Republicanos no Senado preparam-se para um possível “mundo pós-Trump”

Chris Carlson / EPA

Donald Trump com o seu vice-presidente, Mike Pence

Enquanto os republicanos enfrentam um eleição que pode trazer más notícias para o Presidente e o seu partido, alguns começam a se distanciar de Donald Trump, ao mesmo tempo que tentam não atrair a sua ira e dos seus apoiantes.

Segundo noticiou o Yahoo, alguns senadores, como Thom Tillis – que tenta a reeleição na Carolina do Norte -, começaram a reconhecer que Trump poderá não sairá vencedor das eleições de novembro.

Também o senador Lindsey Graham, da Carolina do Sul, disse aos democratas na semana passada: “Todos têm uma boa hipótese de ganhar a Casa Branca”. Enquanto isso, outros republicanos, como os senadores Ben Sasse e Mitt Romney, têm criticado abertamente o atual Presidente.

“Não acho que se possa encontrar um republicano em Washington que pense que o Presidente Trump vai ganhar a reeleição agora, mesmo dentro a Casa Branca – ninguém, falando honestamente”, comentou o estratega político Rory Cooper.

“Trump precisa ganhar todos os estados sólidos” e “todas as disputas, e trazer alguns estados democratas para atingir os 270 votos eleitorais”, continuou. “Ninguém acredita que isso vai acontecer. É claro que estão a planear como será um mundo pós-Trump”, acrescentou ainda.

De acordo com o artigo, cada senador republicano conduz o seu relacionamento com Trump de maneira diferente. Contudo, os que se candidatam à reeleição precisam de enfrentar certas questões, como à obstrução à justiça, aconselhou Tom Davis, ex-presidente do Comité Nacional Republicano do Congresso.

Caso os democratas conquistem a Câmara, o Senado e a Presidência, “poderiam prosseguir e abolir a obstrução, ganhando novos estados, o que aumentaria a sua maioria”, disse. “Mesmo que não se goste de Trump, não se quer que essas coisas aconteçam”, frisou.

Ainda segundo o artigo, uma das questões-chave nesta eleição foi a forma como o Presidente lidou com a pandemia do coronavírus, o que parece influenciar os eleitores. Alguns senadores republicanos têm falado mais abertamente sobre o tema.

O líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, por exemplo, não esteve presente na nomeação de Amy Coney Barrett para a Suprema Corte, evento que ocorreu na Casa Branca, afirmando que não vai ao local há meses porque não vai acredita que estejam a ser seguidos os protocolos de segurança.

Brainstorm Health / Flickr

O candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden

Na altura da nomeação, houve um surto de covid-19 na Casa Branca, tendo vários dos participantes – incluindo o Presidente e a primeira-dama – contraído o vírus. O principal especialista em doenças infeciosas do governo, Anthony Fauci, referiu-se à cerimônia como um “evento de super-disseminação”.

“A minha impressão foi que a sua abordagem era diferente da minha”, disse McConnell sobre a Casa Branca, cuja opinião também difere dos democratas e dos republicanos quanto à legislação, incluindo o próximo projeto lei sobre o alívio das medidas para controlar a disseminação da covid-19.

Os críticos do Partido Republicano em relação ao Presidente têm sido moderados, tentando escolher os momentos para as suas declarações. À medida que as eleições se aproximam, as manifestações têm aumentado.

O senador Mitt Romney emitiu uma longa declaração sobre o estado da democracia e a importância de uma transição pacífica de poder, claramente dirigida ao Presidente, e anunciou esta semana que não vai votar em Trump.

Muitos republicanos, no entanto, não criticarão o Presidente publicamente. O senador John Cornyn, também candidato à reeleição, admitiu que discordou do Presidente em várias questões, incluindo quanto à covid-19, acordos comerciais e défice, mas em disputas privadas. “O que tentei fazer não foi entrar em confrontos públicos porque, como observei, geralmente não terminam muito bem”, disse Cornyn sobre o Presidente.

