Encontrados restos com 4 mil milhões de anos dos primeiros organismos da Terra

gorbould / Flickr

Poderão ter sido encontrados no norte da Península do Labrador, no leste do Canadá, os vestígios de vida mais antigos que se conhece

As primeiras formas de vida orgânica na Terra podem ter aparecido há quase 4 mil milhões de anos, revela um estudo publicado esta quarta-feira na revista Nature.

Depois de o ano passado uma equipa internacional de cientistas ter anunciado a descoberta de micro-fósseis com 3,77 mil milhões de anos, na província do Quebec, o leste do Canada volta a presentear a ciência com mais uma descoberta: restos do que poderão ser os mais antigos organismos conhecidos da Terra, com 3,9 mil milhões de anos.

Na nova pesquisa, liderada pelo Departamento de Ciências da Terra e Astronomia da Universidade de Tóquio, no Japão, uma equipa de cientistas analisou isótopos de carbono em material carbonoso e carbonato de rochas sedimentares encontradas no norte da Península do Labrador, no leste do Canadá.

Segundo as conclusões da pesquisa, apresentadas num artigo publicado esta quarta-feira na revista Nature, na região podem ter existido há 3,9 mil milhões de anos algumas das primeiras formas de vida conhecidas no planeta.

Segundo os cientistas, as provas que demonstram a presença de vida no início da história do planeta são ainda fracas – entre outros motivos, devido à falta de amostras de rochas e ao precário estado de conservação do material da Era Eoarqueana, entre 3 mil milhões e 850 milhões de anos atrás.

A análise de isótopos de rochas sedimentárias do Cinturão Supracortical de Isua, no sudoeste da Groenlândia, com data de 3,7 a 3,8 mil milhões de anos atrás, sugere que as partículas de grafite poderiam ter origem biogenética, ou seja, terem sido produzidas por organismos vivos.

Tsuyoshi Komiya et al / Nature

Este insignificante borrão de grafite num pedaço de rocha pode ser o mais antigo vestígio de vida na Terra

Já o estudo de rochas sedimentares com idade semelhante, provenientes do Cinturão de Nuvvuagittuq, no leste do Canadá, e de Akilia, na Groenlândia, não detetou a presença de grafite biogenético.

Os especialistas da Universidade de Tóquio examinaram a presença de grafite nas rochas sedimentares encontradas em Saglek Block, no norte da Península do Labrador.

Com uma detalhada análise geológica das rochas e a medição das concentrações e composições dos isótopos de grafite e do material carbonoso foi possível constatar que o grafite dessas rochas é biogenético.

Além disso, os cientistas determinaram que a ocorrência de uma constante entre as temperaturas de cristalização do grafite e a temperatura metamórfica das rochas indica que o grafite não se originou como consequência de uma contaminação posterior.

Os autores sugerem assim que a descoberta de grafite biogenético nestas rochas da Península do Labrador poderia favorecer o estudo geoquímico dos organismos que os produziram e fornecer mais dados sobre o aparecimento da vida na Terra.

ZAP // EFE

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Pintura de Jacob Lawrence desaparecida há 60 anos foi encontrada em Nova Iorque

Uma visitante do Met, nos Estados Unidos, descobriu o paredeiro do quadro desaparecido de Jacob Lawrence. A mulher associou o quadro a um pendurado na sala de estar dos seus vizinhos, suspeitando que poderia fazer …

Fezes ancestrais ajudam a descobrir como o microbioma afeta a nossa saúde

Um novo estudo, realizado em Israel e na Letónia, analisou fezes ancestrais e comparou-as com o nosso microbioma para tentar descobrir pistas sobre as doenças modernas. A equipa de investigadores, que trabalhou enterrada até aos joelhos …

Santa Clara 1-2 Sporting | “Leão” mostra POTEncial nas ilhas

Ao final da tarde deste sábado, o Sporting venceu o Santa Clara por 2-1, num duelo a contar para a 5ª jornada da Liga NOS que decorreu no Estádio de São Miguel, em Ponta Delgada. …

Robô ultrarrealista pode vir a substituir os golfinhos em cativeiro em parques temáticos

A empresa de engenharia Edge Innovations, com sede em São Francisco, Estados Unidos, projetou e construiu um golfinho-robô que se parece e age quase exatamente como um. Nadando ao redor da piscina enquanto um grupo de …

PCP avisa: Abstenção é “apenas e só” para discutir o OE2021

O secretário-geral do PCP avisou este sábado que a abstenção anunciada pelo partido visa "apenas e só" fazer passar o Orçamento do Estado de 2021 a "outra fase de discussão" e recusou estar garantido um …

Convento medieval encontrado sob parque de estacionamento em Inglaterra

Uma equipa de arqueólogos britânicos encontrou um convento medieval, há muito perdido, debaixo de um parque de estacionamento em Inglaterra. Há muito que os arqueólogos britânicos especulavam sobre a potencial localização de um antigo convento medieval, …

Virgin Galactic leva cientista planetário ao Espaço pela primeira vez

O norte-americano Alan Stern será o primeiro a realizar experiências científicas financiadas pela NASA, a bordo de uma aeronave comercial da empresa espacial privada Virgin Galactic. A NASA revelou a semana passada que o cientista planetário …

Português responsável por limpeza de hospitais condecorado pela Rainha Isabel II

O português Maciel Vinagre pensou que era mentira ou engano ao ler a notificação de que tinha sido distinguido pela Rainha Isabel II pelo trabalho como responsável da limpeza de dois hospitais públicos britânicos durante …

Japonês inventa sacos de plástico "comestíveis" (para salvar o veado sagrado de Nara)

Um empresário local no destino turístico japonês de Nara desenvolveu uma alternativa aos sacos de plástico de compras para proteger o veado sagrado da cidade. Hidetoshi Matsukawa, que trabalha na Nara-ism, um agente de souvenirs, disse, …

Emissão do programa de Ricardo Araújo Pereira cancelada. Humorista em isolamento

O programa de Ricardo Araújo Pereira na SIC não será emitido este domingo, uma vez que o humorista se encontra em isolamento profilático depois de ter estado em contacto com uma pessoa infetada com covid-19. …