/

Rendas altas afastam mão de obra do Algarve

6

Joseolgon / Wikimedia

Praia dos Caneiros, em Lagoa, no Algarve

É cada vez mais difícil encontrar casas para arrendar no Algarve a preços razoáveis, cenário que afasta muitos trabalhadores numa altura em que há falta de mão de obra.

Os empresários do turismo e hotéis do Algarve estão preocupados com a situação. O facto de ser cada vez mais difícil encontrar casas para arrendar no Algarve a preços razoáveis afasta muitos trabalhadores, na altura em que a região mais precisa.

De acordo com a TSF, Elidérico Viegas, presidente da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) admite que o problema não reside na falta de imóveis nem por falta de construção na região. O problema é que as casas estão destinadas ao mercado turístico, o que faz com que os valores sejam muito elevados.

Segundo o presidente da AHETA, só na área que representa, há um défice de três mil trabalhadores no Algarve, um problema que é também sentido em outras áreas como a agricultura, por exemplo. “Todos os setores têm falta de mão-de-obra.”

É por esta razão que os empresários pedem aos dezasseis municípios algarvios que desenvolvam programas de renda acessível, de modo a atrair pessoas para a região e, assim, aumentar a mão de obra. A dimensão do problema faz com que, em época alta, muitas empresas sejam obrigadas a pagar carrinhas que vão buscar, todos os dias, funcionários ao Alentejo.

João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve, admite ter a mesma preocupação que Elidérico Viegas, mas frisa que a falta de arrendamento a preços acessíveis não é caso único na região, e que se agrava em certas alturas do ano.

À TSF, o responsável reforça ainda a ideia de falta de mão de obra e de casas a preços para quem tem salários médios.

  ZAP //

6 Comments

  1. Ataquem a especulação imobiliária, todos aqueles que querem fazer dinheiro rápido à custa de quem tem salários/reformas baixos e que gostariam de ter um local para descansarem de um ano de trabalho. Ainda há dias li num online que na Nazaré existem “chambristas” (do francês chambres-camas) a alugarem em AL por QUINZE DIAS a € 1.200,00 e € 600,00 por UMA SEMANA!!! Mas há quem os possa pagar, não o desempregado, nem o pensionista de baixos recursos…

  2. Estou a gostar de ver toda esta onda de especuladores por toda a parte, uns queixam-se dos governantes, outros dos proprietários e quanto a mim uns e outros são todos culpados do que se vai passando, entretanto turistas estrangeiros começam já a procurar outros destinos e quando a bolha rebentar de vez então haverá por aí um mundo de gente a lastimar-se da pouca sorte que lhes saiu na lotaria.

  3. Se têm falta de alojamento para a mão de obra que querem barata, que destinem algumas das camas para os funcionários, é tão simples como isto. Mas não estão à espera que as autarquias fiquem com a responsabilidade de arranjar alojamentos baratos para que trabalha e para eles ficarem com os lucros.
    Umas boas férias para todos….

    • Claro… não é por acaso que muitas das empresas que recrutam trabalhadores para o estrangeiro, oferecem alojamento!
      Se não o fizessem, provavelmente também não teriam mão de obra…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.