“Todos vivem com medo de um ‘tweet’ de Trump. E não vão fazer nada deliberadamente para enganá-lo”, disse Betsy Fischer Martin, diretora executiva do Instituto de Mulheres e Política do Departamento de Governo da Universidade Americana.

No entanto, Trump pode não estar a ajudar a si mesmo – ou aos republicanos do Senado – atacando aqueles que o criticam, disse Cooper, apontando para o Maine, onde a campanha do Presidente fez um esforço para ganhar eleitores, mas onde este atacou a senadora republicana Susan Collins, que luta pela reeleição.

Cooper sugeriu que Trump tem “a hipótese de uma votação eleitoral de que precisa no Maine”, mas a sua crítica a Collins provavelmente custará esses votos. O Presidente, lamentou, “nunca demonstrou investimento no futuro do Partido Republicano. Ele não se importa se a sua estratégia custe ao Partido Republicano a maioria do Senado”, frisou.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Numa verdadeira cena à James Bond, homem foge do FBI numa scooter subaquática

Um americano que estava a ser procurado por um suposto envolvimento num esquema de fraude, foi preso na passada segunda-feira, dia 16, após usar uma "scooter marítima" subaquática para tentar fugir do FBI. Quem assistiu ao …

Após quase terem sido extintas, baleias azuis estão a voltar à Geórgia do Sul

A baleia azul regressou às águas em torno da ilha Geórgia do Sul, quase um século depois de este animal ter sido quase extinto pela caça industrial. A remota ilha Geórgia do Sul, perto da Antártida, era …

Manuscritos de "A Origem das Espécies" divulgados online pela primeira vez

Duas páginas originais do rascunho manuscrito de "A Origem das Espécies", de Charles Darwin, foram divulgadas online pela primeira vez. Além disso, foram ainda publicadas cartas e notas de leitura nunca antes vistas. Os documentos foram …

Os videojogos podem ser bons para o bem-estar pessoal, sugere estudo

De acordo com um novo estudo que analisou o comportamento de jogadores e dados fornecidos por empresas de videojogos, o tempo gasto a jogar pode ser bom para o bem-estar pessoal. A Electronic Arts e a …

A MINI criou uma van perfeita que foi pensada para relaxar, usufruir e conviver

A marca de automóveis MINI apresentou o projeto do Vision Urbanaut. Este veículo é uma van completamente moderna e sustentável, pois oferece mais espaço interior e versatilidade, e ainda deixa uma pegada ecológica mínima. Esta van …

Covid-19. Angela Merkel alerta sobre plano de vacinação para países mais pobres

A chanceler alemã, Angela Merkel, alertou os líderes dos países mais desenvolvidos que o progresso no desenvolvimento de um sistema de distribuição de vacinas para nações mais necessitadas tem sido lento e que essa questão …

Explosão em Beirute. Danos segurados rondam mil milhões

As vítimas da explosão que destruiu o porto de Beirute e área circundante, em agosto, apresentaram um total de 14.921 reclamações de seguro, totalizando danos segurados estimados em perto de 1,62 biliões de libras libanesas …

Centenas de pessoas que morreram de covid-19 em Nova Iorque continuam em camiões frigoríficos

Muitos destes cadáveres, que continuam em camiões frigoríficos, são de pessoas cujas famílias não puderam ser localizadas ou que não podem cobrir os custos do enterro. De acordo com o The Wall Street Journal, cerca de …

Bolsonaro responsabiliza estados e municípios por não usarem testes

Mais de 6,8 milhões de testes RT-PCR, adquiridos pelo Ministério da Saúde brasileiro, perderão a validade entre dezembro deste ano e janeiro de 2021. O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, direcionou para estados e municípios a responsabilidade …

Médico presente na sala de emergência revela detalhes da morte de John F. Kennedy

Um médico que estava presente na emergência do Parkland Memorial Hospital, para onde John F. Kennedy (1917-1963) foi transferido depois de ser baleado numa visita política ao estado do Texas, revelou novos detalhes sobre a …