/

Vêm aí os dias mais curtos. Relógios atrasam uma hora na madrugada de domingo

11

Esta noite vai poder dormir mais uma hora. Na madrugada deste domingo, em Portugal continental e na Madeira, às 2h os relógios devem ser atrasados 60 minutos. Nos Açores, a mudança será feita à 1h da madrugada passando para a meia-noite.

Se durante o verão podemos ter dias compridos, no inverno a história muda de figura. Portugal vai atrasar os relógios uma hora na madrugada deste domingo, dando início ao horário de inverno, indica o site do Observatório Astronómico de Lisboa (OAL).

Esta madrugada de domingo (27 de outubro) em Portugal continental e na Região Autónoma da Madeira, às 2h os relógios devem ser atrasados 60 minutos, passando para a 1h. Na Região Autónoma dos Açores, a mudança será feita à 1h da madrugada de domingo, passando para a meia-noite (00h).

Como o debate relativo ao fim da mudança da hora na União Europeia continua em aberto, a próxima mudança de hora acontecerá daqui a seis meses, a 29 de março de 2020, marcando a mudança para o regime de verão.

O atual regime de mudança da hora é regulado por uma diretiva (lei comunitária) de 2000, que prevê que todos os anos os relógios sejam, respetivamente, adiantados e atrasados uma hora no último domingo de março e no último domingo de outubro, marcando o início e o fim da hora de verão.

Desta forma, a hora mudará ainda a 25 de outubro de 2020 e em 2021, nos domingos de 28 de março e 31 de outubro. Depois, o Conselho da União Europeia diz que “não se decidiu ainda nada sobre o que acontecerá, nem quando”.

Segundo o Público, não se sabe se a mudança horária será mesmo abolida. Se esse cenário acontecesse, obrigaria Portugal a escolher para sempre ou o horário de Inverno ou o de Verão, ou se o país poderá manter o regime bi-horário atual.

Depois de a Comissão Europeia ter proposto o fim da mudança da hora e de o Parlamento Europeu ter concordado, falta agora saber a posição do Conselho da União Europeia, que ainda não a tomou. A situação ainda está a ser analisada e o assunto deverá voltar a ser debatido no Conselho de Transportes, a 2 de dezembro.

Em março, O Governo português garantiu que iria manter a sua “posição assumida” de mudar a hora duas vezes por ano. O jornal Público tentou contactar, na quarta-feira, o ministério das Infraestruturas, que diz que “não há novidades” em relação a este assunto.

  ZAP // Lusa

11 Comments

  1. Como quem determinou tal absurda regra nada mais tem que fazer decreta-se tais disparates para mais uma vez stressar a população. A ladainha que servia para afirmar que esta regra ajudava na poupança há muito que caiu por terra.

    • A “absurda regra” é a hora de Verão (UTC+1) e não a hora de Inverno (UTC). A hora de Inverno existiu desde sempre. A “hora de Verão” é que foi inventada em 1916, e imposta (estupidamente) pelos governos, desde então. Em Portugal, a “hora de Verão” (UTC+1) faz com que os relógios estejam adiantados 1h30 em relação à hora solar (UTC-0:30) durante 7 longos meses. O correcto seria termos hora de Inverno (UTC) durante todo o ano, e acabar-se com a obsessão dos horários das “9 às 5”, e seguirmos o ritmo solar: trabalhar-se menos horas no Inverno e mais horas no Verão.

      • De facto estava a referir-me em termos gerais aos países que adoptaram as mudanças horárias sazonais, uns a hora de Verão e um ou outro o horário de Inverno.
        De resto tem todas a razão, adaptar o horário de trabalho ao ritmo solar, assim sim poupava-se energia e a saúde das pessoas.

    • É verdade, para além disto as pessoas que não têm transporte, ou as crianças que vão a pé da escola para casa passam a chegar a casa de noite o que é muito mais perigoso e leva a muitos mais casos de violência, assaltos, violações etc… Isto é uma completa parvoíce! Segundo dados estatísticos o crime aumenta exponencialmente e atinge o pico às 21:00, o que normalmente coincide com a chegada da noite e a saída do trabalho e das escolas. É um facto e não é necessária muita inteligência para se concluir isto, veja-se: https://www.ojjdp.gov/ojstatbb/offenders/qa03401.asp?qaDate=2016

    • É pena que o sol de Inverno não vá nessas cantigas dos adoradores da “hora de Verão”. Por muito que torçam e estiquem o relógio, nos meses de Inverno só há 9 e tal horas de dia e 14 e tal horas de noite…

  2. Oxalá o Conselho da UE concorde com a decisão do Parlamento Europeu e acabe com a mudança horária, para bem de todos nós. E que em todo o lado seja escolhida a HORA DE INVERNO como hora padrão anual, e de acordo com o fuso horário de cada país. Todos ficariam a ganhar. UTC-2 nos Açores; UTC-1 na Islândia, Madeira e Canárias; UTC na Europa Ocidental (Irlanda, Reino Unido, Portugal, Espanha, França, Bélgica, Holanda e Luxemburgo); UTC+1 na Europa Central (Escandinávia, Alemanha, Polónia, Suíça, Áustria, Itália, antiga Checoslováquia, Hungria, antiga Jugoslávia e Albânia) e UTC+2 na Europa Oriental (Finlândia, países Bálticos, Roménia, Bulgária, Grécia e Chipre).

  3. O título do artigo induz em erro. Até parece que é a hora de Inverno que encurta os dias. Nestes meses os dias são mais curtos em virtude do movimento de translação da Terra, em que esta está mais próxima do Sol, devido à sua órbita elíptica e à inclinação do eixo terrestre. Assim, no Inverno os dias são mais curtos e as noites mais longas (9 horas de dia e 15 horas de noite), acontecendo o contrário no Verão. A hora de Inverno UTC quando muito faz com que o nascente solar ocorra mais cedo do que se fosse hora de Verão UTC+1. Assim no final de Dezembro o sol nascerá às 8h00 em vez das 9h00, o que é muito melhor para quem tiver de se levantar cedo para ir trabalhar ou para a escola.

  4. Isto é um disparate, as pessoas que não têm transporte, ou as crianças que vão a pé da escola para casa passam a chegar a casa de noite o que é muito perigoso e leva a muitos mais casos de violência, assaltos, violações etc… Isto é uma completa parvoíce! Segundo dados estatísticos o crime aumenta exponencialmente e atinge o pico às 21:00, o que normalmente coincide com a chegada da noite e a saída do trabalho e das escolas. É um facto e não é necessária muita inteligência para se concluir isto.

    • Parvoíce pegada é o seu comentário. Se a hora não mudasse eu teria que ir trabalhar ainda de noite e ser assaltado logo pela manhã. Assim… só me roubam ao final do dia.

      • E continua a parvoíce, se se desse ao trabalho de ver estatísticas veria que raramente existem crimes pela manhã.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.