimentos no IRS

O englobamento obrigatório de rendimentos no IRS é uma medida que está incluída no programa do Governo e é um dos temas de grande interesse no núcleo comunista. O assunto está a ser negociado no …

Falcao marcou mas o protagonista foi o árbitro: "Já nem sei quem viu amarelo"

Falhas na comunicação com os outros árbitros e confusão numa suposta expulsão, após 13 cartões amarelos: um jogo que Cordero Vega não vai esquecer. Radamel Falcao estreou-se neste sábado pelo Rayo Vallecano e já terá reunido …